27 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Polícia indonésia apreende 14 corpos preservados de tigres-de-sumatra

Espécie natural da região está criticamente ameaçada de extinção.
Em casa ao sul de Jacarta também havia corpos de leão, ursos e cervos.

Catorze corpos preservados de tigres-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae) foram apreendidos pela polícia da Indonésia em uma residência na cidade suburbana de Cibubur, localizada ao sul da capital Jacarta.

A espécie natural da região está criticamente ameaçada. Ambientalistas temem que esses felinos sejam extintos na próxima década em decorrência da caça ilegal e da perda do habitat natural, por causa do desmatamento para exploração de madeira ou plantação de palmeiras. Estima-se que existam apenas 400 tigres-de-sumatra livres na natureza.

Além dos tigres, foram apreendidos corpos preservados de outras espécies, como leão, ursos e cervos.

Tigres sumatra (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Corpos de tigres-de-sumatra foram preservados para virar objeto de 'decoração' (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 2 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Espécie natural da Ilha de Sumatra, na Indonésia, está ameaçada de extinção (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 3 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

No local de apreensão dos tigres, também havia leão, ursos e cervos preservados (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Fonte: Globo Natureza


20 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Verba para conservação de biomas

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) lançará, em setembro, edital destinado a selecionar projetos que proponham atividades voltadas para Unidades de Conservação (UCs), manejo de paisagens e de espécies nativas, para capacitação e que beneficiem as comunidades locais. O Funbio dispõe de R$ 7,5 milhões para investir nos projetos que atenderem às exigências desse edital. Haverá, também, nova abertura para a seleção de propostas destinadas às redes dos biomas mata atlântica e caatinga, via edital, no valor total de R$ 2,2 milhões para executar projetos ambientais.

A decisão de publicar os editais foi tomada durante a 4ª Reunião Ordinária do Comitê da Conta TFCA, sigla em inglês para Tropical Forest Conservation Act. Trata-se de um acordo bilateral, firmado entre Brasil e Estados Unidos em 2011, que prevê investimentos superiores a R$ 40 milhões (20 milhões de dólares) até 2014.

Administração - De acordo com a diretora da Gerência de Conservação da Biodiversidade da Secretaria de Biodiversidade e Florestas (SBF/MMA), Daniela Suárez de Oliveira, os recursos repassados pelo Tesouro brasileiro são administrados pelo Funbio. “O dinheiro é investido em projetos voltados à conservação das florestas do Brasil”, explica.

Este ano já foram selecionados três projetos de apoio às redes socioambientais do cerrado no valor de R$ 1,1 milhão. Integram o Comitê da Conta TFCA representantes dos Ministérios do Meio Ambiente, da Fazenda e Relações Exteriores, além da Comissão Nacional de Biodiversidade (Conabio), da Comissão Nacional de Florestas (Conaflor) e do governo americano.

Fonte: Luciene de Assis/MMA


22 de junho de 2012 | nenhum comentário »

Rio+20: Cientista alerta sobre desaparecimento dos mangues do Brasil

Essenciais para a produção de frutos do mar, água doce e aves, os mangues – áreas de florestas inundadas pelas marés – estão desaparecendo no Brasil em decorrência do desmatamento das florestas e poluição dos mares. O alerta é de Flavia Mochel, professora da Universidade Federal do Maranhão, durante a palestra sobre o tema “O Mangue está na lama”, em uma alusão à grave situação em que se encontram os mangues. Promovido pela SBPC, o evento foi realizado quarta-feira  (20), no Armazém 4, do Pier Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro, durante a Rio+20.

Segundo estima a pesquisadora, cerca de 50%, em média, dos mangues brasileiros estão comprometidos na maioria das capitais do País.

 

Também presidente da Comissão Técnica sobre Manguezais e representante da SBPC, Flavia alerta sobre a importância de conservar os manguezais que são fontes de emprego e renda gerados pela produção de várias espécies de peixes e frutos marinhos, como caranguejos, moluscos, siri, marisco, ostra e camarão, dentre outros. Produzem também alimentos para aves, como o guará, cujos ninhos são feitos no alto das árvores à beira dos manguais e lamaçais litorâneos. Segundo ela, a destruição do mangue interfere em toda cadeia econômica gerada pelos manguezais.

 

“Os mangues produzem muitos frutos, não necessariamente frutos do mar. Quando os mangues são destruídos se destrói também a produção de frutos do mar. Isso afeta a economia, provocando desemprego em várias classes de trabalhadores deste País.”, disse ela, para uma plateia composta de estudantes, cientistas e pesquisadores.

