5 de setembro de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS realiza soltura de animais

No mês de julho o IPEVS realizou a soltura de alguns animais resgatados pela instituição. Após receberem os cuidados e constatado que os animais estavam aptos para voltarem a seu habitat natural o IPEVS em parceria com o IAP – Instituto Ambiental do Paraná realizou a soltura de um de gato mourisco, um cágado, um ratão do banhado, cobra d’água e um gato do mato.  Os animais foram soltos em uma reserva indicada pelo IAP.

Gato Mourisco – (Puma yagouaroundi)

Gato mourisco que recebeu os cuidados da equipe do IPEVS. Foto: IPEVS

Felino de atividade predominantemente diurna, com dieta carnívora, de ocorrência em todo o Brasil exceto o sul do Rio Grande do Sul. O gato mourisco possui uma coloração escura, geralmente marrom-acinzentada, avermelhada ou quase preta. As orelhas são arredondadas e a perna é curta. Como a maioria dos felinos, o gato mourisco é solitário, exceto em épocas reprodução. O período de gestação é de aproximadamente 2 meses e após o nascimento a mãe ensina aos filhotes as noções de sobrevivência e alimentação na floresta.

Esta espécie é a única entre os felinos brasileiros que não se encontra na Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Sendo a principal ameaça para sobrevivência da espécie a destruição e fragmentação dos habitats.

Em 2011 o IPEVS resgatou 2 filhotes de gato mourisco em Cornélio Procópio (click e veja a noticia http://ipevs.org.br/blog/?p=8738). Infelizmente um dos filhotes veio a óbito. O outro filhote continuou recebendo os cuidados da equipe do IPEVS, principalmente dos graduandos de Ciências Biológicas e estagiários do IPEVS Naiara Palumbo e Eduardo Alves. Este filhote tratava-se de uma fêmea que cresceu saudável e após o trabalho de reabilitação a gata estava apta a voltar a seu habitat natural.

Após trabalho de reabilitação o animal estava apto para voltar ao seu habitat natural. Foto: IPEVS

 

Cágado de barbicha – (Phrynops geoffroanus)

Cágado de barbicha. Foto: IPEVS

O cágado de barbicha é uma espécie de quelônios de ampla distribuição na América do Sul, ocupando diversos habitats inclusive rios degradados pela ação de poluentes gerados pelo homem. O cágado de barbicha alimenta-se de frutos, moluscos e pequenos peixes.

O IPEVS recebe com frequência cágados que são levados até o instituto principalmente capturados por pescadores, sendo os cágados atraídos pela isca fixada no anzol.  Os exemplares recebem tratamento necessário e posteriormente são encaminhados para soltura.

O cágado de barbicha é uma espécie de quelônios que ocorre em nossa região. Foto: IPEVS

 

Ratão do Banhado – (Myocastor coypus)

Grande espécie de roedor, o ratão do banhado vive próximo a cursos d'água. Foto: IPEVS

O Ratão do banhado é uma grande espécie de roedor encontrado na América do Sul, no Brasil ocorre originalmente no Rio Grande do Sul, atualmente é encontrada também até o estado de São Paulo.  Vivem próximos a cursos d’água e deslocam-se principalmente na água. Animal de atividade noturna, alimenta-se principalmente de capim, raízes e plantas aquáticas, realizando o controle populacional de várias espécies vegetais.

O IPEVS resgatou um individuo da espécie no final do mês de julho, em Cornélio Procópio, o animal foi atendido pelo médico veterinário do IPEVS, atestando que o animal estava em perfeitas condições, possibilitando a soltura do exemplar.

Espécie captura na cidade de Cornélio Procópio - PR e encaminhada para soltura. Foto: IPEVS

 

Cobra d’água (Helicops infrataeniatus)

Helicops é um gênero de serpentes que apresenta olhos e narinas posicionados próximo a região anterior da cabeça, como adaptação ao hábito exclusivamente aquático, são popularmente conhecidas como cobra d’água. Alimentam-se de peixes e anfíbios.  Este grupo de serpentes não apresenta veneno ou perigo ao homem.

Livea Samara de Almeida, bióloga e diretora administrativa do IPEVS que atualmente é estudante do curso de medicina veterinária da UENP – Campus Bandeirantes, recebeu a serpente no campus da universidade. A cobra d’água estava com um anzol preso na região da boca. O anzol foi removido e a serpente encaminhada para o IPEVS permanecendo em cativeiro para cuidados da região oral atingida pelo anzol e após a cicatrização do ferimento foi encaminhada para soltura.

Após cuidados a cobra d'água foi encaminhada para soltura. Foto: IPEVS

 

Gato – do – mato (Leopardus tigrinus)

Gato-do-mato resgatado em Cornélio Procópio - PR. Foto: IPEVS

O gato-do-mato ocorre em todo o Brasil, podendo habitar regiões próximas a áreas agrícolas. Felino de hábito solitário e atividade predominantemente noturna. Alimenta-se de pequenos vertebrados, como mamíferos, aves e lagartos.

