6 de março de 2013 | nenhum comentário »

Cerca de 3 mil grandes macacos são vítimas de caça a cada ano, diz ONU

Parte é capturada, e o resto morre, segundo programa de conservação.
Relatório sobre primatas foi apresentado em conferência na Tailândia.

Cerca de 3 mil grandes macacos morrem ou são capturados a cada ano devido ao comércio ilegal, segundo um relatório da ONU publicado nesta segunda-feira (4).

Entre 2005 e 2011 estima-se que mais de 20 mil exemplares de grandes macacos foram vítimas da caça ilegal, segundo o estudo elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), que supervisiona um programa específico de conservação conhecido como Grasp.

“Este comércio está florescendo, e é extremamente perigoso para a sobrevivência no longo prazo dos grandes macacos”, disse o coordenador do Grasp, Doug Cress, que descreveu este negócio ilegal como “sofisticado, engenhoso, bem financiado e bem armado”.

“Nesse ritmo, os macacos desaparecerão muito rápido”, disse Cress.

Além disso, advertiu, a captura de um só chimpanzé envolve, às vezes, matar outros dez.

“Não pode se meter na selva e pegar só um. Tem que brigar. Tem que matar os outros chimpanzés do grupo”, disse Cress à imprensa, durante a conferência da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas (Cites) sobre espécies em perigo realizada em Bangcoc.

O comércio internacional de chimpanzés, bonobos e gorilas, as três espécies de grandes símios africanos, assim como de orangotangos, a única espécie asiática, está proibido em virtude da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES), cujos países membros estão reunidos nesta semana na capital tailandesa.

Segundo o relatório, muitos destes macacos são vendidos como animais domésticos a compradores ricos, que os veem como um símbolo de poder, ou são adquiridos por zoológicos de reputação duvidosa e explorados pela indústria do turismo ou do entretenimento.

Uma fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. População de primatas desta espécie aumentou, aponta censo (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

Fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

 

Fonte: Globo Natureza


14 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

População de gorila africano cresceu em dois anos, aponta censo

Entre 2010 e 2012, houve aumento de 94 gorilas-da-montanha.
Apesar de aumento, espécie continua ameaçada de extinção.

Censo divulgado nesta terça-feira (12) pelo governo de Uganda afirma que a população mundial de gorilas-da-montanha (Gorilla beringei beringei) cresceu em quase cem indivíduos entre 2010 e 2012.

Há dois anos, a população global desta espécie de primata, considerada ameaçada de extinção, era de 786. Agora, de acordo com levantamento feito em duas localidades, aponta que existem na natureza 880 gorilas.

O levantamento, que contou com a ajuda da organização não governamental WWF, foi realizado nas áreas de Bwindi e Virunga Massif, que abrangem a República Democrática do Congo, Uganda e Ruanda. Espécimes deste primata só vivem nesta região.

Segundo David Greer, gerente do WWF, os gorilas-da-montanha experimentam um crescimento na quantidade de exemplares que não ocorre com nenhum outro primata.

As maiores ameaças a esta espécie são armadilhas de caça implantadas no interior das florestas, doenças transmitidas por seres humanos e a perda de habitat, consequência do desmatamento.

No Parque Nacional de Virunga, por exemplo, ao menos sete gorilas foram capturados por armadilhas em 2012 e dois exemplares morreram. A exploração de petróleo em parques nacionais do Congo também é motivo de preocupação, dizem ambientalistas.

Os gorilas-da-montanha vivem em grupos sociais. O censo aponta que 400 exemplares estão na região impenetrável de Bwindi, distribuídos em 36 grupos sociais distintos, com 16 machos solitários. Dez desses grupos estariam habituados à presença de humanos.

Uma fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. População de primatas desta espécie aumentou, aponta censo (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

Uma fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. População de primatas desta espécie aumentou, aponta censo (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

Fonte: Globo Natureza


27 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Gorila de 5 anos se enforca por acidente e morre em zoo de Praga

Tatu brincava na manhã desta sexta-feira (27) em estrutura feita de corda.
Nascimento do primata foi transmitido ao vivo pela internet, em 2007.

Um gorila de 5 anos se enforcou acidentalmente e morreu na manhã desta sexta-feira (27) no Zoológico de Praga, na República Tcheca.

Gorila 1 (Foto: Michael Cizek/AFP)

Gorila Tatu aparece em foto de 7 agosto de 2007, com nove semanas de idade (Foto: Michael Cizek/AFP)

Na ocasião, Tatu brincava em uma estrutura feita de corda na ala dos gorilas.

