14 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Secretaria de SP lança cartilha contra abandono de animais

Secretaria de Meio Ambiente afirma que os animais abandonados estão sujeitos a doenças, causam desequilíbrio ecológico e a depredação do patrimônio dos parques além de se tornarem mais agressivos

A Secretaria de Meio Ambiente do governo de São Paulo lançou uma cartilha educativa sobre o abandono de animais domésticos e silvestres em parques. A cartilha foi entregue aos diretores de todos os parques administrados pela secretaria, que deverão distribuí-las em ruas e escolas vizinhas.

Segundo o presidente da Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal (Arca Brasil), Marco Ciamei, as áreas verdes próximas de centros urbanos são locais comuns de abandono de bichos. “Abandonar o animal em ambientes naturais deixa a consciência dos antigos donos mais tranquila”, diz. A Arca Brasil estima que somente na cidade de São Paulo cerca de 260 mil cães, 10% da população total, não têm um lar de referência.

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Meio Ambiente afirma que os animais abandonados estão sujeitos a doenças, causam desequilíbrio ecológico e a depredação do patrimônio dos parques além de se tornarem mais agressivos.

A cartilha orienta as pessoas a pensar bem antes de ter um animal de estimação. “É preciso evitar o problema antes que ele aconteça”, diz Ciamei. Ainda segundo ele, toda ação educativa deve ser apoiada, mas práticas, como o registro e a castração dos animais, ainda acontecem de forma tímida na capital e no interior.

Fonte: Gazeta Maringá, com informações do jornal O Estado de S.Paulo.


27 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Presidente do IPEVS ministra palestra sobre Bem-Estar Animal

O presidente do IPEVS Rafael Haddad (Médico Veterinário e Biólogo) em convite da Associação Protetora e Bem-Estar Animal Ângelo Picone, ministrou palestra sobre Bem estar animal, no V Encontro de Proteção e Bem Estar Animal realizado no Centro Cultural de Cornélio Procópio no dia 26/04.  Os participantes foram orientando sobre adoção de cães e gatos, a importância da castração destes animais e esclarecimento sobre as zoonoses. Instruiu como pessoas que não podem ou não querer ter animais de estimação pode colaborar. E finalizou enfatizando que animais silvestres não são animais de estimação e que a comercialização destes animais é crime e deve ser denunciado.

A palestra contou com a participação dos membros da Associação Ângelo Picone e a equipe do IPEVS.

Fonte: Ascom IPEVS


17 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Suspeito fez veneno em casa, diz testemunha sobre morte de animais

Gatos, gambás e cachorros foram mortos em Ribeirão Preto (SP).
Suspeito de envenenar bichos é procurado pela polícia.

Uma testemunha ouvida pela polícia de Ribeirão Preto, a 313 km da capital paulista, nesta segunda-feira (16), afirmou que o responsável pelo envenenamento de animais na cidade fabricou o veneno dentro de casa. A polícia agora procura pelo suspeito.

A lista de animais mortos é grande: um cachorro, seis gambás e 41 gatos. Os últimos três foram encontrados na tarde deste domingo (15). A polícia suspeita que as mortes tenham ocorrido por veneno de rato, mais conhecido por chumbinho. O produto é proibido e pode ter sido misturado à ração ou em pedaços de carne que as pessoas deixam para os animais perto de um bosque.

Os gatos viviam por perto de uma das entradas do zoológico. Eram cerca de 70 animais. Quando os funcionários chegaram para trabalhar, não viram mais os gatos. Eles resolveram, então, vasculhar uma pequena mata nas imediações e, logo, começaram encontrar os corpos.

No  protesto que reuniu centenas de pessoas no último final de semana a presidente de uma ONG que luta pelos direitos dos animais,  Cláudia Garcia Vicente, alertou sobre a necessidade de programas de castração. “Tem que ter uma castração maciça dos animais da cidade e tem que ter vigilância nesse ponto para que pare o abandono”.

 Sobre a reclamação da presidente da ONG, a Prefeitura de Ribeirão Preto diz que vai fazer mutirões para castrar animais e que pretende intensificar a fiscalização na área próxima ao bosque.

A pena para esse tipo de crime é de um ano e três meses de prisão para cada animal morto.

