16 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Em risco de extinção, iguanas azuis são vistas nas Ilhas Cayman

Região é a única do mundo onde animais vivem em estado selvagem.
Cerca de 700 animais vivem em áreas de proteção ambiental na ilha.

Uma iguana azul aparece trocando de pele em um jardim botânico das Ilhas Cayman, nas Antilhas. O animal recebeu o apelido de 'mordedor' ('biter', na tradução do inglês) (Foto: David McFadden/AP)

Uma iguana azul aparece trocando de pele em um parque botânico das Ilhas Cayman, nas Antilhas. O animal recebeu o apelido de 'mordedor' ('biter', na tradução do inglês) (Foto: David McFadden/AP)

Cerca de 700 iguanas azuis andam livres pelo jardim Rainha Elizabeth 2ª, nas Ilhas Cayman. A área, considerada de proteção ambiental, é o único lugar do mundo onde os animais podem ser encontrados em estado selvagem. A espécie corre risco de extinção (Foto: David McFadden/Will Burrard-Lucas/AP)

Cerca de 700 iguanas azuis andam livres pelo parque botânico Rainha Elizabeth 2ª, nas Ilhas Cayman. A área leste da ilha, considerada de proteção ambiental, é o único lugar do mundo onde os animais podem ser encontrados em estado selvagem. A espécie corre risco de extinção (Foto: David McFadden/Will Burrard-Lucas/AP)

Fonte: Globo Natureza


10 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Rinocerontes raros são avistados em parque nacional na Indonésia

Rinoceronte-de-Sumatra foi fotografado em parque na província de Aceh.
Animal não era avistado na região havia 26 anos.

A Leuser International Foundation divlgou nesta quinta-feira (9) uma imagem de um raro rinoceronte-de-Sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) flagrado no parque nacional Gunung Leuser, na província de Aceh.

Um especialista afirmou que foi a primeira vez que rinocerontes da espécie foram avistados no local em 26 anos. Temia-se que não houvesse mais exemplares da espécie no local, no norte da ilha de Sumatra.

Os rinocerontes, seis fêmeas e um macho, foram filmados por 28 câmeras infravermelhas instaladas entre junho de 2011 e abril deste ano.

O número de rinocerontes de Sumatra diminuiu 50% nos últimos 20 anos, e calcula-se que só restem uns 200 em todo o mundo.

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Fonte: Globo Natureza


1 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Indonésia liberta 85 pangolins que seriam contrabandeados

Controladores de pragas, animais são encontrados na Ásia e África.
Entre os exemplares resgatados havia filhotes.

Ambientalistas da Indonésia devolveram à natureza nesta terça-feira (31) 85 exemplares de pangolins que foram resgatados de contrabandistas no último dia 28 na cidade de Medan. Eles foram libertados em uma floresta no distrito de Karo.

De acordo com o governo local, espécimes adultos e filhotes estavam amontoados em 14 sacos dentro de um ônibus. Havia animais mortos entre eles. Pouco estudada e considerada uma espécie ícone, os pangolins são encontrados na Ásia e África. Eles são controladores naturais de pragas, engolindo formigas e cupins.

Entretanto, autoridades da Indonésia tentam combater o tráfico que está intenso para países como China e Vietnã, que utilizam esses animais como alimentos e medicamentos.

Os chineses acreditam que o animal pode curar uma série de doenças e aumentar a potência sexual. Por conta disto, a população da espécie reduziu drasticamente e hoje são encontradas apenas em poucas regiões da Indonésia, Filipinas, além de partes da Malásia e Índia.

O comércio desta espécie foi proibido em 2002, por meio da Convenção Internacional sobre espécies ameaçadas. Apesar da legislação, o crime continua sendo cometido por caçadores rurais, incluindo os trabalhadores nas plantações da Indonésia.