Gorila 2 (Foto: Michael Cizek/AFP)

Ainda filhote, animal aparece sendo segurado pela mãe, Kijivu, no zoo de Praga (Foto: Michael Cizek/AFP)

O primata ficou famoso em 2007, quando seu nascimento foi transmitido ao vivo pela internet. Na foto acima, Tatu é segurado pela mãe, Kijivu.

Fonte: Globo Natureza

 


8 de março de 2012 | nenhum comentário »

Único gorila macho em cativeiro na América do Sul morre em BH

O gorila Idi Amin, maior atração do zoológico de Belo Horizonte, morreu na manhã desta quarta-feira após uma parada cardiorrespiratória. No momento da morte, o primata, que tinha 37 anos, passava por um procedimento médico de rotina feito por biólogos dentro da jaula em que vivia com outras duas gorilas que chegaram ao zoo no ano passado, vindas da Inglaterra.

A Fundação Zoobotânica, que administra o parque, informou que o animal vinha sendo tratado de um ferimento recente em um dos braços, que estava melhorando aos poucos. No entanto, nas últimas semanas, outras doenças crônicas – como insuficiência renal e osteoartrite – complicaram o quadro de saúde do animal, que passou a sofrer de anemia e desidratação. “Devido à idade avançada e à ação conjunta destas enfermidades, seu estado clínico se agravou gradativamente nas últimas semanas, não apresentando resposta clínica satisfatória ao tratamento intensivo realizado”, disse a fundação em nota.

A entidade afirmou ainda que na manhã desta quarta-feira foi feita uma intervenção farmacológica para a coleta de amostras para novos exames. “Infelizmente, devido ao seu estado já debilitado, Idi apresentou uma parada cardiorrespiratória irreversível e veio a óbito às 11h”. Segundo a Fundação Zoobotânica, ainda hoje será realizada a necropsia do animal. O resultado deve ficar pronto em aproximadamente 30 dias, com o laudo final da causa da morte.

Gorila chegou ao zoo com 2 anos de idade
Idi chegou ao zoo da capital mineira em 1975, com apenas dois anos de idade. Com ele, chegou a gorila Dada, que morreu em 1978 por complicações de uma inflamação no ouvido. Em 1984, a gorila Cleópatra foi inserida no ambiente de Idi, mas, já debilitada, morreu com apenas 14 dias de cativeiro. No ano passado, depois de mais de 27 anos de solidão, Idi Amin recebeu duas novas companheiras. Imbi e Kifta vieram da Fundação John Aspinall, da Inglaterra.

O médico-veterinário e diretor da Fundação Zoobotânica, Carlyle Coelho, contou na época que era uma “vitória muito grande para o zoológico a chegada das duas gorilas. Idi, até então, era o único representante da espécie em cativeiro na América do Sul”. Segundo Coelho, há mais de uma década o zoológico vinha negociando com os ingleses.

Idi Amin chegou a acasalar com as gorilas, mas, segundo a Fundação Zoobotânica, até hoje não foi confirmada a gravidez de nenhuma delas. “Toda a direção e funcionários da FZB-BH estão consternados com a perda de Idi, em especial aqueles que trabalharam ao seu lado ao longo destes 37 anos. Idi será sempre insubstituível”, concluiu a Fundação Zoobotânica em nota à imprensa.

Em setembro, Idi Amin recebeu duas fêmeas após 27 anos de solidão. Foto: Ney Rubens/Especial para Terra

Em setembro, Idi Amin recebeu duas fêmeas após 27 anos de solidão Foto: Ney Rubens/Especial para Terra

Fonte: Portal Terra


31 de março de 2011 | nenhum comentário »

Vírus humano pode ter infectado gorila ameaçado na África, diz estudo

Cientistas encontraram vírus em dois animais mortos em 2009.
Estima-se que existam apenas 786 gorilas de montanha na natureza

Um novo estudo descobriu que um vírus que causa doenças respiratórias fatais em seres humanos pode ser transmitido a gorilas de montanha na região central da África que estão criticamente ameaçados de extinção.

Pesquisadores encontraram traços do vírus Metapneumovirus

no country for old men film downloads

durante exames de dois gorilas que morreram em 2009 no Parque Nacional de Vulcões de Ruanda. Os dois animais estavam em um grupo de 12 infectados por uma doença respiratória.

A pesquisa, realizada por cientistas da Universidade de Columbia e da Califórnia, foi publicado no periódico científico Emerging Infectious Diseases.

Estima-se que existam apenas 786 gorilas de montanha vivendo na natureza. Eles habitam principalmente países como Ruanda, Uganda e República Democrática do Congo.

