19 de março de 2012 | nenhum comentário »

Olho do tamanho de bola de basquete ajudaria lula gigante a fugir de baleia

Visão potente captaria mais luz e perceberia proximidade de predador.
Segundo estudo, lula gigante ganha tempo para preparar a fuga.

Olho do tamanho de bola de basquete ajuda lula gigante a perceber aproximação de predadores (Foto: Divulgação / NTNU Museum of Natural History and Archeaology / Wikimedia Commons)

Olho do tamanho de bola de basquete ajuda lula gigante a perceber aproximação de predadores (Foto: Divulgação / NTNU Museum of Natural History and Archeaology / Wikimedia Commons)

Lulas gigantes tem olhos do tamanho de uma bola de basquete para fugir de predadores maiores, como as baleias cachalotes. A conclusão é de um estudo publicado nesta quinta-feira (15) na revista científica “Current Biology”.

Segundo os pesquisadores, os olhos enormes são capazes de captar mais luz e de detectar pequenas diferenças de contraste na água turva do oceano profundo. Deste modo, seria possível perceber a aproximação da cachalote, já que ela agita microorganismos bioluminescentes presentes na água.

“A predação por baleias grandes e com dentes levou ao surgimento de gigantismo nos olhos destas lulas”, afirmou Sonke Jonhsen, biólogo da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, responsável pelo estudo.

A luz emitida por estes microorganismos seria percebida pela visão poderosa da lula gigante a uma distância de até 120 metros. No entanto, antes mesmo deste ponto, o sonar da cachalote já seria capaz de detectar o molusco. Por isso, enxergar bem ajudaria a lula a planejar uma fuga.

Para chegar à conclusão, a equipe de cientistas analisou o tamanho dos olhos da lula gigante, a claridade da água e a quantidade de luz disponível nas profundidades onde o molusco é encontrado – entre 300 e 1000 metros.

 

 

 

 

 

Fonte: Globo Natureza


30 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Holanda monta megaoperação para transferir orca de avião até a Espanha

Mamífero aquático passava por reabilitação em aquário de Harderwijk.
Decisão judicial autorizou transferência para zoológico nas Canárias.

Uma megaoperação foi montada na madrugada desta terça-feira (29) durante a transferência da orca Morgan da Holanda para as Canárias, na Espanha. O animal deixou o Dolfinarium Harderwijk, um dos parque de animais marinhos mais importante do mundo  e localizado em Harderwijk, e seria levado de avião para um jardim zoológico de Tenerife, nas Canárias.

A baleia, que pesa cerca de 1,4 tonelada, foi colocada em um contêiner e içada por um guindaste antes de ser levada de caminhão, com escolta policial, até o aeroporto de Amsterdã. De acordo com o biólogo marinho Brad Andrews, o mamífero aquático estava tranquilo e nenhum tipo de sedativo foi injetado. Antes da mudança, o animal passou por 16 simulações da transferência.

A orca Morgan é transferido para a Espanha (Foto: Marco Hofste/Dolfinarium/AP)

A orca Morgan é içada até um caminhão que a transportaria direto para o aeroporto Schiphol, em Amsterdã.(Foto: Marco Hofste/Dolfinarium/AP)

Polêmica
A mudança de local da orca Morgan foi polêmica e a operação realizada nesta madrugada só foi possível a partir de uma decisão judicial. O animal foi localizado doente no mar do Wadden (norte da Holanda) em 2010 e desde então se recuperava no parque holandês.

O julgamento em Amsterdã, ocorrido na semana passada, deu sinal verde à decisão do governo de enviar a orca para Tenerife, pois as instalações do aquário eram pequenas. Um grupo de ativistas recorreu da decisão pedindo que o animal fosse devolvido ao mar, mas não obtiveram sucesso.

No zoológico espanhol, Morgan deve se adaptar às novas companhias por meio da bioacústica, uma técnica que consiste em emitir sons gravados.

A orca Morgan é transferida para a Espanha (Foto: Bas Czerwinski/AP)

O mamífero aquático seguiria em um voo até a Espanha, onde passará a viver em um zoológico das Canárias (Foto: Bas Czerwinski/AP)

Fonte: Globo Natureza, com informações da EFE, da Associated Press e da France Presse


30 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Baleia com mais de 20 toneladas é encontrada morta em praia da França

Exemplar pertencente à família das Balaenopteridae foi visto nesta terça.
Chegada do inverno na Europa faz baleias migrarem para Hemisfério Sul.

Um exemplar de baleia-de-bossa, pertencente à família das Balaenopteridae, com cerca de 20 toneladas foi encontrado nesta terça-feira (29) por surfistas em uma praia na região de Pointe de la Torche, próximo  à cidade de Brest, no oeste da França. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

Um exemplar de baleia-de-bossa ou rorqual, pertencente à família das Balaenopteridae, com mais de 20 toneladas foi encontrado nesta terça-feira (29) por surfistas em uma praia na região de Pointe de la Torche, próximo à cidade de Brest, no oeste da França. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

No início do inverno, as baleias começam a sua migração rumo a águas mais quentes do Hemisfério Sul e passam por áreas mais distantes da costa da Bretanha. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

No início do inverno na Europa, as baleias começam a sua migração rumo a águas mais quentes do Hemisfério Sul e passam por áreas mais distantes da costa francesa. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


30 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

SC: sobe para 108 o nº de animais marinhos encontrados mortos

Subiu para 108 o número de animais marinhos encontrados mortos na costa catarinense. Desde o início do monitoramento realizado por biólogos do Museu Oceanográfico da Universidade do Vale do Itajaí (Univali)foram registrados o aparecimento de 90 tartarugas verdes (Chelonia mydas), três golfinhos cinza (Sotalia guianensis), 12 botos (Tursiops truncatus), conhecidos como “boto flíper” ou “boto da tainha”, uma baleia jubarte (Megaptera novaeangliae), uma baleia-minke-antártica (Balaenoptera bonaerensis), e uma toninha (Pontoporia blainvillei).

Especialistas acompanham o caso e apontam como causa preliminar o uso de redes de emalhe, proibidas na pesca. Essa suspeita, no entanto, ainda não foi confirmada e outras possibilidades estão sendo estudadas.

Todo o material foi recolhido para análise. Os pesquisadores estão percorrendo 350 km da costa de Santa Catarina à procura de novos registros. O laudo com a causa das mortes deverá ser divulgado em breve.

Fonte: Portal Terra


28 de outubro de 2011 | nenhum comentário »

Três baleias encalham na Nova Zelândia; mais jovem morre

Três baleias-bicuda-de-gray encalharam na praia Papamoa, na Nova Zelândia, confirmou o DOC (Departamento de Conversação de animais do país) nesta sexta-feira.

A mais nova das três morreu, e os voluntários do DOC tentam manter as outras duas –adultas– vivas até que a maré suba e elas possam retornar ao mar.

Voluntários tentam manter baleias vivas até que a maré suba; ao fundo, a outra sobrevivente

Voluntários tentam manter baleias vivas até que a maré suba; ao fundo, a outra sobrevivente. Foto:Ross Brown/France Presse

Fonte: De São Paulo, Folha.com


9 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Operação em Santa Catarina consegue desencalhar baleia-franca

Animal apareceu em praia de Florianópolis na última quarta-feira.
Navio da Marinha retirou mamífero de nove metros da área de arrebentação.

Um navio rebocador da Marinha do Brasil conseguiu nesta quinta-feira (8) retirar o exemplar de baleia-franca-austral ,com cerca de 15 toneladas, que estava encalhado na praia do Pântano do Sul, em Florianópolis, Santa Catarina. O mamífero apareceu preso na arrebentação da praia na manhã desta quarta-feira (7), sendo monitorado por ambientalistas, equipes do Corpo de Bombeiros e da Delegacia Especial de Polícia Marítima.

Segundo Karina Groch, diretora de pesquisa do projeto Baleia-Franca, organização ambiental que auxilia nos trabalhos de proteção dos animais marinhos em Santa Catarina, o desencalhe do espécime, um exemplar jovem, com idade entre 2 e 6 anos e nove metros de comprimento, ocorreu no início da tarde, durante o período de maré cheia.

“Tentamos dois procedimentos para a remoção. Um com a implantação de uma cinta larga no animal, para tentar minimizar lesões. Como não conseguimos, tivemos que amarrar um cabo fino, porém resistente, puxando a baleia com o barco para fora da área de arrebentação da praia”, disse Karina.

O animal, que tinha bom estado de saúde, teve pequenas lesões superficiais, mas que, segundo a organização ambiental, não comprometeriam sua sobrevivência em alto mar. Homens do Corpo de Bombeiros acompanharam o exemplar até seu percurso em direção ao mar aberto.

A APA Baleia-franca é uma zona de preservação que compreende 130 km da costa catarinense. Desde o início do ano, foram visualizados 65 exemplares de baleia-franca-austral nesta região, o que é muito comum, segundo Karina Groch. A espécie frequenta o litoral sul brasileiro durante o inverno para reprodução.

Exemplar de baleia-franco-austral nada após operação que desencalhou o animal da praia Pântano do Sul, em Florianópolis, Santa Catarina (Foto: Guto Kuerten / Agência RBS)

Exemplar de baleia-franco-austral nada após operação que desencalhou o animal da praia Pântano do Sul, em Florianópolis, Santa Catarina (Foto: Guto Kuerten / Agência RBS)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


8 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Equipe desencalha bebê baleia e o devolve para mãe

Filhote de baleia ficou preso na praia de Immingham Docks.
Após muita tensão, equipe de resgate conseguiu liberar animal.

Uma equipe de resgate conseguiu desencalhar, e devolver para a mãe, um filhote de baleia preso na lama na praia de Immingham Docks, no leste da Inglaterra.

A operação durou sete horas e foi cercada de tensão. O animal estava com cerca de dois terços do corpo sob a lama, e a maré, que subia, ameaçava cobrir de água o orifício de respiração do filhote, o que causaria seu afogamento.

Cerca de 50 bombeiros, salva-vidas e especialistas participaram do resgate. Por meio de grande esforço, a baleia bebê conseguiu se liberar e nadar, de volta com a mãe, para o Mar do Norte.

Operação durou sete horas e foi cercada de tensão. (Foto: BBC)

Operação durou sete horas e foi cercada de tensão. (Foto: BBC)

Filhote de baleia preso na lama na praia de Immingham Docks. (Foto: BBC)

Filhote de baleia ficou preso na lama na praia de Immingham Docks. (Foto: BBC)

Cerca de 50 bombeiros, salva-vidas e especialistas participaram do resgate. (Foto: BBC)

Cerca de 50 bombeiros, salva-vidas e especialistas participaram do resgate. (Foto: BBC)

Fonte: BBC


26 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Filhote de baleia jubarte encalha na praia de Itapoã, em Vila Velha

Animal é o mesmo visto à deriva na baía de Vitória na tarde de quarta (24).
A baleia apresenta mordidas de predador.

Uma baleia morta encalhou na areia da Praia de Itapoã por volta das 20h30 desta quarta-feira (24), em Vila Velha. O cheiro ruim era bem forte, mas ainda assim o animal atraiu muitos curiosos. Guardas municipais acionaram as secretarias de Meio Ambiente e de Defesa Social do município. A previsão é que o animal seja retirado na manhã desta quinta-feira (25).