Além da China, Vietnã e Coreia do Sul também figuram na lista das encomendas ilegais.
Se comparados aos lucros obtidos pela venda dos animais, as penas para o tráfico são baixas. Um pangolim inteiro poderia ser comprado na Indonésia por US$ 275. Já as escamas eram arrematadas por até US$ 750 o quilo na China

De acordo com o governo da Indonésia, as penas para crimes ambientais deverão ser endurecidas. Embora as apreensões e prisões de pequenos contrabandistas tenham aumentado substancialmente, quase nenhum dos principais compradores foram colocados atrás das grades.

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

Fonte: Globo Natureza


27 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Polícia indonésia apreende 14 corpos preservados de tigres-de-sumatra

Espécie natural da região está criticamente ameaçada de extinção.
Em casa ao sul de Jacarta também havia corpos de leão, ursos e cervos.

Catorze corpos preservados de tigres-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae) foram apreendidos pela polícia da Indonésia em uma residência na cidade suburbana de Cibubur, localizada ao sul da capital Jacarta.

A espécie natural da região está criticamente ameaçada. Ambientalistas temem que esses felinos sejam extintos na próxima década em decorrência da caça ilegal e da perda do habitat natural, por causa do desmatamento para exploração de madeira ou plantação de palmeiras. Estima-se que existam apenas 400 tigres-de-sumatra livres na natureza.

Além dos tigres, foram apreendidos corpos preservados de outras espécies, como leão, ursos e cervos.

Tigres sumatra (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Corpos de tigres-de-sumatra foram preservados para virar objeto de 'decoração' (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 2 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Espécie natural da Ilha de Sumatra, na Indonésia, está ameaçada de extinção (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 3 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

No local de apreensão dos tigres, também havia leão, ursos e cervos preservados (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Fonte: Globo Natureza


26 de junho de 2012 | nenhum comentário »

Contaminado por chumbo, condor-da-Califórnia corre risco de extinção

Espécie é uma das maiores aves voadoras do mundo.
Chumbo usado em munições está contaminando população.

A recuperação do condor-da-Califórnia, uma espécie extremamente ameaçada de extinção, esbarra na contaminação pelo chumbo encontrado em munições, informa uma pesquisa científica divulgada na edição desta terça-feira (26) da revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

Essa espécie de condor é uma das maiores aves voadoras do mundo e está sob risco de extinção. Em 1982, segundo o estudo, apenas 22 exemplares restavam. Após um intenso trabalho de recuperação, o número saltou para 400 animais no final de 2010 – ainda muito baixo para manter uma população estável.

Agora, o estudo apresentado por Myra Finkelstein, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, indica que, sem intervenção humana para tratar a contaminação, a espécie pode desaparecer em poucas décadas.

Os condores se alimentam de carcaças, da mesma maneira que urubus e abutres. Uma de suas principais fontes de alimentação são mamíferos de grande porte abatidos por caçadores, como os veados. Segundo a pesquisa, as aves se contaminam ao ingerir fragmentos das balas usadas na caça.

Os cientistas capturam regularmente condores-da-Califórnia para tratamento. Anualmente, uma em cada cinco aves encontradas precisa ser desintoxicada. Após o apoio veterinário, ela é devolvida ao meio ambiente.

Condor-da-Califórnia é uma das maiores aves do mundo. (Foto: Cortesia/Joe Burnett )

Condor-da-Califórnia é uma das maiores aves do mundo. (Foto: Cortesia/Joe Burnett )

O condor-da-Califórnia, ameaçado de extinção. (Foto: Cortesia/Daniel George)

O condor-da-Califórnia, ameaçado de extinção. (Foto: Cortesia/Daniel George)

Fonte: Globo Natureza


21 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Espécie de tartaruga marinha nada diferente no Pacífico e no Atlântico

Estilos de nado da tartaruga-de-couro influem na sua alimentação.
Espécie está ameaçada de extinção.

Cientistas descobriram que a tartaruga-de-couro, uma espécie marinha ameaçada de extinção, tem estilos diferentes de natação de acordo com a região do mundo em que vive.

O estudo feito por uma equipe internacional e publicado pela revista científica “PLoS One” comparou a locomoção dessas tartarugas no norte do Oceano Atlântico e no leste do Oceano Pacífico.

As tartarugas do Atlântico conseguem uma variação maior nas formas de nadar. Elas conseguem alternar entre nados lentos e velozes, enquanto as do Pacífico não reduzem a velocidade. Além disso, as tartarugas do Atlântico também conseguem mergulhar mais fundo que suas irmãs.

Segundo o estudo, essas diferenças fazem com que as tartarugas do Pacífico estejam mais ameaçadas. Em altas velocidades, elas não conseguem selecionar o alimento com a mesma qualidade que as do Atlântico, nem buscam comida nas águas mais profundas. Essa tartaruga se alimenta de zooplâncton – organismos que vivem na água, desde protozoários até animais muito pequenos.

Filhotes da tartaruga-de-couro na Malásia, em 2004 (Foto: AFP/Arquivo)

Filhotes da tartaruga-de-couro na Malásia, em 2004 (Foto: AFP/Arquivo)

Fonte: Globo Natureza


17 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Coalas podem desaparecer em cinquenta anos, diz WWF

Destruição das florestas de eucaliptos e doenças levariam a espécie à extinção

A organização não governamental WWF alertou nesta terça-feira que a população de coalasda Austrália corre o risco de extinguir-se nos próximos 50 anos. O representante da ONG na Austrália, Martin Taylor, anunciou que nas últimas duas décadas a população de coalas diminuiu 42%. Segundo Taylor, se a tendência continuar, o marsupial pode desaparecer.

Ameaças - Os ecologistas atribuem a queda do número de coalas à destruição de seu habitat – provocado, segundo a WWF, pelo desenvolvimento humano e pelas alterações climáticas. A espécie vive em florestas naturais de eucaliptos e se alimenta principalmente das folhas frescas das árvores. Outra ameaça aos marsupiais são os surtos da doença clamídia. Essa bactéria, contra a qual os cientistas estão pesquisando uma vacina, produz lesões nos genitais e nos olhos dos coalas, causando infertilidade, cegueira e, posteriormente, a morte.

O número de coalas na Austrália oscila entre 40 mil e 250 mil exemplares, segundo estimativas. No mês passado, o governo australiano catalogou os coalas como “espécie vulnerável” na lista de animais ameaçados no país.

Folhas de eucalipto são o principal alimento dos coalas

Folhas de eucalipto são o principal alimento dos coalas (Reuters)

Fonte: Veja Ciência


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Mais de 400 tartarugas são apreendidas em malas em Bangladesh

Autoridades aduaneiras de Bangladesh apreenderam mais de 400 tartarugas, encontradas em malas que tinham a Tailândia como destino.

Após uma denúncia, funcionários do aeroporto de Daca abriram a bagagem de dois passageiros que estavam voando para Bancoc.

As tartarugas encontradas, algumas de espécies ameaçadas de extinção, tem valor estimado de US$ 35 mil (R$ 65 mil) no mercado negro, já que são populares como bichos de estimação e sua carne pode ser utilizada na medicina oriental.

Duas pessoas de nacionalidade indiana foram presas após o incidente.

Acredita-se que os animais tenham saído da Índia. Segundo ativistas, Daca tem sido cada vez mais usada como rota para o transporte ilegal de animais selvagens.

No ano passado, autoridades na Tailândia encontraram centenas de tartarugas e crocodilos em uma mala que chegou em um voo vindo de Bangladesh.

Fonte: BBC Brasil


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Rússia cria parque para proteção de tigres e leopardos

O governo russo anunciou a criação de uma reserva de 1600 quilômetros quadrados para proteger os leopardos e os tigres-de-amur.

Apelidado de “Terra dos Leopardos”, o parque fica no extremo leste da Rússia. De acordo com a ONG Sociedade de Conservação da Vida Selvagem (WCS), o local combina refúgios para a vida selvagem com terras previamente desprotegidas ao longo da fronteira com a China.

Segundo a lista vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), o leopardo-de-amur está classificado como “criticamente ameaçado”. Existem apenas cerca de 25 animais na natureza.

O tigre-de-amur, que na década de 1930 tinha apenas trinta indivíduos soltos na natureza, hoje está classificado como “em perigo”. Atualmente, a população conta com cerca de 360 animais.

Dale Miquelle, diretor da WCS na Rússia, disse estar otimista com a reserva, já que ela “irá garantir um refúgio para uma das espécies de felino mais ameaças do planeta”.

Fonte: Folha.com


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Macaco rejeitado pela mãe é alimentado em zoológico francês

O pequeno macaco mangabei Loango nasceu em 5 de março.
Animal é protegido por programa para espécies ameaçadas.

Funcionária do zoológico Jardin des Plantes, em Paris, na França, alimenta o macaco mangabei Loango, que nasceu em 5 de março e foi rejeitado pela mãe. (Foto: Kenzo Triboillard/AFP)

Funcionária do zoológico Jardin des Plantes, em Paris, na França, alimenta o macaco mangabei Loango, que nasceu em 5 de março e foi rejeitado pela mãe. (Foto: Kenzo Triboillard/AFP)

Loango, macaco mangabei nascido em zoológico francês (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)

O nascimento de Loango no zoo europeu faz parte do programa europeu de reprodução de espécies ameaçadas. (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)

Loango, macaco mangabei nascido em zoológico francês (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)

O pequeno primata, com pouco mais de um mês de vida, virou atração principal do berçário do zoológico da França. Na imagem, como um bebê humano, Loango chupa um dos dedos da mão. (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)


Próxima página »« Página anterior





Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

setembro 2020
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

16 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Em risco de extinção, iguanas azuis são vistas nas Ilhas Cayman

Região é a única do mundo onde animais vivem em estado selvagem.
Cerca de 700 animais vivem em áreas de proteção ambiental na ilha.

Uma iguana azul aparece trocando de pele em um jardim botânico das Ilhas Cayman, nas Antilhas. O animal recebeu o apelido de 'mordedor' ('biter', na tradução do inglês) (Foto: David McFadden/AP)

Uma iguana azul aparece trocando de pele em um parque botânico das Ilhas Cayman, nas Antilhas. O animal recebeu o apelido de 'mordedor' ('biter', na tradução do inglês) (Foto: David McFadden/AP)

Cerca de 700 iguanas azuis andam livres pelo jardim Rainha Elizabeth 2ª, nas Ilhas Cayman. A área, considerada de proteção ambiental, é o único lugar do mundo onde os animais podem ser encontrados em estado selvagem. A espécie corre risco de extinção (Foto: David McFadden/Will Burrard-Lucas/AP)

Cerca de 700 iguanas azuis andam livres pelo parque botânico Rainha Elizabeth 2ª, nas Ilhas Cayman. A área leste da ilha, considerada de proteção ambiental, é o único lugar do mundo onde os animais podem ser encontrados em estado selvagem. A espécie corre risco de extinção (Foto: David McFadden/Will Burrard-Lucas/AP)

Fonte: Globo Natureza


10 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Rinocerontes raros são avistados em parque nacional na Indonésia

Rinoceronte-de-Sumatra foi fotografado em parque na província de Aceh.
Animal não era avistado na região havia 26 anos.

A Leuser International Foundation divlgou nesta quinta-feira (9) uma imagem de um raro rinoceronte-de-Sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) flagrado no parque nacional Gunung Leuser, na província de Aceh.

Um especialista afirmou que foi a primeira vez que rinocerontes da espécie foram avistados no local em 26 anos. Temia-se que não houvesse mais exemplares da espécie no local, no norte da ilha de Sumatra.

Os rinocerontes, seis fêmeas e um macho, foram filmados por 28 câmeras infravermelhas instaladas entre junho de 2011 e abril deste ano.

O número de rinocerontes de Sumatra diminuiu 50% nos últimos 20 anos, e calcula-se que só restem uns 200 em todo o mundo.

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Fonte: Globo Natureza


1 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Indonésia liberta 85 pangolins que seriam contrabandeados

Controladores de pragas, animais são encontrados na Ásia e África.
Entre os exemplares resgatados havia filhotes.

Ambientalistas da Indonésia devolveram à natureza nesta terça-feira (31) 85 exemplares de pangolins que foram resgatados de contrabandistas no último dia 28 na cidade de Medan. Eles foram libertados em uma floresta no distrito de Karo.

De acordo com o governo local, espécimes adultos e filhotes estavam amontoados em 14 sacos dentro de um ônibus. Havia animais mortos entre eles. Pouco estudada e considerada uma espécie ícone, os pangolins são encontrados na Ásia e África. Eles são controladores naturais de pragas, engolindo formigas e cupins.

Entretanto, autoridades da Indonésia tentam combater o tráfico que está intenso para países como China e Vietnã, que utilizam esses animais como alimentos e medicamentos.

Os chineses acreditam que o animal pode curar uma série de doenças e aumentar a potência sexual. Por conta disto, a população da espécie reduziu drasticamente e hoje são encontradas apenas em poucas regiões da Indonésia, Filipinas, além de partes da Malásia e Índia.

O comércio desta espécie foi proibido em 2002, por meio da Convenção Internacional sobre espécies ameaçadas. Apesar da legislação, o crime continua sendo cometido por caçadores rurais, incluindo os trabalhadores nas plantações da Indonésia.

Além da China, Vietnã e Coreia do Sul também figuram na lista das encomendas ilegais.
Se comparados aos lucros obtidos pela venda dos animais, as penas para o tráfico são baixas. Um pangolim inteiro poderia ser comprado na Indonésia por US$ 275. Já as escamas eram arrematadas por até US$ 750 o quilo na China

De acordo com o governo da Indonésia, as penas para crimes ambientais deverão ser endurecidas. Embora as apreensões e prisões de pequenos contrabandistas tenham aumentado substancialmente, quase nenhum dos principais compradores foram colocados atrás das grades.

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

Fonte: Globo Natureza


27 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Polícia indonésia apreende 14 corpos preservados de tigres-de-sumatra

Espécie natural da região está criticamente ameaçada de extinção.
Em casa ao sul de Jacarta também havia corpos de leão, ursos e cervos.

Catorze corpos preservados de tigres-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae) foram apreendidos pela polícia da Indonésia em uma residência na cidade suburbana de Cibubur, localizada ao sul da capital Jacarta.

A espécie natural da região está criticamente ameaçada. Ambientalistas temem que esses felinos sejam extintos na próxima década em decorrência da caça ilegal e da perda do habitat natural, por causa do desmatamento para exploração de madeira ou plantação de palmeiras. Estima-se que existam apenas 400 tigres-de-sumatra livres na natureza.

Além dos tigres, foram apreendidos corpos preservados de outras espécies, como leão, ursos e cervos.

Tigres sumatra (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Corpos de tigres-de-sumatra foram preservados para virar objeto de 'decoração' (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 2 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Espécie natural da Ilha de Sumatra, na Indonésia, está ameaçada de extinção (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Tigres sumatra 3 (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

No local de apreensão dos tigres, também havia leão, ursos e cervos preservados (Foto: Bay Ismoyo/AFP)

Fonte: Globo Natureza


26 de junho de 2012 | nenhum comentário »

Contaminado por chumbo, condor-da-Califórnia corre risco de extinção

Espécie é uma das maiores aves voadoras do mundo.
Chumbo usado em munições está contaminando população.

A recuperação do condor-da-Califórnia, uma espécie extremamente ameaçada de extinção, esbarra na contaminação pelo chumbo encontrado em munições, informa uma pesquisa científica divulgada na edição desta terça-feira (26) da revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

Essa espécie de condor é uma das maiores aves voadoras do mundo e está sob risco de extinção. Em 1982, segundo o estudo, apenas 22 exemplares restavam. Após um intenso trabalho de recuperação, o número saltou para 400 animais no final de 2010 – ainda muito baixo para manter uma população estável.

Agora, o estudo apresentado por Myra Finkelstein, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, indica que, sem intervenção humana para tratar a contaminação, a espécie pode desaparecer em poucas décadas.

Os condores se alimentam de carcaças, da mesma maneira que urubus e abutres. Uma de suas principais fontes de alimentação são mamíferos de grande porte abatidos por caçadores, como os veados. Segundo a pesquisa, as aves se contaminam ao ingerir fragmentos das balas usadas na caça.

Os cientistas capturam regularmente condores-da-Califórnia para tratamento. Anualmente, uma em cada cinco aves encontradas precisa ser desintoxicada. Após o apoio veterinário, ela é devolvida ao meio ambiente.

Condor-da-Califórnia é uma das maiores aves do mundo. (Foto: Cortesia/Joe Burnett )

Condor-da-Califórnia é uma das maiores aves do mundo. (Foto: Cortesia/Joe Burnett )

O condor-da-Califórnia, ameaçado de extinção. (Foto: Cortesia/Daniel George)

O condor-da-Califórnia, ameaçado de extinção. (Foto: Cortesia/Daniel George)

Fonte: Globo Natureza


21 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Espécie de tartaruga marinha nada diferente no Pacífico e no Atlântico

Estilos de nado da tartaruga-de-couro influem na sua alimentação.
Espécie está ameaçada de extinção.

Cientistas descobriram que a tartaruga-de-couro, uma espécie marinha ameaçada de extinção, tem estilos diferentes de natação de acordo com a região do mundo em que vive.

O estudo feito por uma equipe internacional e publicado pela revista científica “PLoS One” comparou a locomoção dessas tartarugas no norte do Oceano Atlântico e no leste do Oceano Pacífico.

As tartarugas do Atlântico conseguem uma variação maior nas formas de nadar. Elas conseguem alternar entre nados lentos e velozes, enquanto as do Pacífico não reduzem a velocidade. Além disso, as tartarugas do Atlântico também conseguem mergulhar mais fundo que suas irmãs.

Segundo o estudo, essas diferenças fazem com que as tartarugas do Pacífico estejam mais ameaçadas. Em altas velocidades, elas não conseguem selecionar o alimento com a mesma qualidade que as do Atlântico, nem buscam comida nas águas mais profundas. Essa tartaruga se alimenta de zooplâncton – organismos que vivem na água, desde protozoários até animais muito pequenos.

Filhotes da tartaruga-de-couro na Malásia, em 2004 (Foto: AFP/Arquivo)

Filhotes da tartaruga-de-couro na Malásia, em 2004 (Foto: AFP/Arquivo)

Fonte: Globo Natureza


17 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Coalas podem desaparecer em cinquenta anos, diz WWF

Destruição das florestas de eucaliptos e doenças levariam a espécie à extinção

A organização não governamental WWF alertou nesta terça-feira que a população de coalasda Austrália corre o risco de extinguir-se nos próximos 50 anos. O representante da ONG na Austrália, Martin Taylor, anunciou que nas últimas duas décadas a população de coalas diminuiu 42%. Segundo Taylor, se a tendência continuar, o marsupial pode desaparecer.