Devido à destruição de seu habitat, á caça predatória para comercialização de peles e o grande número de atropelamentos esta espécie é considerada como vulnerável no estado do Paraná.

O IPEVS realizou o resgate de um gato-do- mato em Cornélio Procópio também no mês de julho de 2012. Depois de avaliado o felino foi translocado para uma área de mata afastada.

Depois de avaliado o felino foi translocado para uma área de mata afastada. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


1 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS, IAP e Força Verde realizam resgate de onça parda no Município de Cornélio Procópio

Na última segunda-feira (30/07) o IAP – Instituto Ambiental do Paraná e Força Verde receberam um chamado para resgate de uma onça parda em uma propriedade localizada no município de Cornélio Procópio – PR, as margens da BR 369 próximo ao Rio Congonhas.  Os funcionários daquela área perceberam um comportamento diferente de seus cachorros e verificaram que a inquietação destes era devido a presença de uma onça localizada em uma árvore da área rural.  O proprietário da fazenda entrou em contato com os órgãos responsáveis para a realização do resgate.

O IAP acionou a equipe do IPEVS – Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Meio Ambiente, a qual trabalha como parceira do IAP na realização de resgates de animais silvestres.

A equipe do IAP e do IPEVS se deslocou até o local com o equipamento necessário para a operação e contou com a colaboração da Força Verde e os trabalhadores da propriedade.  A área foi observada para que a captura fosse realizada com segurança para o animal e para os integrantes da operação. Após a análise do local e porte do animal, os dardos com sedativos foram preparados pelo médico veterinário do IPEVS e injetados na onça. O animal sedado ficou sobre a árvore, obrigando a equipe a subir até o local e amarra-la para que a mesma fosse descida até o solo onde foram realizados exames clínicos, atestando a sanidade do animal e no qual foi possível determinar tratar-se de um macho.  A onça foi colocada em uma caixa-transporte permanecendo na sede do IAP enquanto seu destino era definido.

Segundo Renata Alfredo, Bióloga do IPEVS, o animal capturado é uma onça parda ou suçuarana (Puma concolor), macho, adulto de aproximadamente 15 anos, espécie que ocorre em todo o Brasil, sendo a segunda maior espécie de felinos do país, animal ágil sendo capaz de saltar de grandes alturas, de hábito solitário e atividade noturna com uma dieta carnívora.  A espécie costuma percorrer grandes distâncias. A caça e alteração de seu habitat são as principais ameaças de sobrevivência da suçuarana, segundo o Livro Vermelho da Fauna Ameaçada do Paraná, o Puma concolor está com status de espécie vulnerável no estado.

O animal foi encaminhado para soltura em uma reserva as margens do Rio Tibagi.

Após análises fotográficas os técnicos do IPEVS e do IAP concluíram que este não é o mesmo animal que recentemente foi avistado na região da Água do Veado e que conseguiu fugir durante uma tentativa de captura.

Onça Parda localizada em propriedade as margens da BR369. Foto: IPEVS

 

Resgate onça parda, aplicação do sedativo realizada por Claudionor Galego - IAP. Foto: IPEVS

 

Animal já sedado sendo deslocado para o solo. Foto: IPEVS

 

Captura da onça parda. Foto: IPEVS

 

Onça parda encaminhada para sede do IAP após resgate. Foto: IPEVS

 

Suçuarana, o animal resgatado tratava-se de um macho adulto, a captura foi realizada pelo IPEVS, IAP e Força Verde. Foto: IPEVS

 

Devanil José Bonni - Chefe do IAP em entrevista para diversos órgãos de imprensa da região. Foto: IPEVS

 

 

Fonte: Ascom IPEVS


30 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Resgates, atendimentos e solturas realizados pelo IPEVS no 1º semestre de 2012.

O IPEVS – Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Meio Ambiente realiza em nossa cidade e região resgates, atendimentos e solturas de animais silvestres. Estes são realizados em parceria com o IAP – Instituto Ambiental do Paraná e Corpo de Bombeiros que acionam a equipe do IPEVS e também com a colaboração de cidadãos que quando se deparam com esses animais entram em contato com o IPEVS.

Os animais são resgatados e posteriormente realizados exames clínicos pelo médico veterinário do IPEVS, e quando constatado que estes se encontram em perfeita sanidade são encaminhados para soltura. E alguns animais são mantidos em cativeiro devido à impossibilidade de serem devolvidos ao seu habitat natural.

Confira o trabalho de resgates, atendimentos e soltura realizado pela equipe do IPEVS no primeiro semestre de 2012.

 

Gambá no telhado de uma residência em Cornélio Procópio. Foto: IPEVS

 

Gambá (Didelphis Albiventris)

No mês de maio, em um mesmo dia, o IPEVS realizou 2 resgates de gambá em Cornélio Procópio, um na Vila Santa Terezinha e outro no Jardim Fortunato Cibin.

