IPEVS

Harpia que vive em cativeiro pode voltar à natureza a qualquer momento

Harpia do Zoológico de Curitiba - PR
Harpia do Zoológico de Curitiba - PR

Danielle Jordan / AmbienteBrasil

A harpia, ou gavião-real, vive em um cativeiro na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estação Veracel, entre os municípios de Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro.  A ave foi resgatada por fiscais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e desde 1997 vive em um ambiente construído especialmente para ela na RPPN.

Desde 2004 um projeto de readaptação está sendo desenvolvido para que o animal retorne a natureza. A soltura da Harpia poderá ocorrer na Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN Estação Veracel ou Parque Nacional-PARNA Pau-Brasil. “Os estudos de levantamento de aves de rapina indicam que o PARNA Pau-Brasil é o local mais adequado”, explica o pesquisador da ONG SOS Falconiformes, Gustavo Carvalho.

Assim que chegou à reserva o animal recebeu cuidados para tratar lesões e se fortalecer. Todos os meses Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), SOS Falconiformes e Associação Brasileira de Falcoaria e Preservação de Aves de Rapina (ABFPAR), acompanham  a evolução da ave.

Os resultados obtidos em cativeiro tem sido positivos, de acordo com o pesquisador, e o animal deve ser solto em junho.

Durante três anos a ave será acompanhada por satélite por meio de um transmissor microwave PTT monitorado pelo satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Nacionais (INPE). “Além disso, através de um transmissor VHF os pesquisadores poderão realizar um acompanhamento em campo do animal”, explica o pesquisador.

Caso de sucesso

Em maio de 2008 uma fêmea subadulta da mesma espécie foi encaminhada pelo IBAMA ao projeto. Depois de avaliada a condição do animal foi solta no Parque Nacional do Pau-Brasil e está sendo monitorada via satélite e em campo, via rádio VHF.

Deixe um comentário