Ameaças - Os ecologistas atribuem a queda do número de coalas à destruição de seu habitat – provocado, segundo a WWF, pelo desenvolvimento humano e pelas alterações climáticas. A espécie vive em florestas naturais de eucaliptos e se alimenta principalmente das folhas frescas das árvores. Outra ameaça aos marsupiais são os surtos da doença clamídia. Essa bactéria, contra a qual os cientistas estão pesquisando uma vacina, produz lesões nos genitais e nos olhos dos coalas, causando infertilidade, cegueira e, posteriormente, a morte.

O número de coalas na Austrália oscila entre 40 mil e 250 mil exemplares, segundo estimativas. No mês passado, o governo australiano catalogou os coalas como “espécie vulnerável” na lista de animais ameaçados no país.

Folhas de eucalipto são o principal alimento dos coalas

Folhas de eucalipto são o principal alimento dos coalas (Reuters)

Fonte: Veja Ciência


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Mais de 400 tartarugas são apreendidas em malas em Bangladesh

Autoridades aduaneiras de Bangladesh apreenderam mais de 400 tartarugas, encontradas em malas que tinham a Tailândia como destino.

Após uma denúncia, funcionários do aeroporto de Daca abriram a bagagem de dois passageiros que estavam voando para Bancoc.

As tartarugas encontradas, algumas de espécies ameaçadas de extinção, tem valor estimado de US$ 35 mil (R$ 65 mil) no mercado negro, já que são populares como bichos de estimação e sua carne pode ser utilizada na medicina oriental.

Duas pessoas de nacionalidade indiana foram presas após o incidente.

Acredita-se que os animais tenham saído da Índia. Segundo ativistas, Daca tem sido cada vez mais usada como rota para o transporte ilegal de animais selvagens.

No ano passado, autoridades na Tailândia encontraram centenas de tartarugas e crocodilos em uma mala que chegou em um voo vindo de Bangladesh.

Fonte: BBC Brasil


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Rússia cria parque para proteção de tigres e leopardos

O governo russo anunciou a criação de uma reserva de 1600 quilômetros quadrados para proteger os leopardos e os tigres-de-amur.

Apelidado de “Terra dos Leopardos”, o parque fica no extremo leste da Rússia. De acordo com a ONG Sociedade de Conservação da Vida Selvagem (WCS), o local combina refúgios para a vida selvagem com terras previamente desprotegidas ao longo da fronteira com a China.

Segundo a lista vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), o leopardo-de-amur está classificado como “criticamente ameaçado”. Existem apenas cerca de 25 animais na natureza.

O tigre-de-amur, que na década de 1930 tinha apenas trinta indivíduos soltos na natureza, hoje está classificado como “em perigo”. Atualmente, a população conta com cerca de 360 animais.

Dale Miquelle, diretor da WCS na Rússia, disse estar otimista com a reserva, já que ela “irá garantir um refúgio para uma das espécies de felino mais ameaças do planeta”.

Fonte: Folha.com


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Macaco rejeitado pela mãe é alimentado em zoológico francês

O pequeno macaco mangabei Loango nasceu em 5 de março.
Animal é protegido por programa para espécies ameaçadas.

Funcionária do zoológico Jardin des Plantes, em Paris, na França, alimenta o macaco mangabei Loango, que nasceu em 5 de março e foi rejeitado pela mãe. (Foto: Kenzo Triboillard/AFP)

Funcionária do zoológico Jardin des Plantes, em Paris, na França, alimenta o macaco mangabei Loango, que nasceu em 5 de março e foi rejeitado pela mãe. (Foto: Kenzo Triboillard/AFP)

Loango, macaco mangabei nascido em zoológico francês (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)

O nascimento de Loango no zoo europeu faz parte do programa europeu de reprodução de espécies ameaçadas. (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)

Loango, macaco mangabei nascido em zoológico francês (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)

O pequeno primata, com pouco mais de um mês de vida, virou atração principal do berçário do zoológico da França. Na imagem, como um bebê humano, Loango chupa um dos dedos da mão. (Foto: AFP Photo/Kenzo Tibouillard)


Próxima página »« Página anterior