5 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Energias renováveis devem crescer até 2050 e ficarão mais baratas

Energias renováveis, como eólica ou solar, têm tendência de crescimento até 2050, e os esperados avanços em tecnologia devem trazer importantes reduções de custos, mostrou um estudo da Organização das Nações Unidas divulgado nesta quarta-feira (4).

O mais abrangente panorama do setor da ONU diz que a energia renovável, excluindo-se bioenergia – que consiste basicamente na queima de madeira por países em desenvolvimento para cozinhar ou aquecimento -, pode se expandir de três a 20 vezes até metade deste século.

“O custo da maioria das tecnologias de energia renovável recuou, e significativos avanços técnicos adicionais são previstos”, mostrou o Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC, na sigla em inglês) em um estudo obtido pela Reuters, baseado na revisão de 164 cenários.

“Mais reduções de custos são previstas, resultando em maior potencial de diminuição das mudanças climáticas e na redução da necessidade de medidas para garantir uma rápida implantação”, disse o comitê. O IPCC se reunirá em Abu Dhabi de 5 a 13 de maio.

O IPCC disse ainda que muitos cenários apontaram para um “substancial aumento na implantação de energia renovável até 2030, 2050 e além disso.”

Em 2008 a produção de energia renovável foi calculada em cerca de 12,9 por cento do suprimento global de energia primária e foi dominada pela bioenergia, com 10,2 por cento, seguido pela geração hidrelétrica, eólica, geotérmica, solar e energia dos oceanos.

A expansão projetada deve continuar mesmo sem novas medidas para promover uma transição de combustíveis fósseis, como parte de uma luta liderada pela ONU contra a mudança climática, disse o IPCC.

Fonte: Portal iG


24 de fevereiro de 2011 | nenhum comentário »

América Latina reforça liderança mundial em energias renováveis

Com 30% da produção de energias renováveis, especialmente biomassa, a América Latina se encontra na vanguarda do setor no mundo, disse nesta terça-feira (22), em Miami, o ex-presidente da Costa Rica José María Figueres em um fórum sobre novas fontes de energia.

Figueres destacou o trabalho de países como Brasil, Costa Rica, México e Chile, onde as políticas governamentais foram um fator-chave para que os políticos e empresários entendessem a urgência deste temas.

“O tema é muito importante, porque vivemos em um mundo com recursos limitados, sobretudo em hidrocarbonetos. Vamos seguir tendo (hidrocarbonetos) durante os próximos 20 ou 30 anos, mas não além disso, e cada vez mais a um preço maior. Por isso, quanto mais rápido realizarmos a mudança total à utilização de energia renovável, melhor para todos”, assegurou Figueres.

O ex-presidente também destacou as condições topográficas da região, favoráveis à exploração de fontes alternativas de energia. “A América Latina tem um grande potencial para desenvolver energia eólica e geotérmica, porque temos muitos vulcões”, afirmou.

De acordo com Figueres, o importante é contar com redes de distribuição inteligentes que permitam que a energia chegue a todos os pontos da região, que tem 35 milhões de pessoas ainda sem acesso a nenhuma fonte de energia.

Fonte: Ambiente Brasil

rango video






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

setembro 2020
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

5 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Energias renováveis devem crescer até 2050 e ficarão mais baratas

Energias renováveis, como eólica ou solar, têm tendência de crescimento até 2050, e os esperados avanços em tecnologia devem trazer importantes reduções de custos, mostrou um estudo da Organização das Nações Unidas divulgado nesta quarta-feira (4).

O mais abrangente panorama do setor da ONU diz que a energia renovável, excluindo-se bioenergia – que consiste basicamente na queima de madeira por países em desenvolvimento para cozinhar ou aquecimento -, pode se expandir de três a 20 vezes até metade deste século.

“O custo da maioria das tecnologias de energia renovável recuou, e significativos avanços técnicos adicionais são previstos”, mostrou o Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC, na sigla em inglês) em um estudo obtido pela Reuters, baseado na revisão de 164 cenários.

“Mais reduções de custos são previstas, resultando em maior potencial de diminuição das mudanças climáticas e na redução da necessidade de medidas para garantir uma rápida implantação”, disse o comitê. O IPCC se reunirá em Abu Dhabi de 5 a 13 de maio.

O IPCC disse ainda que muitos cenários apontaram para um “substancial aumento na implantação de energia renovável até 2030, 2050 e além disso.”

Em 2008 a produção de energia renovável foi calculada em cerca de 12,9 por cento do suprimento global de energia primária e foi dominada pela bioenergia, com 10,2 por cento, seguido pela geração hidrelétrica, eólica, geotérmica, solar e energia dos oceanos.

A expansão projetada deve continuar mesmo sem novas medidas para promover uma transição de combustíveis fósseis, como parte de uma luta liderada pela ONU contra a mudança climática, disse o IPCC.

Fonte: Portal iG


24 de fevereiro de 2011 | nenhum comentário »

América Latina reforça liderança mundial em energias renováveis

Com 30% da produção de energias renováveis, especialmente biomassa, a América Latina se encontra na vanguarda do setor no mundo, disse nesta terça-feira (22), em Miami, o ex-presidente da Costa Rica José María Figueres em um fórum sobre novas fontes de energia.

Figueres destacou o trabalho de países como Brasil, Costa Rica, México e Chile, onde as políticas governamentais foram um fator-chave para que os políticos e empresários entendessem a urgência deste temas.

“O tema é muito importante, porque vivemos em um mundo com recursos limitados, sobretudo em hidrocarbonetos. Vamos seguir tendo (hidrocarbonetos) durante os próximos 20 ou 30 anos, mas não além disso, e cada vez mais a um preço maior. Por isso, quanto mais rápido realizarmos a mudança total à utilização de energia renovável, melhor para todos”, assegurou Figueres.

O ex-presidente também destacou as condições topográficas da região, favoráveis à exploração de fontes alternativas de energia. “A América Latina tem um grande potencial para desenvolver energia eólica e geotérmica, porque temos muitos vulcões”, afirmou.

De acordo com Figueres, o importante é contar com redes de distribuição inteligentes que permitam que a energia chegue a todos os pontos da região, que tem 35 milhões de pessoas ainda sem acesso a nenhuma fonte de energia.

Fonte: Ambiente Brasil

rango video