Fonte: G1 de São Paulo






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

novembro 2018
S T Q Q S S D
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

14 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Secretaria de SP lança cartilha contra abandono de animais

Secretaria de Meio Ambiente afirma que os animais abandonados estão sujeitos a doenças, causam desequilíbrio ecológico e a depredação do patrimônio dos parques além de se tornarem mais agressivos

A Secretaria de Meio Ambiente do governo de São Paulo lançou uma cartilha educativa sobre o abandono de animais domésticos e silvestres em parques. A cartilha foi entregue aos diretores de todos os parques administrados pela secretaria, que deverão distribuí-las em ruas e escolas vizinhas.

Segundo o presidente da Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal (Arca Brasil), Marco Ciamei, as áreas verdes próximas de centros urbanos são locais comuns de abandono de bichos. “Abandonar o animal em ambientes naturais deixa a consciência dos antigos donos mais tranquila”, diz. A Arca Brasil estima que somente na cidade de São Paulo cerca de 260 mil cães, 10% da população total, não têm um lar de referência.

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Meio Ambiente afirma que os animais abandonados estão sujeitos a doenças, causam desequilíbrio ecológico e a depredação do patrimônio dos parques além de se tornarem mais agressivos.

A cartilha orienta as pessoas a pensar bem antes de ter um animal de estimação. “É preciso evitar o problema antes que ele aconteça”, diz Ciamei. Ainda segundo ele, toda ação educativa deve ser apoiada, mas práticas, como o registro e a castração dos animais, ainda acontecem de forma tímida na capital e no interior.

Fonte: Gazeta Maringá, com informações do jornal O Estado de S.Paulo.


27 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Presidente do IPEVS ministra palestra sobre Bem-Estar Animal

O presidente do IPEVS Rafael Haddad (Médico Veterinário e Biólogo) em convite da Associação Protetora e Bem-Estar Animal Ângelo Picone, ministrou palestra sobre Bem estar animal, no V Encontro de Proteção e Bem Estar Animal realizado no Centro Cultural de Cornélio Procópio no dia 26/04.  Os participantes foram orientando sobre adoção de cães e gatos, a importância da castração destes animais e esclarecimento sobre as zoonoses. Instruiu como pessoas que não podem ou não querer ter animais de estimação pode colaborar. E finalizou enfatizando que animais silvestres não são animais de estimação e que a comercialização destes animais é crime e deve ser denunciado.

A palestra contou com a participação dos membros da Associação Ângelo Picone e a equipe do IPEVS.

Fonte: Ascom IPEVS


17 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Suspeito fez veneno em casa, diz testemunha sobre morte de animais

Gatos, gambás e cachorros foram mortos em Ribeirão Preto (SP).
Suspeito de envenenar bichos é procurado pela polícia.

Uma testemunha ouvida pela polícia de Ribeirão Preto, a 313 km da capital paulista, nesta segunda-feira (16), afirmou que o responsável pelo envenenamento de animais na cidade fabricou o veneno dentro de casa. A polícia agora procura pelo suspeito.

A lista de animais mortos é grande: um cachorro, seis gambás e 41 gatos. Os últimos três foram encontrados na tarde deste domingo (15). A polícia suspeita que as mortes tenham ocorrido por veneno de rato, mais conhecido por chumbinho. O produto é proibido e pode ter sido misturado à ração ou em pedaços de carne que as pessoas deixam para os animais perto de um bosque.

Os gatos viviam por perto de uma das entradas do zoológico. Eram cerca de 70 animais. Quando os funcionários chegaram para trabalhar, não viram mais os gatos. Eles resolveram, então, vasculhar uma pequena mata nas imediações e, logo, começaram encontrar os corpos.

No  protesto que reuniu centenas de pessoas no último final de semana a presidente de uma ONG que luta pelos direitos dos animais,  Cláudia Garcia Vicente, alertou sobre a necessidade de programas de castração. “Tem que ter uma castração maciça dos animais da cidade e tem que ter vigilância nesse ponto para que pare o abandono”.

 Sobre a reclamação da presidente da ONG, a Prefeitura de Ribeirão Preto diz que vai fazer mutirões para castrar animais e que pretende intensificar a fiscalização na área próxima ao bosque.

A pena para esse tipo de crime é de um ano e três meses de prisão para cada animal morto.

Fonte: G1 de São Paulo