 

Nascida no Rio de Janeiro, a pesquisadora declarou que o guará foi extinto na cidade na década de 1960 e o caranguejo corre o mesmo risco de extinção diante da poluição marítima, desmatamento, erosão e habitação em áreas irregulares. Essa tendência é seguida pelos litorais de São Paulo (Santos) e Salvador. No Maranhão, onde concentra a maioria dos mangues do Brasil, há uma redução significativa dessas áreas úmidas, segundo alertou. Conforme ela, os mangues são os ecossistemas mais vulneráveis às alterações climáticas.

 

Código Florestal - De acordo com Flavia, tal situação pode ser agravada pela nova Legislação Ambiental do Brasil que estabelece percentuais de desmatamento de áreas florestais preservadas, abrindo margem para o desmatamento legalmente de mangues. Reforçando a opinião de outros cientistas, ela destaca que os mangues são Áreas de Preservação Permanente (APPs).

 

Ela considera um absurdo o texto do Código Florestal, em andamento, permitir, nas áreas dos manguezais, a construção de tanques para o cultivo predatório de espécies exóticas de camarão para atender ao mercado, permitindo a destruição dos outros frutos marinhos. “Essa não é uma produção de alimentos sustentáveis”, disse.

 

Fonte: Viviane Monteiro – Jornal da Ciência

 


19 de junho de 2012 | nenhum comentário »

Diretora do IPEVS ministra palestra na CicloVet 2012 – UEL

Nos dias 13 a 17 de junho de 2012 ocorreu na UEL – Universidade Estadual de Londrina a XXIX Semana Acadêmica de Medicina Veterinária e VII Mostra de Trabalhos Científicos – Ciclo Vet 2012. O evento é realizado anualmente pelo curso de Medicina Veterinária da UEL, dividido em módulos sobre os seguintes temas: animais de companhia, grandes animais, animais silvestres, medicina veterinária complementar e medicina veterinária preventiva.

A convite da organização da CicloVet a Bióloga e Diretora Administrativa do IPEVS Lívea Samara de Almeida foi uma das palestrantes da semana acadêmica no módulo animais silvestres falando sobre Métodos em Primatologia Ex-situ e In-situ, um dos principais temas de sua área de atuação.

Neste ano o IPEVS completa a terceira participação na Semana Acadêmica de Medicina Veterinária da UEL, nas edições anteriores o Médico Veterinário e presidente do IPEVS Rafael Haddad abordou sobre atendimento de animais silvestres em clínicas e medicina e manejo de répteis.

 

Bióloga e Diretora do IPEVS Lívea ministrou palestra na XXIX Semana de Medicina Veterinária da UEL. Foto: IPEVS

 

Lívea Samara falou sobre Métodos em Primatologia Ex-situ e In-situ. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


4 de junho de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS inicia mês de junho com Palestras

Logo bem cedinho no primeiro dia de junho o presidente do IPEVS Rafael Haddad ministrou palestra no Tiro de Guerra de Cornélio Procópio. A instrução do dia para os soldados foi sobre Acidentes com Animais Peçonhentos, assunto de fundamental importância já que estes soldados realizam missão á campo. Rafael Haddad apresentou os animais mais comuns que possivelmente ocasionam acidentes e informou sobre os procedimentos de primeiros socorros. Para finalizar Rafael realizou uma aula prática com os animais citados ao longo da instrução, proporcionando aos participantes sanar dúvidas frequentes sobre mitos que envolvem acidentes com abelhas, aranhas, escorpiões e serpentes.

No mesmo dia, no começo da noite, a equipe do IPEVS esteve presente no XIII Semana de Biologia e II Simpósio em Educação em Saúde e Ambiente para o Ensino de Ciência, evento realizado pelo Curso de Ciências Biológicas da UENP – Universidade do Norte do Paraná – Campus Jataizinho.

O Biólogo e Médico Veterinário Rafael Haddad participou do evento ministrando uma palestra sobre Manejo e Reprodução de Répteis em Cativeiro.  A palestra também teve uma parte prática, sendo possível aos alunos conhecerem técnicas e procedimentos essenciais no manejo de répteis.

A Drª Cristina M. Pasicchio professora e integrante da Comissão Organizadora do Evento salientou a importância do evento para os alunos do curso. É uma oportunidade dos graduandos terem contato com temas que não fazem parte do cotidiano do curso desta instituição.

Palestra sobre Acidente com Animais Peçonhentos, realizada pelo Médico Veterinário Rafael Haddad no Tiro de Guerra de Cornélio. Foto: IPEVS

 

Realização de aula prática na instrução para os soldados do Tiro de Guerra de Cornélio. Foto: IPEVS

 

Sargento Lopes agradeceu o presidente do IPEVS Rafael Haddad por ministrar palestra. Foto: IPEVS

 

Ainda no mesmo dia, no início da noite, a equipe do IPEVS esteve na UENP de Jacarezinho. Foto: IPEVS

 

Alunos do Curso de Ciências Biológicas da UENP de Jacarezinho em palestra ministrada por Rafael Haddad na XII Semana de Bio. Foto: IPEVS

Rafael Haddad e Lívea Almeida (Biólogos), realizando sexagem de serpente, parte prática do curso realizado na UENP em Jacarezinho. Foto: IPEVS


31 de maio de 2012 | nenhum comentário »

XXIX Semana Acadêmica de Medicina Veterinária – Ciclo Vet da UEL

O Curso de Medicina Veterinária da UEL –  Universidade Estadual de Londrina promove de 13 a 17 de junho a XXIX Semana Acadêmica de Medicina Veterinária – Ciclo Vet – VII Mostra Acadêmica de Trabalhos Científicos da UEL.  Este ano a Ciclo Vet abordará os seguintes assuntos: animais de companhia, grandes animais, animais silvestres, medicina veterinária preventiva e medicina veterinária complementar.

O evento contará com a participação da Diretora Administrativa do IPEVS  Lívea Samara de Almeida (Bióloga e  graduanda do curso de Medicina Veterinária), que irá ministrar palestra sobre Estudo com primatas in situ, que será realizada no dia 15/06.

 

Confira a programação completa no site http://www.vetjr.com.br/

 

Fonte: Ascom IPEVS


30 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Rafael Haddad Ministra Palestra sobre Acidentes com Animais Peçonhentos para alunos do curso de Medicina Veterinária da UENP – Campus Bandeirantes

A convite de Ellen de Souza Marquez professora da UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná – Campus Bandeirantes, Rafael Haddad (presidente do IPEVS e Médico Veterinário) no dia 29 de maio,  ministrou palestra para os alunos do 8º semestre do curso de Medicina veterinária sobre Acidente com Animais Peçonhentos.

O tema faz parte do conteúdo da disciplina de toxicologia, e segundo a Prof. Ellen o convite é realizado com frequência para que Rafael Haddad venha apresentar o assunto para os alunos  devido sua experiência e por ser uma das áreas de trabalho realizado pelo  IPEVS.

Anteriormente a palestra os alunos visitaram o CEAMA – Centro de Educação Ambiental Mundo Animal.  Na ocasião os graduandos puderam conhecer de perto as serpentes e outros animais que encontram-se em exposição.

 

Alunos do curso de Medicina Veterinário da UENP - Bandeirantes na palestra sobre Acidente com Animais Peçonhentos. Foto: IPEVS

Rafael Haddad presidente do IPEVS, convidado para ministrar palestra para alunos do curso de Medicina Veterinária. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


7 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Rafael Haddad representa IPEVS e CRMV no I Encontro de Ética , Bioética e Bem-Estar Animal em Bandeirantes.

No início do mês de maio ocorreu o I Encontro de Ética, Bioética e Bem-Estar Animal evento organizado pela APA – Associação Protetora dos Animais e Curso de Medicina Veterinária, evento realizado na UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná – Campus Bandeirantes.

No evento estiveram presentes palestrantes, Médicos Veterinários, que explanaram sobre ética, direitos e bem estar dos animais. O presidente do IPEVS e Médico Veterinário Rafael Haddad encerrou o ciclo de palestras com o tema Bem-Estar de Animais Silvestres em Cativeiro.

Na ocasião a Professora Dr ª Ana Paula M. E. S. Trad, coordenadora do evento, agradeceu a disponibilidade e o auxílio dispensado por Haddad e o CRMV.  Rafael Haddad esteve no evento também como representante do CRMV – PR Conselho Regional de Medicina Veterinária, sendo ele Delegado Regional do CRMV de Cornélio Procópio.

Rafael Haddad Médico Veterinário e presidente do IPEVS realiza palestra de Bem estar de animais silvestres em cativeiro. Foto: IPEVS

 

 

a Professora Dr ª Ana Paula M. E. S. Trad, coordenadora do evento agradeceu a presença de Rafael Haddad, que na ocasião representou o IPEVS e CRMV. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


15 de março de 2012 | nenhum comentário »

Rafael Haddad, Presidente do IPEVS, ministra palestras em comemoração ao Dia Nacional dos Animais

Na semana em que se comemorou o Dia Nacional dos Animais (14/03) o Médico Veterinário e Biólogo Rafael Haddad ministrou palestras na escola Dom Bosco e na ONG Orar que realiza projetos sociais no município de Cornélio Procópio.  Na ocasião Rafael abordou sobre os cuidados que todos devem ter com seus animais de estimação.

O público alvo dessas palestras foram crianças matriculadas no ensino fundamental, as quais participaram ativamente e deram diversos relatos sobre acontecimentos diários que envolvem o tema.

Segundo a Prof. Juliana Brancalhão Santana Ribeiro do Colégio Dom Bosco “Muita gente ainda ignora a existência dos animais, maltratando ou abandonando-os. Pesquisas comprovam os benefícios físicos e mentais que a convivência com bichos de estimação trazem para as pessoas. A interação entre pessoas e animais, na troca de carinho, confiança e cuidados, tem se tornado um excelente remédio contra ansiedade, depressão e estresse. Nesta palestra, os alunos aprenderam os diversos cuidados que devemos ter com os animais, principalmente na escolha dos bichinhos de estimação. Enfim… aprenderam que independente da raça ou tipo, o animal merece carinho, respeito e cuidado.”

Rafael Haddad, que é Presidente do IPEVS, salientou que ações deste tipo devem fazer parte do cotidiano das escolas públicas e privadas da rede de ensino, e que somente com educação e conscientização a longo prazo é que se pode diminuir os casos de abandono e maus tratos.

Rafael Haddad e as crianças da ONG Orar em palestra sobre Bem estar animal. Foto: IPEVS

 

Alunos da Escola Dom Bosco também receberam informações sobre cuidados com animais de estimação. Foto: IPEVS

 

Alunos do Colégio Dom Bosco, Professora Juliana Brancalhão e Rafael Haddad médico veterinário que ministrou palestra em comemoração ao Dia Nacional dos Animais. Foto: IPEVS

 

 

Fonte: Ascom IPEVS com informações da Delegacia Regional do CRMV de Cornélio Procópio


27 de janeiro de 2012 | nenhum comentário »

Biólogos vão rastrear caça ilegal do boto-vermelho na Amazônia

Boto-cor-de-rosa (Foto: Divulgação/Ampa)

Segundo levantamento divulgado em 2011, população de boto-cor-de-rosa caiu pela metade devido à pesca predatória. (Foto: Divulgação/Ampa)

 

Um levantamento que será realizado ao longo de 2012 por biólogos nas cidades de Manacapuru e Beruri, ambas no Amazonas, vai detectar os efeitos da pesca da piracatinga (Calophysus macropterus), peixe também conhecido como douradinha, sobre a população dos botos-vermelhos (Inia geoffrensis), também conhecidos como botos-cor-de-rosa.

Um rastreamento em frigoríficos e entrevistas com pescadores serão realizados por especialistas ligados à Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa) e ao Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa), para descobrir as práticas de pesca da douradinha, um peixe que consome carne apodrecida e é atraído por armadilhas onde a isca é a carne de boto.

A prática, difundida no interior do estado, também ocorre em zonas próximas a Manaus, capital do Amazonas. Segundo Sannie Brum, bióloga e pesquisadora da Ampa, frigoríficos têm financiado a pesca na região e causando o aumento da mortalidade de botos.

“São montados ‘currais’ para depósito da carga de piracatinga. Como eles (os pescadores) não querem gastar dinheiro com iscas, caçam os botos. Queremos entender este mercado, quanto custa o quilo do pescado, para quem é vendido e vamos tentar encontrar alternativas para evitar a caça do boto na captura da douradinha”, afirma Sannie.

Caça predatória
De acordo com um estudo divulgado em 2011, em dez anos a população de botos da Amazônia reduziu pela metade. O levantamento, feito por amostragem na região de Tefé, apontou que morre por ano uma quantidade de animais sete vezes maior que o limite permitido.

Outro dado importante aponta que cada boto-vermelho, que chega a medir 2,5 metros e pesar 180 kg, pode render ao menos uma tonelada de piracatinga. Na região de Tefé, estima-se a pesca de 400 toneladas do pescado ao ano, sendo que grande parte da carga é enviada para a Colômbia.

“Já na região de Manacapuru e Beruri, os peixes vão para o comércio local e também são enviados para São Paulo e para o Nordeste”, disse a pesquisadora.

Com custo de R$ 30 mil, financiados pela Fundação Boticário, pesquisadores vão percorrer a região do Baixo Rio Purus, onde a prática ilegal de caça ao boto tem ocorrido de forma velada. Enquanto na região de Tefé os pescadores colocam a carne em caixas, na bacia do Purus são utilizadas redes leves que podem ser escondidas em possíveis flagrantes.

“Já temos relatos de que somente nesta área foram mortos em um único dia cerca de 40 botos. A partir da nossa pesquisa, vamos preparar diretrizes para aumentar a fiscalização nessas regiões, mas, principalmente, melhorar a imagem do boto junto às comunidades”, comenta.

piracantinga (Foto: Divulgação/Ampa)


« Página anterior





Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

maio 2017
S T Q Q S S D
« mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

27 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Polícia indonésia apreende 14 corpos preservados de tigres-de-sumatra

Espécie natural da região está criticamente ameaçada de extinção.
Em casa ao sul de Jacarta também havia corpos de leão, ursos e cervos.

Catorze corpos preservados de tigres-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae) foram apreendidos pela polícia da Indonésia em uma residência na cidade suburbana de Cibubur, localizada ao sul da capital Jacarta.

A espécie natural da região está criticamente ameaçada. Ambientalistas temem que esses felinos sejam extintos na próxima década em decorrência da caça ilegal e da perda do habitat natural, por causa do desmatamento para exploração de madeira ou plantação de palmeiras. Estima-se que existam apenas 400 tigres-de-sumatra livres na natureza.

Além dos tigres, foram apreendidos corpos preservados de outras espécies, como leão, ursos e cervos.

Tigres sumatra (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Corpos de tigres-de-sumatra foram preservados para virar objeto de 'decoração' (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 2 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Espécie natural da Ilha de Sumatra, na Indonésia, está ameaçada de extinção (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 3 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

No local de apreensão dos tigres, também havia leão, ursos e cervos preservados (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Fonte: Globo Natureza


20 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Verba para conservação de biomas

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) lançará, em setembro, edital destinado a selecionar projetos que proponham atividades voltadas para Unidades de Conservação (UCs), manejo de paisagens e de espécies nativas, para capacitação e que beneficiem as comunidades locais. O Funbio dispõe de R$ 7,5 milhões para investir nos projetos que atenderem às exigências desse edital. Haverá, também, nova abertura para a seleção de propostas destinadas às redes dos biomas mata atlântica e caatinga, via edital, no valor total de R$ 2,2 milhões para executar projetos ambientais.

A decisão de publicar os editais foi tomada durante a 4ª Reunião Ordinária do Comitê da Conta TFCA, sigla em inglês para Tropical Forest Conservation Act. Trata-se de um acordo bilateral, firmado entre Brasil e Estados Unidos em 2011, que prevê investimentos superiores a R$ 40 milhões (20 milhões de dólares) até 2014.

Administração - De acordo com a diretora da Gerência de Conservação da Biodiversidade da Secretaria de Biodiversidade e Florestas (SBF/MMA), Daniela Suárez de Oliveira, os recursos repassados pelo Tesouro brasileiro são administrados pelo Funbio. “O dinheiro é investido em projetos voltados à conservação das florestas do Brasil”, explica.

Este ano já foram selecionados três projetos de apoio às redes socioambientais do cerrado no valor de R$ 1,1 milhão. Integram o Comitê da Conta TFCA representantes dos Ministérios do Meio Ambiente, da Fazenda e Relações Exteriores, além da Comissão Nacional de Biodiversidade (Conabio), da Comissão Nacional de Florestas (Conaflor) e do governo americano.

Fonte: Luciene de Assis/MMA


22 de junho de 2012 | nenhum comentário »

Rio+20: Cientista alerta sobre desaparecimento dos mangues do Brasil

Essenciais para a produção de frutos do mar, água doce e aves, os mangues – áreas de florestas inundadas pelas marés – estão desaparecendo no Brasil em decorrência do desmatamento das florestas e poluição dos mares. O alerta é de Flavia Mochel, professora da Universidade Federal do Maranhão, durante a palestra sobre o tema “O Mangue está na lama”, em uma alusão à grave situação em que se encontram os mangues. Promovido pela SBPC, o evento foi realizado quarta-feira  (20), no Armazém 4, do Pier Mauá, zona portuária do Rio de Janeiro, durante a Rio+20.

Segundo estima a pesquisadora, cerca de 50%, em média, dos mangues brasileiros estão comprometidos na maioria das capitais do País.

 

Também presidente da Comissão Técnica sobre Manguezais e representante da SBPC, Flavia alerta sobre a importância de conservar os manguezais que são fontes de emprego e renda gerados pela produção de várias espécies de peixes e frutos marinhos, como caranguejos, moluscos, siri, marisco, ostra e camarão, dentre outros. Produzem também alimentos para aves, como o guará, cujos ninhos são feitos no alto das árvores à beira dos manguais e lamaçais litorâneos. Segundo ela, a destruição do mangue interfere em toda cadeia econômica gerada pelos manguezais.

 

“Os mangues produzem muitos frutos, não necessariamente frutos do mar. Quando os mangues são destruídos se destrói também a produção de frutos do mar. Isso afeta a economia, provocando desemprego em várias classes de trabalhadores deste País.”, disse ela, para uma plateia composta de estudantes, cientistas e pesquisadores.

