15 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Empresa holandesa cria tênis que vira árvore

alt

(Foto: Oatshoes)

Após de várias invenções em torno de produtos que buscam a proteção do meio ambiente, O Instituto Brasileiro de Florestas está divulgando mais uma invenção: O tênis de sementes feito com material 100% biodegradável, calçado possui sementes embutidas   em seu interior. O calçado está disponível em diversas opções de cores e é produzido com um tecido que se quebra facilmente permitindo que a planta se  desenvolva.

 

A empresa de calçados holandesa OAT desenvolveu um modelo de tênis sustentável, que pode ser plantado para semear uma árvore.
O produto é feito com material 100% biodegradável e possui sementes embutidas em seu interior. A ideia da marca é que as pessoas plantem o tênis usado, em vez de jogá-los fora. O calçado está disponível em diversas opções de cores e é produzido com um tecido que se quebra facilmente permitindo que a planta se desenvolva. Para a empresa, “o futuro da moda está na reconciliação entre natureza e indústria”, por isso a companhia quer liderar o caminho de produtos ecológicos. No site da marca o tênis está sendo comercializado por cerca de 149 euros.
Com um objetivo semelhante ao da OAT, a empresa Papel Semente comercializa há pouco tempo no Brasil uma folha de papel que contém sementes.
A novidade apresenta papéis com sementes de cravos, camomila e manjericão. As sementes são incorporadas ao preparo do papel, que é biodegradável e desmancha na terra quando é molhado. Segundo a empresa, a solução ecológica é uma maneira prática e econômica de montar um jardim ou até uma pequena horta.
No caso do tênis, que ainda não é comercializado no Brasil, basta enterrá-lo quando quiser descartá-lo. Já os papéis com sementes, comercializados sob a forma de convites de casamento, marcadores de livro ou embalagens, devem ser picados e cultivados em um vaso. Depois de alguns dias o material que antes iria para o lixo pode até se transformar em flor.
Fonte: Oatshoes.com

1 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Produto ‘biodegradável’ é vilão se descartado de forma errada, diz artigo

Decomposição de copos descartáveis e outros utensílios libera metano.
Descarte em aterros sem tratamento contribui para emissão de poluentes.

Cientistas da Universidade Estadual da Carolina do Norte, dos Estados Unidos, divulgaram pesquisa nesta terça-feira (31) apontando que o descarte inadequado de produtos chamados ‘biodegradáveis’ pode ser prejudicial ao meio ambiente.

A justificativa é que a decomposição de copos descartáveis e outros utensílios com esta denominação libera gás metano, causador do efeito estufa. A preocupação dos pesquisadores é que se este tipo de lixo for colocado em aterros sanitários que não capturam ou queimam o gás, o metano será liberado para a atmosfera e poderá contribuir para as emissões de poluentes.

“O metano pode ser uma valiosa fonte de energia quando capturado, mas é um gás de efeito estufa se lançado na atmosfera”, afirmou Morton Barlaz, co-autor da pesquisa e professor da universidade. “Em outras palavras, os produtos biodegradáveis podem não respeitar tanto o meio ambiente quando descartado em aterros inadequados”, complementou.

Segundo a Agência de Proteção Ambiental norte-americana, 35% dos resíduos sólidos urbanos do país vão para locais que capturam o metano e o transformam em energia.Outros 34% vão para aterros que queimam o gás (usinas de biogás). Entretanto, 31% do lixo urbano dos Estados Unidos vai para ambientes sem tratamento e que permitem liberar o gás de efeito estufa na  atmosfera.

O alerta sobre o assunto foi dado também porque os produtos ‘biodegradáveis’ sofrem processo rápido de decomposição. De acordo com a pesquisa, ‘se os materiais degradam e liberam metano rapidamente, significaria menos combustível potencial para uso de energia e mais emissões de gases de efeito estufa’.

“Se queremos maximizar os benefícios ambientais dos produtos biodegradáveis em aterro, nós precisamos ampliar a coleta do metano e modificar o design desses produtos para que eles se decomponham mais lentamente”, disse.