Segundo o diretor do Instituto Orca, Lupércio Barbosa, a baleia é a mesma que foi vista à deriva na baía de Vitória, na tarde desta quarta. O animal, que apresenta mordidas de predador, é um filhote de jubarte, que provavelmente está morto há três dias.

Filhote de baleia jubarte encalhou na Praia de Itapoã, em Vila Velha. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Filhote de baleia jubarte encalhou na Praia de Itapoã, em Vila Velha. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Fonte: Do G1, ES


27 de julho de 2011 | nenhum comentário »

Filhote de baleia jubarte é encontrado morto em praia no sul da Bahia

filhote de baleia jubarte (Foto: Divulgação/ Pat Ecosmar)

Tecidos e órgãos foram coletados para tentar identificar causas da morte (Foto: Divulgação/ Pat Ecosmar)

Mamífero estava encalhado e tinha cerca de dois meses.
Anualmente as baleias migram para a região sul para terem filhotes.

Um filhote de baleia jubarte foi encontrado morto em uma praia da orla norte de Santa Cruz de Cabrália, no sul da Bahia, na noite de segunda-feira (25), segundo informações do Instituto Pat Ecosmar. A baleia ficou encalhada na praia, localizada no distrito de Santo André, até a manhã desta terça-feira (26) e foi retirada pela Pat Ecosmar e pelo Instituto Baleia Jubarte.

O filhote tinha dois meses e quatro metros de comprimento. Segundo Paolo Botticelli, coordenador das equipes de campo da Pat Ecosmar, o animal ainda tinha partes do cordão umbilical e, provavelmente, foi um dos primeiros nascidos na região sul da Bahia na temporada de 2011.

Não foram encontrados ferimentos na baleia, que teve tecidos e órgãos coletados na tentativa de identificar as causas da morte do mamífero.

Botticelli informou ainda que este é o segundo filhote de baleia encontrado morto na região da Costa do Descobrimento, no sul da Bahia, em 2011. O coordenador das equipes de campo da Pat Ecosmar explica que anualmente, a partir do mês de julho, as baleias jubarte migram do hemisfério norte para regiões mais quentes, como o sul da Bahia, para ter filhotes.

“É comum que os filhotes nasçam nessas regiões. As mães migram para cá porque eles nascem com pouca gordura e não conseguem suportar o frio das águas do norte. Depois que ganham uma ‘capa’ os filhotes migram de volta para a região de origem, mais ou menos entre outubro e novembro”, finaliza.

O filhote de baleia jubarte encontrado morto na praia de Santa Cruz de Cabrália foi enterrado em uma área pouco movimentada da região, em uma profundidade de três a quatro metros, obedecendo às exigências sanitárias.

Fonte: Lílian Marques, do G1, Bahia.


20 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Baleia surpreende com saltos em reserva na Patagônia argentina

Período entre junho e dezembro é de reprodução para baleia-franco-austral.
Estima-se a existência de 7.500 animais desta espécie.

O salto de uma baleia-franca-austral (Eubalaena australis) foi registrado nesta sexta-feira (17) nas águas do Oceano Atlântico, nas proximidades do povoado de Puerto Piramides, na Patagônia argentina.

Entre junho e dezembro, exemplares da espécie aparecem regularmente para reprodução nesta região de reserva marinha, localizada no Golfo Nuevo. Estima-se que existam atualmente cerca de 7.500 baleias-franca-austral, que podem medir até 18 metros e pesar cerca de 80 toneladas.

Salto de baleia-franca-austral é registrado na reserva marinha do Golfo Nuevo, na Patagônia argentina. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Salto de baleia-franca-austral é registrado na reserva marinha do Golfo Nuevo, na Patagônia argentina. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Espécie costuma ir à região argentina entre junho e dezembro para reprodução. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Espécie costuma ir à região argentina entre junho e dezembro para reprodução. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo

« Página anterior





Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

janeiro 2020
S T Q Q S S D
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

19 de março de 2012 | nenhum comentário »

Olho do tamanho de bola de basquete ajudaria lula gigante a fugir de baleia

Visão potente captaria mais luz e perceberia proximidade de predador.
Segundo estudo, lula gigante ganha tempo para preparar a fuga.