Fonte: Globo Natureza


11 de fevereiro de 2011 | nenhum comentário »

Ruanda registra raro nascimento de gêmeos de gorila-das-montanhas

População mundial de espécie ameaçada de extinção é de 780 animais; registro é apenas o 5º do tipo no país.

Filhotes gêmeos de gorilas-das-montanhas nasceram em um parque nacional de Ruanda, uma ocorrência considerada rara pelos grupos conservacionistas. Este é apenas o quinto registro de nascimento de gêmeos na história da subespécie no país e, até então, o caso mais recente havia ocorrido em 2004, segundo o grupo conservacionista The Gorilla Organization.

A espécie ainda é tida como ameaçada de extinção, apesar do recente crescimento na sua população em parques nacionais na África. Estima-se que menos de 800 gorilas-das-montanha vivam livres na natureza.

“É muito raro ouvirmos falar de gêmeos gorilas, portanto estamos muito felizes com a notícia”, diz Emmanuel Bugingo, porta-voz da entidade em Ruanda.

Crescimento
Ian Redmond, presidente da Aliança Ape, coalizão internacional de entidades que trabalham pela defesa e conservação de macacos, diz que ‘gorilas fêmeas têm geralmente apenas um filhote a cada quatro anos, uma das razões pelas quais os animais são tão vulneráveis’.

O gorila-das-montanhas (Gorilla beringei beringei) é uma das duas subespécies do Gorilla beringei (gorila-do-oriente), encontrado nas montanhas do leste da República Democrática do Congo e em regiões próximas a Ruanda e Uganda. A Gorilla beringei graueri, a outra subespécie, é mais numerosa, com cerca de 5 mil indivíduos.

No ano passado, uma contagem revelou que a ameaçada população de gorilas-das-montanhas aumentou significativamente nos últimos 30 anos, subindo de 250 para 480 na região de Virunga Massif, onde vive a maioria dos gorilas de montanhas, em parques dos três países.

Existem ainda cerca de 302 animais, de acordo com o censo de 2006, vivendo no parque de Bwindi, em Uganda.

Gorila gêmeos 1 (Foto: Gorilla Organization)

star wars: episode 5i – return of the jedi movie

Mãe com gêmeos em parque nacional de Ruanda,
na África. (Foto: Gorilla Organization)

Fonte: Globo Natureza






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

novembro 2018
S T Q Q S S D
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

6 de março de 2013 | nenhum comentário »

Cerca de 3 mil grandes macacos são vítimas de caça a cada ano, diz ONU

Parte é capturada, e o resto morre, segundo programa de conservação.
Relatório sobre primatas foi apresentado em conferência na Tailândia.

Cerca de 3 mil grandes macacos morrem ou são capturados a cada ano devido ao comércio ilegal, segundo um relatório da ONU publicado nesta segunda-feira (4).

Entre 2005 e 2011 estima-se que mais de 20 mil exemplares de grandes macacos foram vítimas da caça ilegal, segundo o estudo elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), que supervisiona um programa específico de conservação conhecido como Grasp.

“Este comércio está florescendo, e é extremamente perigoso para a sobrevivência no longo prazo dos grandes macacos”, disse o coordenador do Grasp, Doug Cress, que descreveu este negócio ilegal como “sofisticado, engenhoso, bem financiado e bem armado”.

“Nesse ritmo, os macacos desaparecerão muito rápido”, disse Cress.

Além disso, advertiu, a captura de um só chimpanzé envolve, às vezes, matar outros dez.

“Não pode se meter na selva e pegar só um. Tem que brigar. Tem que matar os outros chimpanzés do grupo”, disse Cress à imprensa, durante a conferência da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas (Cites) sobre espécies em perigo realizada em Bangcoc.

O comércio internacional de chimpanzés, bonobos e gorilas, as três espécies de grandes símios africanos, assim como de orangotangos, a única espécie asiática, está proibido em virtude da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES), cujos países membros estão reunidos nesta semana na capital tailandesa.

Segundo o relatório, muitos destes macacos são vendidos como animais domésticos a compradores ricos, que os veem como um símbolo de poder, ou são adquiridos por zoológicos de reputação duvidosa e explorados pela indústria do turismo ou do entretenimento.

Uma fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. População de primatas desta espécie aumentou, aponta censo (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

Fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

 

Fonte: Globo Natureza


14 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

População de gorila africano cresceu em dois anos, aponta censo

Entre 2010 e 2012, houve aumento de 94 gorilas-da-montanha.
Apesar de aumento, espécie continua ameaçada de extinção.

Censo divulgado nesta terça-feira (12) pelo governo de Uganda afirma que a população mundial de gorilas-da-montanha (Gorilla beringei beringei) cresceu em quase cem indivíduos entre 2010 e 2012.