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

setembro 2019
S T Q Q S S D
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

15 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Empresa holandesa cria tênis que vira árvore

alt

(Foto: Oatshoes)

Após de várias invenções em torno de produtos que buscam a proteção do meio ambiente, O Instituto Brasileiro de Florestas está divulgando mais uma invenção: O tênis de sementes feito com material 100% biodegradável, calçado possui sementes embutidas   em seu interior. O calçado está disponível em diversas opções de cores e é produzido com um tecido que se quebra facilmente permitindo que a planta se  desenvolva.

 

A empresa de calçados holandesa OAT desenvolveu um modelo de tênis sustentável, que pode ser plantado para semear uma árvore.
O produto é feito com material 100% biodegradável e possui sementes embutidas em seu interior. A ideia da marca é que as pessoas plantem o tênis usado, em vez de jogá-los fora. O calçado está disponível em diversas opções de cores e é produzido com um tecido que se quebra facilmente permitindo que a planta se desenvolva. Para a empresa, “o futuro da moda está na reconciliação entre natureza e indústria”, por isso a companhia quer liderar o caminho de produtos ecológicos. No site da marca o tênis está sendo comercializado por cerca de 149 euros.
Com um objetivo semelhante ao da OAT, a empresa Papel Semente comercializa há pouco tempo no Brasil uma folha de papel que contém sementes.
A novidade apresenta papéis com sementes de cravos, camomila e manjericão. As sementes são incorporadas ao preparo do papel, que é biodegradável e desmancha na terra quando é molhado. Segundo a empresa, a solução ecológica é uma maneira prática e econômica de montar um jardim ou até uma pequena horta.
No caso do tênis, que ainda não é comercializado no Brasil, basta enterrá-lo quando quiser descartá-lo. Já os papéis com sementes, comercializados sob a forma de convites de casamento, marcadores de livro ou embalagens, devem ser picados e cultivados em um vaso. Depois de alguns dias o material que antes iria para o lixo pode até se transformar em flor.
Fonte: Oatshoes.com

1 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Produto ‘biodegradável’ é vilão se descartado de forma errada, diz artigo

Decomposição de copos descartáveis e outros utensílios libera metano.
Descarte em aterros sem tratamento contribui para emissão de poluentes.

Cientistas da Universidade Estadual da Carolina do Norte, dos Estados Unidos, divulgaram pesquisa nesta terça-feira (31) apontando que o descarte inadequado de produtos chamados ‘biodegradáveis’ pode ser prejudicial ao meio ambiente.

A justificativa é que a decomposição de copos descartáveis e outros utensílios com esta denominação libera gás metano, causador do efeito estufa. A preocupação dos pesquisadores é que se este tipo de lixo for colocado em aterros sanitários que não capturam ou queimam o gás, o metano será liberado para a atmosfera e poderá contribuir para as emissões de poluentes.

“O metano pode ser uma valiosa fonte de energia quando capturado, mas é um gás de efeito estufa se lançado na atmosfera”, afirmou Morton Barlaz, co-autor da pesquisa e professor da universidade. “Em outras palavras, os produtos biodegradáveis podem não respeitar tanto o meio ambiente quando descartado em aterros inadequados”, complementou.

Segundo a Agência de Proteção Ambiental norte-americana, 35% dos resíduos sólidos urbanos do país vão para locais que capturam o metano e o transformam em energia.Outros 34% vão para aterros que queimam o gás (usinas de biogás). Entretanto, 31% do lixo urbano dos Estados Unidos vai para ambientes sem tratamento e que permitem liberar o gás de efeito estufa na  atmosfera.

O alerta sobre o assunto foi dado também porque os produtos ‘biodegradáveis’ sofrem processo rápido de decomposição. De acordo com a pesquisa, ‘se os materiais degradam e liberam metano rapidamente, significaria menos combustível potencial para uso de energia e mais emissões de gases de efeito estufa’.

“Se queremos maximizar os benefícios ambientais dos produtos biodegradáveis em aterro, nós precisamos ampliar a coleta do metano e modificar o design desses produtos para que eles se decomponham mais lentamente”, disse.

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo