14 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

Barulho de trânsito faz gafanhotos ‘cantarem’ mais alto, diz estudo

Pesquisa alemã comparou volume de insetos de ambientes diversos.
Ruído exagerado dos humanos pode prejudicar reprodução dos animais.

Conhecidos por seu “canto”, os gafanhotos ajustam o volume da melodia diante do barulho do trânsito, revela um estudo publicado nesta terça-feira (13) pela revista “Functional Ecology”, da Sociedade Britânica de Ecologia.

Estudos anteriores já haviam identificado o impacto de um ambiente ruidoso nos sons emitidos por pássaros, baleias e até rãs, mas esta é a primeira vez que o fenômeno é observado entre insetos, destaca a Sociedade Britânica de Ecologia.

Uma equipe de biólogos da Universidade de Bielefeld (Alemanha), dirigida por Ulrike Lampe, capturou 188 espécimes do machos de gafanhotos Chorthippus biguttulus, que têm um canto metálico característico. Metade foi capturada em locais tranquilos e a outra metade em zonas próximas a estradas de muito movimento.

O “canto” destes gafanhotos, que na realidade produzem o som ao esfregar as patas posteriores nas asas dianteiras, tem a função de atrair as fêmeas.

Os cientistas analisaram em laboratório as diferenças entre os “cantos” dos dois grupos de gafanhotos, incitados pela presença de fêmeas, e concluíram que os insetos capturados próximos as estradas produzem sons diferentes dos demais.

“Constatamos que em ambientes ruidosos os gafanhotos aumentam o volume da parte de baixa frequência de seu canto. Algo lógico, já que o ruído do tráfego pode ocultar sinais nesta parte do espectro” sonoro, explicou Lampe.

Segundo os cientistas, estes resultados são importantes porque evidencia que o ruído do tráfego pode transtornar o sistema de reprodução dos gafanhotos, “impedindo que as fêmeas ouçam corretamente os cantos nupciais dos machos”.

Gafanhotos usados na pesquisa viviam perto de vias barulhentas (Foto: Ulrike Lampe/Universidade de Bielefeld)

Gafanhotos usados na pesquisa viviam perto de vias barulhentas (Foto: Ulrike Lampe/Universidade de Bielefeld)

Fonte: Globo Natureza


2 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Grilo usa ‘cri-cri’ como marketing pessoal para atrair fêmea, diz estudo

Inseto menor ‘se esforça’ para emitir som igual ao de grilos maiores.
Estudo foi publicado na edição desta semana da revista ‘PNAS.

Cientistas do Reino Unido e da Índia investigaram o “cri-cri” emitido pelos grilos e verificaram que o potente barulho – proveniente de um inseto pequeno – não é apenas um chamado à reprodução, mas funcionaria como uma propaganda do macho para a fêmea.

Por possuírem asas exclusivas  — que emitem som quando esfregadas — os grilos machos “cantarolam” para atrair a atenção das fêmeas. Analisando esse som, os cientistas detectaram uma diferença no tom musical.

Os pesquisadores captaram frequências entre 2,3 e 3,7 kHz. Em princípio, achava-se que as frequências maiores seriam emitidas apenas por exemplares grandes. Mas simulações feitas em computador apontaram que grilos menores também alcançam sons altos se esfregarem as asas com maior intensidade.

De acordo com Rex Cocroft, um dos autores do estudo, isto pode modificar a dinâmica de escolha do parceiro. Para os cientistas, quanto mais rápido for o canto, ou seja, quanto maior for a frequência, mais chances de sucesso tem o grilo na conquista da fêmea. Agora, os pesquisadores querem descobrir o significado dos cantos.

O estudo foi publicado nesta semana na revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, a “PNAS”.

grilo polinizador (Foto: Sylvain Hugel/Divulgação)

Asas exclusivas permitem ao grilo emitir sons para atrair fêmeas. (Foto: Sylvain Hugel/Divulgação)


15 de abril de 2011 | nenhum comentário »

Estudo mostra que há canções de sucesso também entre as baleias

As baleias jubartes ou corcundas (Megaptera novaeangliae) também produzem seus sucessos musicais e as canções mais pegajosas são as preferidas pela espécie, assinala um estudo australiano divulgado nesta quinta-feira nos Estados Unidos.

Os machos são os únicos que as cantam, talvez na esperança de cativar uma fêmea, de acordo com o estudo publicado na revista “Current Biology”.

buy back to the future the movie

Se houver uma versão do “rei do pop” Michael Jackson entre as baleias, ele provavelmente reside no litoral leste da Austrália, porque é onde sempre se origina a melodia mais popular da temporada, segundo os pesquisadores.

O hit depois viaja ao longo do Pacífico Sul, da Austrália à Polinésia Francesa, expandindo-se entre os distintos grupos de baleias, que começam a cantar a mesma melodia durante a época da cria.

Como acontece com as canções da moda, essas melodias não são muito originais, mas parecem “pegar” facilmente, explicou a pesquisadora Ellen Garland, da Universidade de Queensland.

O estudo, realizado ao longo de 11 anos, acrescenta que ainda é um mistério por que todas as baleias cantam a mesma canção quando seus esforços deveriam estar destinados a destacar-se ante o grupo.

Fonte: G1






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

dezembro 2019
S T Q Q S S D
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

14 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

Barulho de trânsito faz gafanhotos ‘cantarem’ mais alto, diz estudo

Pesquisa alemã comparou volume de insetos de ambientes diversos.
Ruído exagerado dos humanos pode prejudicar reprodução dos animais.

Conhecidos por seu “canto”, os gafanhotos ajustam o volume da melodia diante do barulho do trânsito, revela um estudo publicado nesta terça-feira (13) pela revista “Functional Ecology”, da Sociedade Britânica de Ecologia.

Estudos anteriores já haviam identificado o impacto de um ambiente ruidoso nos sons emitidos por pássaros, baleias e até rãs, mas esta é a primeira vez que o fenômeno é observado entre insetos, destaca a Sociedade Britânica de Ecologia.

Uma equipe de biólogos da Universidade de Bielefeld (Alemanha), dirigida por Ulrike Lampe, capturou 188 espécimes do machos de gafanhotos Chorthippus biguttulus, que têm um canto metálico característico. Metade foi capturada em locais tranquilos e a outra metade em zonas próximas a estradas de muito movimento.

O “canto” destes gafanhotos, que na realidade produzem o som ao esfregar as patas posteriores nas asas dianteiras, tem a função de atrair as fêmeas.

Os cientistas analisaram em laboratório as diferenças entre os “cantos” dos dois grupos de gafanhotos, incitados pela presença de fêmeas, e concluíram que os insetos capturados próximos as estradas produzem sons diferentes dos demais.

“Constatamos que em ambientes ruidosos os gafanhotos aumentam o volume da parte de baixa frequência de seu canto. Algo lógico, já que o ruído do tráfego pode ocultar sinais nesta parte do espectro” sonoro, explicou Lampe.

Segundo os cientistas, estes resultados são importantes porque evidencia que o ruído do tráfego pode transtornar o sistema de reprodução dos gafanhotos, “impedindo que as fêmeas ouçam corretamente os cantos nupciais dos machos”.

Gafanhotos usados na pesquisa viviam perto de vias barulhentas (Foto: Ulrike Lampe/Universidade de Bielefeld)

Gafanhotos usados na pesquisa viviam perto de vias barulhentas (Foto: Ulrike Lampe/Universidade de Bielefeld)

Fonte: Globo Natureza


2 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Grilo usa ‘cri-cri’ como marketing pessoal para atrair fêmea, diz estudo

Inseto menor ‘se esforça’ para emitir som igual ao de grilos maiores.
Estudo foi publicado na edição desta semana da revista ‘PNAS.

Cientistas do Reino Unido e da Índia investigaram o “cri-cri” emitido pelos grilos e verificaram que o potente barulho – proveniente de um inseto pequeno – não é apenas um chamado à reprodução, mas funcionaria como uma propaganda do macho para a fêmea.

Por possuírem asas exclusivas  — que emitem som quando esfregadas — os grilos machos “cantarolam” para atrair a atenção das fêmeas. Analisando esse som, os cientistas detectaram uma diferença no tom musical.

Os pesquisadores captaram frequências entre 2,3 e 3,7 kHz. Em princípio, achava-se que as frequências maiores seriam emitidas apenas por exemplares grandes. Mas simulações feitas em computador apontaram que grilos menores também alcançam sons altos se esfregarem as asas com maior intensidade.

De acordo com Rex Cocroft, um dos autores do estudo, isto pode modificar a dinâmica de escolha do parceiro. Para os cientistas, quanto mais rápido for o canto, ou seja, quanto maior for a frequência, mais chances de sucesso tem o grilo na conquista da fêmea. Agora, os pesquisadores querem descobrir o significado dos cantos.

O estudo foi publicado nesta semana na revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, a “PNAS”.

grilo polinizador (Foto: Sylvain Hugel/Divulgação)

Asas exclusivas permitem ao grilo emitir sons para atrair fêmeas. (Foto: Sylvain Hugel/Divulgação)


15 de abril de 2011 | nenhum comentário »

Estudo mostra que há canções de sucesso também entre as baleias

As baleias jubartes ou corcundas (Megaptera novaeangliae) também produzem seus sucessos musicais e as canções mais pegajosas são as preferidas pela espécie, assinala um estudo australiano divulgado nesta quinta-feira nos Estados Unidos.

Os machos são os únicos que as cantam, talvez na esperança de cativar uma fêmea, de acordo com o estudo publicado na revista “Current Biology”.

buy back to the future the movie

Se houver uma versão do “rei do pop” Michael Jackson entre as baleias, ele provavelmente reside no litoral leste da Austrália, porque é onde sempre se origina a melodia mais popular da temporada, segundo os pesquisadores.

O hit depois viaja ao longo do Pacífico Sul, da Austrália à Polinésia Francesa, expandindo-se entre os distintos grupos de baleias, que começam a cantar a mesma melodia durante a época da cria.

Como acontece com as canções da moda, essas melodias não são muito originais, mas parecem “pegar” facilmente, explicou a pesquisadora Ellen Garland, da Universidade de Queensland.

O estudo, realizado ao longo de 11 anos, acrescenta que ainda é um mistério por que todas as baleias cantam a mesma canção quando seus esforços deveriam estar destinados a destacar-se ante o grupo.

Fonte: G1