 

Nascida no Rio de Janeiro, a pesquisadora declarou que o guará foi extinto na cidade na década de 1960 e o caranguejo corre o mesmo risco de extinção diante da poluição marítima, desmatamento, erosão e habitação em áreas irregulares. Essa tendência é seguida pelos litorais de São Paulo (Santos) e Salvador. No Maranhão, onde concentra a maioria dos mangues do Brasil, há uma redução significativa dessas áreas úmidas, segundo alertou. Conforme ela, os mangues são os ecossistemas mais vulneráveis às alterações climáticas.

 

Código Florestal - De acordo com Flavia, tal situação pode ser agravada pela nova Legislação Ambiental do Brasil que estabelece percentuais de desmatamento de áreas florestais preservadas, abrindo margem para o desmatamento legalmente de mangues. Reforçando a opinião de outros cientistas, ela destaca que os mangues são Áreas de Preservação Permanente (APPs).

 

Ela considera um absurdo o texto do Código Florestal, em andamento, permitir, nas áreas dos manguezais, a construção de tanques para o cultivo predatório de espécies exóticas de camarão para atender ao mercado, permitindo a destruição dos outros frutos marinhos. “Essa não é uma produção de alimentos sustentáveis”, disse.

 

Fonte: Viviane Monteiro – Jornal da Ciência

 


19 de junho de 2012 | nenhum comentário »

Diretora do IPEVS ministra palestra na CicloVet 2012 – UEL

Nos dias 13 a 17 de junho de 2012 ocorreu na UEL – Universidade Estadual de Londrina a XXIX Semana Acadêmica de Medicina Veterinária e VII Mostra de Trabalhos Científicos – Ciclo Vet 2012. O evento é realizado anualmente pelo curso de Medicina Veterinária da UEL, dividido em módulos sobre os seguintes temas: animais de companhia, grandes animais, animais silvestres, medicina veterinária complementar e medicina veterinária preventiva.

A convite da organização da CicloVet a Bióloga e Diretora Administrativa do IPEVS Lívea Samara de Almeida foi uma das palestrantes da semana acadêmica no módulo animais silvestres falando sobre Métodos em Primatologia Ex-situ e In-situ, um dos principais temas de sua área de atuação.

Neste ano o IPEVS completa a terceira participação na Semana Acadêmica de Medicina Veterinária da UEL, nas edições anteriores o Médico Veterinário e presidente do IPEVS Rafael Haddad abordou sobre atendimento de animais silvestres em clínicas e medicina e manejo de répteis.

 

Bióloga e Diretora do IPEVS Lívea ministrou palestra na XXIX Semana de Medicina Veterinária da UEL. Foto: IPEVS

 

Lívea Samara falou sobre Métodos em Primatologia Ex-situ e In-situ. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


4 de junho de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS inicia mês de junho com Palestras

Logo bem cedinho no primeiro dia de junho o presidente do IPEVS Rafael Haddad ministrou palestra no Tiro de Guerra de Cornélio Procópio. A instrução do dia para os soldados foi sobre Acidentes com Animais Peçonhentos, assunto de fundamental importância já que estes soldados realizam missão á campo. Rafael Haddad apresentou os animais mais comuns que possivelmente ocasionam acidentes e informou sobre os procedimentos de primeiros socorros. Para finalizar Rafael realizou uma aula prática com os animais citados ao longo da instrução, proporcionando aos participantes sanar dúvidas frequentes sobre mitos que envolvem acidentes com abelhas, aranhas, escorpiões e serpentes.

No mesmo dia, no começo da noite, a equipe do IPEVS esteve presente no XIII Semana de Biologia e II Simpósio em Educação em Saúde e Ambiente para o Ensino de Ciência, evento realizado pelo Curso de Ciências Biológicas da UENP – Universidade do Norte do Paraná – Campus Jataizinho.

O Biólogo e Médico Veterinário Rafael Haddad participou do evento ministrando uma palestra sobre Manejo e Reprodução de Répteis em Cativeiro.  A palestra também teve uma parte prática, sendo possível aos alunos conhecerem técnicas e procedimentos essenciais no manejo de répteis.

A Drª Cristina M. Pasicchio professora e integrante da Comissão Organizadora do Evento salientou a importância do evento para os alunos do curso. É uma oportunidade dos graduandos terem contato com temas que não fazem parte do cotidiano do curso desta instituição.

Palestra sobre Acidente com Animais Peçonhentos, realizada pelo Médico Veterinário Rafael Haddad no Tiro de Guerra de Cornélio. Foto: IPEVS

 

Realização de aula prática na instrução para os soldados do Tiro de Guerra de Cornélio. Foto: IPEVS

 

Sargento Lopes agradeceu o presidente do IPEVS Rafael Haddad por ministrar palestra. Foto: IPEVS

 

Ainda no mesmo dia, no início da noite, a equipe do IPEVS esteve na UENP de Jacarezinho. Foto: IPEVS

 

Alunos do Curso de Ciências Biológicas da UENP de Jacarezinho em palestra ministrada por Rafael Haddad na XII Semana de Bio. Foto: IPEVS

Rafael Haddad e Lívea Almeida (Biólogos), realizando sexagem de serpente, parte prática do curso realizado na UENP em Jacarezinho. Foto: IPEVS


31 de maio de 2012 | nenhum comentário »

XXIX Semana Acadêmica de Medicina Veterinária – Ciclo Vet da UEL

O Curso de Medicina Veterinária da UEL –  Universidade Estadual de Londrina promove de 13 a 17 de junho a XXIX Semana Acadêmica de Medicina Veterinária – Ciclo Vet – VII Mostra Acadêmica de Trabalhos Científicos da UEL.  Este ano a Ciclo Vet abordará os seguintes assuntos: animais de companhia, grandes animais, animais silvestres, medicina veterinária preventiva e medicina veterinária complementar.

O evento contará com a participação da Diretora Administrativa do IPEVS  Lívea Samara de Almeida (Bióloga e  graduanda do curso de Medicina Veterinária), que irá ministrar palestra sobre Estudo com primatas in situ, que será realizada no dia 15/06.

 

Confira a programação completa no site http://www.vetjr.com.br/

 

Fonte: Ascom IPEVS


30 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Rafael Haddad Ministra Palestra sobre Acidentes com Animais Peçonhentos para alunos do curso de Medicina Veterinária da UENP – Campus Bandeirantes

A convite de Ellen de Souza Marquez professora da UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná – Campus Bandeirantes, Rafael Haddad (presidente do IPEVS e Médico Veterinário) no dia 29 de maio,  ministrou palestra para os alunos do 8º semestre do curso de Medicina veterinária sobre Acidente com Animais Peçonhentos.

O tema faz parte do conteúdo da disciplina de toxicologia, e segundo a Prof. Ellen o convite é realizado com frequência para que Rafael Haddad venha apresentar o assunto para os alunos  devido sua experiência e por ser uma das áreas de trabalho realizado pelo  IPEVS.

Anteriormente a palestra os alunos visitaram o CEAMA – Centro de Educação Ambiental Mundo Animal.  Na ocasião os graduandos puderam conhecer de perto as serpentes e outros animais que encontram-se em exposição.

 

Alunos do curso de Medicina Veterinário da UENP - Bandeirantes na palestra sobre Acidente com Animais Peçonhentos. Foto: IPEVS

Rafael Haddad presidente do IPEVS, convidado para ministrar palestra para alunos do curso de Medicina Veterinária. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


7 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Rafael Haddad representa IPEVS e CRMV no I Encontro de Ética , Bioética e Bem-Estar Animal em Bandeirantes.

No início do mês de maio ocorreu o I Encontro de Ética, Bioética e Bem-Estar Animal evento organizado pela APA – Associação Protetora dos Animais e Curso de Medicina Veterinária, evento realizado na UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná – Campus Bandeirantes.

No evento estiveram presentes palestrantes, Médicos Veterinários, que explanaram sobre ética, direitos e bem estar dos animais. O presidente do IPEVS e Médico Veterinário Rafael Haddad encerrou o ciclo de palestras com o tema Bem-Estar de Animais Silvestres em Cativeiro.

Na ocasião a Professora Dr ª Ana Paula M. E. S. Trad, coordenadora do evento, agradeceu a disponibilidade e o auxílio dispensado por Haddad e o CRMV.  Rafael Haddad esteve no evento também como representante do CRMV – PR Conselho Regional de Medicina Veterinária, sendo ele Delegado Regional do CRMV de Cornélio Procópio.

Rafael Haddad Médico Veterinário e presidente do IPEVS realiza palestra de Bem estar de animais silvestres em cativeiro. Foto: IPEVS

 

 

a Professora Dr ª Ana Paula M. E. S. Trad, coordenadora do evento agradeceu a presença de Rafael Haddad, que na ocasião representou o IPEVS e CRMV. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


15 de março de 2012 | nenhum comentário »

Rafael Haddad, Presidente do IPEVS, ministra palestras em comemoração ao Dia Nacional dos Animais

Na semana em que se comemorou o Dia Nacional dos Animais (14/03) o Médico Veterinário e Biólogo Rafael Haddad ministrou palestras na escola Dom Bosco e na ONG Orar que realiza projetos sociais no município de Cornélio Procópio.  Na ocasião Rafael abordou sobre os cuidados que todos devem ter com seus animais de estimação.

O público alvo dessas palestras foram crianças matriculadas no ensino fundamental, as quais participaram ativamente e deram diversos relatos sobre acontecimentos diários que envolvem o tema.

Segundo a Prof. Juliana Brancalhão Santana Ribeiro do Colégio Dom Bosco “Muita gente ainda ignora a existência dos animais, maltratando ou abandonando-os. Pesquisas comprovam os benefícios físicos e mentais que a convivência com bichos de estimação trazem para as pessoas. A interação entre pessoas e animais, na troca de carinho, confiança e cuidados, tem se tornado um excelente remédio contra ansiedade, depressão e estresse. Nesta palestra, os alunos aprenderam os diversos cuidados que devemos ter com os animais, principalmente na escolha dos bichinhos de estimação. Enfim… aprenderam que independente da raça ou tipo, o animal merece carinho, respeito e cuidado.”

Rafael Haddad, que é Presidente do IPEVS, salientou que ações deste tipo devem fazer parte do cotidiano das escolas públicas e privadas da rede de ensino, e que somente com educação e conscientização a longo prazo é que se pode diminuir os casos de abandono e maus tratos.

Rafael Haddad e as crianças da ONG Orar em palestra sobre Bem estar animal. Foto: IPEVS

 

Alunos da Escola Dom Bosco também receberam informações sobre cuidados com animais de estimação. Foto: IPEVS

 

Alunos do Colégio Dom Bosco, Professora Juliana Brancalhão e Rafael Haddad médico veterinário que ministrou palestra em comemoração ao Dia Nacional dos Animais. Foto: IPEVS

 

 

Fonte: Ascom IPEVS com informações da Delegacia Regional do CRMV de Cornélio Procópio


27 de janeiro de 2012 | nenhum comentário »

Biólogos vão rastrear caça ilegal do boto-vermelho na Amazônia

Boto-cor-de-rosa (Foto: Divulgação/Ampa)

Segundo levantamento divulgado em 2011, população de boto-cor-de-rosa caiu pela metade devido à pesca predatória. (Foto: Divulgação/Ampa)

 

Um levantamento que será realizado ao longo de 2012 por biólogos nas cidades de Manacapuru e Beruri, ambas no Amazonas, vai detectar os efeitos da pesca da piracatinga (Calophysus macropterus), peixe também conhecido como douradinha, sobre a população dos botos-vermelhos (Inia geoffrensis), também conhecidos como botos-cor-de-rosa.

Um rastreamento em frigoríficos e entrevistas com pescadores serão realizados por especialistas ligados à Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa) e ao Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa), para descobrir as práticas de pesca da douradinha, um peixe que consome carne apodrecida e é atraído por armadilhas onde a isca é a carne de boto.

A prática, difundida no interior do estado, também ocorre em zonas próximas a Manaus, capital do Amazonas. Segundo Sannie Brum, bióloga e pesquisadora da Ampa, frigoríficos têm financiado a pesca na região e causando o aumento da mortalidade de botos.

“São montados ‘currais’ para depósito da carga de piracatinga. Como eles (os pescadores) não querem gastar dinheiro com iscas, caçam os botos. Queremos entender este mercado, quanto custa o quilo do pescado, para quem é vendido e vamos tentar encontrar alternativas para evitar a caça do boto na captura da douradinha”, afirma Sannie.

Caça predatória
De acordo com um estudo divulgado em 2011, em dez anos a população de botos da Amazônia reduziu pela metade. O levantamento, feito por amostragem na região de Tefé, apontou que morre por ano uma quantidade de animais sete vezes maior que o limite permitido.

Outro dado importante aponta que cada boto-vermelho, que chega a medir 2,5 metros e pesar 180 kg, pode render ao menos uma tonelada de piracatinga. Na região de Tefé, estima-se a pesca de 400 toneladas do pescado ao ano, sendo que grande parte da carga é enviada para a Colômbia.

“Já na região de Manacapuru e Beruri, os peixes vão para o comércio local e também são enviados para São Paulo e para o Nordeste”, disse a pesquisadora.

Com custo de R$ 30 mil, financiados pela Fundação Boticário, pesquisadores vão percorrer a região do Baixo Rio Purus, onde a prática ilegal de caça ao boto tem ocorrido de forma velada. Enquanto na região de Tefé os pescadores colocam a carne em caixas, na bacia do Purus são utilizadas redes leves que podem ser escondidas em possíveis flagrantes.

“Já temos relatos de que somente nesta área foram mortos em um único dia cerca de 40 botos. A partir da nossa pesquisa, vamos preparar diretrizes para aumentar a fiscalização nessas regiões, mas, principalmente, melhorar a imagem do boto junto às comunidades”, comenta.

piracantinga (Foto: Divulgação/Ampa)


« Página anterior