Há dois anos, a população global desta espécie de primata, considerada ameaçada de extinção, era de 786. Agora, de acordo com levantamento feito em duas localidades, aponta que existem na natureza 880 gorilas.

O levantamento, que contou com a ajuda da organização não governamental WWF, foi realizado nas áreas de Bwindi e Virunga Massif, que abrangem a República Democrática do Congo, Uganda e Ruanda. Espécimes deste primata só vivem nesta região.

Segundo David Greer, gerente do WWF, os gorilas-da-montanha experimentam um crescimento na quantidade de exemplares que não ocorre com nenhum outro primata.

As maiores ameaças a esta espécie são armadilhas de caça implantadas no interior das florestas, doenças transmitidas por seres humanos e a perda de habitat, consequência do desmatamento.

No Parque Nacional de Virunga, por exemplo, ao menos sete gorilas foram capturados por armadilhas em 2012 e dois exemplares morreram. A exploração de petróleo em parques nacionais do Congo também é motivo de preocupação, dizem ambientalistas.

Os gorilas-da-montanha vivem em grupos sociais. O censo aponta que 400 exemplares estão na região impenetrável de Bwindi, distribuídos em 36 grupos sociais distintos, com 16 machos solitários. Dez desses grupos estariam habituados à presença de humanos.

Uma fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. População de primatas desta espécie aumentou, aponta censo (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

Uma fêmea de gorila-da-montanha com seu filhote. População de primatas desta espécie aumentou, aponta censo (Foto: Divulgação/Martin Harvey/WWF)

Fonte: Globo Natureza


27 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Gorila de 5 anos se enforca por acidente e morre em zoo de Praga

Tatu brincava na manhã desta sexta-feira (27) em estrutura feita de corda.
Nascimento do primata foi transmitido ao vivo pela internet, em 2007.

Um gorila de 5 anos se enforcou acidentalmente e morreu na manhã desta sexta-feira (27) no Zoológico de Praga, na República Tcheca.

Gorila 1 (Foto: Michael Cizek/AFP)

Gorila Tatu aparece em foto de 7 agosto de 2007, com nove semanas de idade (Foto: Michael Cizek/AFP)

Na ocasião, Tatu brincava em uma estrutura feita de corda na ala dos gorilas.

Gorila 2 (Foto: Michael Cizek/AFP)

Ainda filhote, animal aparece sendo segurado pela mãe, Kijivu, no zoo de Praga (Foto: Michael Cizek/AFP)

O primata ficou famoso em 2007, quando seu nascimento foi transmitido ao vivo pela internet. Na foto acima, Tatu é segurado pela mãe, Kijivu.

Fonte: Globo Natureza

 


8 de março de 2012 | nenhum comentário »

Único gorila macho em cativeiro na América do Sul morre em BH

O gorila Idi Amin, maior atração do zoológico de Belo Horizonte, morreu na manhã desta quarta-feira após uma parada cardiorrespiratória. No momento da morte, o primata, que tinha 37 anos, passava por um procedimento médico de rotina feito por biólogos dentro da jaula em que vivia com outras duas gorilas que chegaram ao zoo no ano passado, vindas da Inglaterra.

A Fundação Zoobotânica, que administra o parque, informou que o animal vinha sendo tratado de um ferimento recente em um dos braços, que estava melhorando aos poucos. No entanto, nas últimas semanas, outras doenças crônicas – como insuficiência renal e osteoartrite – complicaram o quadro de saúde do animal, que passou a sofrer de anemia e desidratação. “Devido à idade avançada e à ação conjunta destas enfermidades, seu estado clínico se agravou gradativamente nas últimas semanas, não apresentando resposta clínica satisfatória ao tratamento intensivo realizado”, disse a fundação em nota.

A entidade afirmou ainda que na manhã desta quarta-feira foi feita uma intervenção farmacológica para a coleta de amostras para novos exames. “Infelizmente, devido ao seu estado já debilitado, Idi apresentou uma parada cardiorrespiratória irreversível e veio a óbito às 11h”. Segundo a Fundação Zoobotânica, ainda hoje será realizada a necropsia do animal. O resultado deve ficar pronto em aproximadamente 30 dias, com o laudo final da causa da morte.

Gorila chegou ao zoo com 2 anos de idade
Idi chegou ao zoo da capital mineira em 1975, com apenas dois anos de idade. Com ele, chegou a gorila Dada, que morreu em 1978 por complicações de uma inflamação no ouvido. Em 1984, a gorila Cleópatra foi inserida no ambiente de Idi, mas, já debilitada, morreu com apenas 14 dias de cativeiro. No ano passado, depois de mais de 27 anos de solidão, Idi Amin recebeu duas novas companheiras. Imbi e Kifta vieram da Fundação John Aspinall, da Inglaterra.

O médico-veterinário e diretor da Fundação Zoobotânica, Carlyle Coelho, contou na época que era uma “vitória muito grande para o zoológico a chegada das duas gorilas. Idi, até então, era o único representante da espécie em cativeiro na América do Sul”. Segundo Coelho, há mais de uma década o zoológico vinha negociando com os ingleses.

Idi Amin chegou a acasalar com as gorilas, mas, segundo a Fundação Zoobotânica, até hoje não foi confirmada a gravidez de nenhuma delas. “Toda a direção e funcionários da FZB-BH estão consternados com a perda de Idi, em especial aqueles que trabalharam ao seu lado ao longo destes 37 anos. Idi será sempre insubstituível”, concluiu a Fundação Zoobotânica em nota à imprensa.

Em setembro, Idi Amin recebeu duas fêmeas após 27 anos de solidão. Foto: Ney Rubens/Especial para Terra

Em setembro, Idi Amin recebeu duas fêmeas após 27 anos de solidão Foto: Ney Rubens/Especial para Terra

Fonte: Portal Terra


31 de março de 2011 | nenhum comentário »

Vírus humano pode ter infectado gorila ameaçado na África, diz estudo

Cientistas encontraram vírus em dois animais mortos em 2009.
Estima-se que existam apenas 786 gorilas de montanha na natureza

Um novo estudo descobriu que um vírus que causa doenças respiratórias fatais em seres humanos pode ser transmitido a gorilas de montanha na região central da África que estão criticamente ameaçados de extinção.

Pesquisadores encontraram traços do vírus Metapneumovirus

no country for old men film downloads

durante exames de dois gorilas que morreram em 2009 no Parque Nacional de Vulcões de Ruanda. Os dois animais estavam em um grupo de 12 infectados por uma doença respiratória.

A pesquisa, realizada por cientistas da Universidade de Columbia e da Califórnia, foi publicado no periódico científico Emerging Infectious Diseases.

Estima-se que existam apenas 786 gorilas de montanha vivendo na natureza. Eles habitam principalmente países como Ruanda, Uganda e República Democrática do Congo.

Fonte: Globo Natureza


11 de fevereiro de 2011 | nenhum comentário »

Ruanda registra raro nascimento de gêmeos de gorila-das-montanhas

População mundial de espécie ameaçada de extinção é de 780 animais; registro é apenas o 5º do tipo no país.

Filhotes gêmeos de gorilas-das-montanhas nasceram em um parque nacional de Ruanda, uma ocorrência considerada rara pelos grupos conservacionistas. Este é apenas o quinto registro de nascimento de gêmeos na história da subespécie no país e, até então, o caso mais recente havia ocorrido em 2004, segundo o grupo conservacionista The Gorilla Organization.

A espécie ainda é tida como ameaçada de extinção, apesar do recente crescimento na sua população em parques nacionais na África. Estima-se que menos de 800 gorilas-das-montanha vivam livres na natureza.

“É muito raro ouvirmos falar de gêmeos gorilas, portanto estamos muito felizes com a notícia”, diz Emmanuel Bugingo, porta-voz da entidade em Ruanda.

Crescimento
Ian Redmond, presidente da Aliança Ape, coalizão internacional de entidades que trabalham pela defesa e conservação de macacos, diz que ‘gorilas fêmeas têm geralmente apenas um filhote a cada quatro anos, uma das razões pelas quais os animais são tão vulneráveis’.

O gorila-das-montanhas (Gorilla beringei beringei) é uma das duas subespécies do Gorilla beringei (gorila-do-oriente), encontrado nas montanhas do leste da República Democrática do Congo e em regiões próximas a Ruanda e Uganda. A Gorilla beringei graueri, a outra subespécie, é mais numerosa, com cerca de 5 mil indivíduos.

No ano passado, uma contagem revelou que a ameaçada população de gorilas-das-montanhas aumentou significativamente nos últimos 30 anos, subindo de 250 para 480 na região de Virunga Massif, onde vive a maioria dos gorilas de montanhas, em parques dos três países.

Existem ainda cerca de 302 animais, de acordo com o censo de 2006, vivendo no parque de Bwindi, em Uganda.

Gorila gêmeos 1 (Foto: Gorilla Organization)

star wars: episode 5i – return of the jedi movie

Mãe com gêmeos em parque nacional de Ruanda,
na África. (Foto: Gorilla Organization)

Fonte: Globo Natureza