Olho do tamanho de bola de basquete ajuda lula gigante a perceber aproximação de predadores (Foto: Divulgação / NTNU Museum of Natural History and Archeaology / Wikimedia Commons)

Olho do tamanho de bola de basquete ajuda lula gigante a perceber aproximação de predadores (Foto: Divulgação / NTNU Museum of Natural History and Archeaology / Wikimedia Commons)

Lulas gigantes tem olhos do tamanho de uma bola de basquete para fugir de predadores maiores, como as baleias cachalotes. A conclusão é de um estudo publicado nesta quinta-feira (15) na revista científica “Current Biology”.

Segundo os pesquisadores, os olhos enormes são capazes de captar mais luz e de detectar pequenas diferenças de contraste na água turva do oceano profundo. Deste modo, seria possível perceber a aproximação da cachalote, já que ela agita microorganismos bioluminescentes presentes na água.

“A predação por baleias grandes e com dentes levou ao surgimento de gigantismo nos olhos destas lulas”, afirmou Sonke Jonhsen, biólogo da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, responsável pelo estudo.

A luz emitida por estes microorganismos seria percebida pela visão poderosa da lula gigante a uma distância de até 120 metros. No entanto, antes mesmo deste ponto, o sonar da cachalote já seria capaz de detectar o molusco. Por isso, enxergar bem ajudaria a lula a planejar uma fuga.

Para chegar à conclusão, a equipe de cientistas analisou o tamanho dos olhos da lula gigante, a claridade da água e a quantidade de luz disponível nas profundidades onde o molusco é encontrado – entre 300 e 1000 metros.

 

 

 

 

 

Fonte: Globo Natureza


30 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Holanda monta megaoperação para transferir orca de avião até a Espanha

Mamífero aquático passava por reabilitação em aquário de Harderwijk.
Decisão judicial autorizou transferência para zoológico nas Canárias.

Uma megaoperação foi montada na madrugada desta terça-feira (29) durante a transferência da orca Morgan da Holanda para as Canárias, na Espanha. O animal deixou o Dolfinarium Harderwijk, um dos parque de animais marinhos mais importante do mundo  e localizado em Harderwijk, e seria levado de avião para um jardim zoológico de Tenerife, nas Canárias.

A baleia, que pesa cerca de 1,4 tonelada, foi colocada em um contêiner e içada por um guindaste antes de ser levada de caminhão, com escolta policial, até o aeroporto de Amsterdã. De acordo com o biólogo marinho Brad Andrews, o mamífero aquático estava tranquilo e nenhum tipo de sedativo foi injetado. Antes da mudança, o animal passou por 16 simulações da transferência.

A orca Morgan é transferido para a Espanha (Foto: Marco Hofste/Dolfinarium/AP)

A orca Morgan é içada até um caminhão que a transportaria direto para o aeroporto Schiphol, em Amsterdã.(Foto: Marco Hofste/Dolfinarium/AP)

Polêmica
A mudança de local da orca Morgan foi polêmica e a operação realizada nesta madrugada só foi possível a partir de uma decisão judicial. O animal foi localizado doente no mar do Wadden (norte da Holanda) em 2010 e desde então se recuperava no parque holandês.

O julgamento em Amsterdã, ocorrido na semana passada, deu sinal verde à decisão do governo de enviar a orca para Tenerife, pois as instalações do aquário eram pequenas. Um grupo de ativistas recorreu da decisão pedindo que o animal fosse devolvido ao mar, mas não obtiveram sucesso.

No zoológico espanhol, Morgan deve se adaptar às novas companhias por meio da bioacústica, uma técnica que consiste em emitir sons gravados.

A orca Morgan é transferida para a Espanha (Foto: Bas Czerwinski/AP)

O mamífero aquático seguiria em um voo até a Espanha, onde passará a viver em um zoológico das Canárias (Foto: Bas Czerwinski/AP)

Fonte: Globo Natureza, com informações da EFE, da Associated Press e da France Presse


30 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Baleia com mais de 20 toneladas é encontrada morta em praia da França

Exemplar pertencente à família das Balaenopteridae foi visto nesta terça.
Chegada do inverno na Europa faz baleias migrarem para Hemisfério Sul.

Um exemplar de baleia-de-bossa, pertencente à família das Balaenopteridae, com cerca de 20 toneladas foi encontrado nesta terça-feira (29) por surfistas em uma praia na região de Pointe de la Torche, próximo  à cidade de Brest, no oeste da França. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

Um exemplar de baleia-de-bossa ou rorqual, pertencente à família das Balaenopteridae, com mais de 20 toneladas foi encontrado nesta terça-feira (29) por surfistas em uma praia na região de Pointe de la Torche, próximo à cidade de Brest, no oeste da França. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

No início do inverno, as baleias começam a sua migração rumo a águas mais quentes do Hemisfério Sul e passam por áreas mais distantes da costa da Bretanha. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

No início do inverno na Europa, as baleias começam a sua migração rumo a águas mais quentes do Hemisfério Sul e passam por áreas mais distantes da costa francesa. (Foto: Fred Tanneau/AFP)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


30 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

SC: sobe para 108 o nº de animais marinhos encontrados mortos

Subiu para 108 o número de animais marinhos encontrados mortos na costa catarinense. Desde o início do monitoramento realizado por biólogos do Museu Oceanográfico da Universidade do Vale do Itajaí (Univali)foram registrados o aparecimento de 90 tartarugas verdes (Chelonia mydas), três golfinhos cinza (Sotalia guianensis), 12 botos (Tursiops truncatus), conhecidos como “boto flíper” ou “boto da tainha”, uma baleia jubarte (Megaptera novaeangliae), uma baleia-minke-antártica (Balaenoptera bonaerensis), e uma toninha (Pontoporia blainvillei).

Especialistas acompanham o caso e apontam como causa preliminar o uso de redes de emalhe, proibidas na pesca. Essa suspeita, no entanto, ainda não foi confirmada e outras possibilidades estão sendo estudadas.

Todo o material foi recolhido para análise. Os pesquisadores estão percorrendo 350 km da costa de Santa Catarina à procura de novos registros. O laudo com a causa das mortes deverá ser divulgado em breve.

Fonte: Portal Terra


28 de outubro de 2011 | nenhum comentário »

Três baleias encalham na Nova Zelândia; mais jovem morre

Três baleias-bicuda-de-gray encalharam na praia Papamoa, na Nova Zelândia, confirmou o DOC (Departamento de Conversação de animais do país) nesta sexta-feira.

A mais nova das três morreu, e os voluntários do DOC tentam manter as outras duas –adultas– vivas até que a maré suba e elas possam retornar ao mar.

Voluntários tentam manter baleias vivas até que a maré suba; ao fundo, a outra sobrevivente

Voluntários tentam manter baleias vivas até que a maré suba; ao fundo, a outra sobrevivente. Foto:Ross Brown/France Presse

Fonte: De São Paulo, Folha.com


9 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Operação em Santa Catarina consegue desencalhar baleia-franca

Animal apareceu em praia de Florianópolis na última quarta-feira.
Navio da Marinha retirou mamífero de nove metros da área de arrebentação.

Um navio rebocador da Marinha do Brasil conseguiu nesta quinta-feira (8) retirar o exemplar de baleia-franca-austral ,com cerca de 15 toneladas, que estava encalhado na praia do Pântano do Sul, em Florianópolis, Santa Catarina. O mamífero apareceu preso na arrebentação da praia na manhã desta quarta-feira (7), sendo monitorado por ambientalistas, equipes do Corpo de Bombeiros e da Delegacia Especial de Polícia Marítima.

Segundo Karina Groch, diretora de pesquisa do projeto Baleia-Franca, organização ambiental que auxilia nos trabalhos de proteção dos animais marinhos em Santa Catarina, o desencalhe do espécime, um exemplar jovem, com idade entre 2 e 6 anos e nove metros de comprimento, ocorreu no início da tarde, durante o período de maré cheia.

“Tentamos dois procedimentos para a remoção. Um com a implantação de uma cinta larga no animal, para tentar minimizar lesões. Como não conseguimos, tivemos que amarrar um cabo fino, porém resistente, puxando a baleia com o barco para fora da área de arrebentação da praia”, disse Karina.

O animal, que tinha bom estado de saúde, teve pequenas lesões superficiais, mas que, segundo a organização ambiental, não comprometeriam sua sobrevivência em alto mar. Homens do Corpo de Bombeiros acompanharam o exemplar até seu percurso em direção ao mar aberto.

A APA Baleia-franca é uma zona de preservação que compreende 130 km da costa catarinense. Desde o início do ano, foram visualizados 65 exemplares de baleia-franca-austral nesta região, o que é muito comum, segundo Karina Groch. A espécie frequenta o litoral sul brasileiro durante o inverno para reprodução.

Exemplar de baleia-franco-austral nada após operação que desencalhou o animal da praia Pântano do Sul, em Florianópolis, Santa Catarina (Foto: Guto Kuerten / Agência RBS)

Exemplar de baleia-franco-austral nada após operação que desencalhou o animal da praia Pântano do Sul, em Florianópolis, Santa Catarina (Foto: Guto Kuerten / Agência RBS)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


8 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Equipe desencalha bebê baleia e o devolve para mãe

Filhote de baleia ficou preso na praia de Immingham Docks.
Após muita tensão, equipe de resgate conseguiu liberar animal.

Uma equipe de resgate conseguiu desencalhar, e devolver para a mãe, um filhote de baleia preso na lama na praia de Immingham Docks, no leste da Inglaterra.

A operação durou sete horas e foi cercada de tensão. O animal estava com cerca de dois terços do corpo sob a lama, e a maré, que subia, ameaçava cobrir de água o orifício de respiração do filhote, o que causaria seu afogamento.

Cerca de 50 bombeiros, salva-vidas e especialistas participaram do resgate. Por meio de grande esforço, a baleia bebê conseguiu se liberar e nadar, de volta com a mãe, para o Mar do Norte.

Operação durou sete horas e foi cercada de tensão. (Foto: BBC)

Operação durou sete horas e foi cercada de tensão. (Foto: BBC)

Filhote de baleia preso na lama na praia de Immingham Docks. (Foto: BBC)

Filhote de baleia ficou preso na lama na praia de Immingham Docks. (Foto: BBC)

Cerca de 50 bombeiros, salva-vidas e especialistas participaram do resgate. (Foto: BBC)

Cerca de 50 bombeiros, salva-vidas e especialistas participaram do resgate. (Foto: BBC)

Fonte: BBC


26 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Filhote de baleia jubarte encalha na praia de Itapoã, em Vila Velha

Animal é o mesmo visto à deriva na baía de Vitória na tarde de quarta (24).
A baleia apresenta mordidas de predador.

Uma baleia morta encalhou na areia da Praia de Itapoã por volta das 20h30 desta quarta-feira (24), em Vila Velha. O cheiro ruim era bem forte, mas ainda assim o animal atraiu muitos curiosos. Guardas municipais acionaram as secretarias de Meio Ambiente e de Defesa Social do município. A previsão é que o animal seja retirado na manhã desta quinta-feira (25).

Segundo o diretor do Instituto Orca, Lupércio Barbosa, a baleia é a mesma que foi vista à deriva na baía de Vitória, na tarde desta quarta. O animal, que apresenta mordidas de predador, é um filhote de jubarte, que provavelmente está morto há três dias.

Filhote de baleia jubarte encalhou na Praia de Itapoã, em Vila Velha. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Filhote de baleia jubarte encalhou na Praia de Itapoã, em Vila Velha. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Fonte: Do G1, ES


27 de julho de 2011 | nenhum comentário »

Filhote de baleia jubarte é encontrado morto em praia no sul da Bahia

filhote de baleia jubarte (Foto: Divulgação/ Pat Ecosmar)

Tecidos e órgãos foram coletados para tentar identificar causas da morte (Foto: Divulgação/ Pat Ecosmar)

Mamífero estava encalhado e tinha cerca de dois meses.
Anualmente as baleias migram para a região sul para terem filhotes.

Um filhote de baleia jubarte foi encontrado morto em uma praia da orla norte de Santa Cruz de Cabrália, no sul da Bahia, na noite de segunda-feira (25), segundo informações do Instituto Pat Ecosmar. A baleia ficou encalhada na praia, localizada no distrito de Santo André, até a manhã desta terça-feira (26) e foi retirada pela Pat Ecosmar e pelo Instituto Baleia Jubarte.

O filhote tinha dois meses e quatro metros de comprimento. Segundo Paolo Botticelli, coordenador das equipes de campo da Pat Ecosmar, o animal ainda tinha partes do cordão umbilical e, provavelmente, foi um dos primeiros nascidos na região sul da Bahia na temporada de 2011.

Não foram encontrados ferimentos na baleia, que teve tecidos e órgãos coletados na tentativa de identificar as causas da morte do mamífero.

Botticelli informou ainda que este é o segundo filhote de baleia encontrado morto na região da Costa do Descobrimento, no sul da Bahia, em 2011. O coordenador das equipes de campo da Pat Ecosmar explica que anualmente, a partir do mês de julho, as baleias jubarte migram do hemisfério norte para regiões mais quentes, como o sul da Bahia, para ter filhotes.

“É comum que os filhotes nasçam nessas regiões. As mães migram para cá porque eles nascem com pouca gordura e não conseguem suportar o frio das águas do norte. Depois que ganham uma ‘capa’ os filhotes migram de volta para a região de origem, mais ou menos entre outubro e novembro”, finaliza.

O filhote de baleia jubarte encontrado morto na praia de Santa Cruz de Cabrália foi enterrado em uma área pouco movimentada da região, em uma profundidade de três a quatro metros, obedecendo às exigências sanitárias.

Fonte: Lílian Marques, do G1, Bahia.


20 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Baleia surpreende com saltos em reserva na Patagônia argentina

Período entre junho e dezembro é de reprodução para baleia-franco-austral.
Estima-se a existência de 7.500 animais desta espécie.

O salto de uma baleia-franca-austral (Eubalaena australis) foi registrado nesta sexta-feira (17) nas águas do Oceano Atlântico, nas proximidades do povoado de Puerto Piramides, na Patagônia argentina.

Entre junho e dezembro, exemplares da espécie aparecem regularmente para reprodução nesta região de reserva marinha, localizada no Golfo Nuevo. Estima-se que existam atualmente cerca de 7.500 baleias-franca-austral, que podem medir até 18 metros e pesar cerca de 80 toneladas.

Salto de baleia-franca-austral é registrado na reserva marinha do Golfo Nuevo, na Patagônia argentina. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Salto de baleia-franca-austral é registrado na reserva marinha do Golfo Nuevo, na Patagônia argentina. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Espécie costuma ir à região argentina entre junho e dezembro para reprodução. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Espécie costuma ir à região argentina entre junho e dezembro para reprodução. (Foto: Maxi Jones/Reuters)

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo

« Página anterior