Os gambás são mamíferos marsupiais, ou seja, apresentam uma bolsa abdominal a qual os filhotes permanecem por um período de desenvolvimento, semelhante ao canguru. Sua presença na região urbana está relacionada principalmente à disponibilidade de restos de alimentos, insetos e abrigos (forros de casa, porões). Os 2 gambás foram capturados e passaram por exames clínicos pelo médico veterinário do IPEVS, após constatar que os animais encontravam-se saudáveis estes foram encaminhados para soltura.

 

Gambá captura e encaminhado para soltura, resgate realizado pela equipe do IPEVS. Foto: IPEVS

 

Falsa-coral, espécie de serpente que ocorre em nossa região. Foto: IPEVS

 

Falsa- Coral (Oxyrhopus guibei)

A falsa coral é uma serpente muito comum em nossa região, com coloração avermelhada com faixas pretas alternadas. O nome falsa- coral é devido sua semelhança com as corais verdadeiras. Sendo diferenciadas pelo tamanho dos olhos, formato da cauda e da cabeça e principal pela posição dos dentes inoculadores de veneno. A falsa – coral apresenta dentição opistóglifa, ou seja, os dentes inoculadores de veneno ficam localizados no fundo da boca.

A captura desta espécie é realizada constantemente pela equipe do IPEVS, graças à pessoas conscientes que ao encontrarem as serpentes próximas de suas residências ou em seus locais de trabalho, entram em contato com o IPEVS ou Corpo de Bombeiros.

 

A serpente foi encontrada por Aldecir Costa, em uma manopla da Sanepar. Aldecir que conhece o trabalho realizado pelo IPEVS, entrou em contato com a equipe para realizar a captura. Foto: IPEVS

 

A serpente captura está sendo mantida em cativeiro no CEAMA - Centro de Educação Ambiental Mundo Animal, projeto coordenado pelo IPEVS. Foto: IPEVS

 

Tentativa de resgate onça parda em junho de 2012. Foto: IPEVS

 

Onça Parda (Puma concolor)

No dia 18 de junho de 2012, o IAP entrou em contato com o IPEVS para realização de resgate de uma onça parda ou suçuarana em uma propriedade de Cornélio Procópio. A equipe do IPEVS junto com a equipe do IAP esteve no local para realizar a captura.

Para o resgate de animais como onça são necessários alguns equipamentos como zarabatana ou rifle para aplicação de dardos tranquilizantes com a função de sedar o animal. Na ocasião os dardos foram adaptados para a utilização do equipamento, um dos motivos que dificultou o processo de captura, não sendo possível a realização do resgate.

Já no mês de julho, o IPEVS recebeu outro chamado do IAP para resgate  de outra onça parda em nossa região, após captura e atestado a sanidade do animal este foi encaminhado para soltura.  Click  http://ipevs.org.br/blog/?p=10358 para acessar informações e imagens sobre este resgate.

A onça estava em uma propriedade de Cornélio Procópio. Foto: IPEVS

 

Tucano do bico verde, exemplar atendido pela equipe do IPEVS. Foto: IPEVS

 

Tucano do Bico Verde

( Ramphastos dicolorus)

O Tucano do bico verde ocorre em áreas florestadas, desde o litoral até zonas montanhosas. Possui hábito alimentar onívoro, alimentando-se de insetos, pequenos vertebrados e principalmente frutos, atuando como dispersor de sementes.

O IPEVS recebeu um exemplar de Tucano do bico verde, este encontrava-se muito debilitado, mesmo com todo o cuidado e tratamento realizado pela equipe do IPEVS o tucano infelizmente não resistiu e veio a óbito.

 

Mesmo com todo cuidado da equipe o tucano do bico verde não resistiu. Foto: IPEVS

 

Ao encontrar animais silvestres próximo a sua residência entre em contato com os órgãos responsáveis para esse trabalho. Em Cornélio Procópio você pode acionar o IPEVS, IAP ou Corpo de Bombeiros.

 

Fonte: Ascom do IPEVS

 


11 de julho de 2012 | nenhum comentário »

IAP assume autorização para manejo da fauna

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) assumiu as autorizações ambientais para manejo de fauna em processos de licenciamento ambiental. Mudança na legislação vai tornar mais rápida a emissão dos documentos, que antes também deviam ser autorizados pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

Com a mudança, empreendimentos que causam impacto sobre a fauna silvestre e necessitam de Estudos do Impacto Ambiental e Relatórios de Impacto Ambiental (EIA/Rima) precisam se dirigir apenas ao IAP. O estudo deve prever formas de monitoramento, salvamento, resgate e destinação da fauna, além de ações em possíveis acidentes ambientais.

A portaria 097/2012, divulgada em 29 de maio, atende a Lei Complementar Federal 140/2011, que altera as atribuições dos órgãos ambientais nas instâncias Federal, Estadual e Municipal. Documentação necessária para o estudo da fauna ou outras informações podem ser lidas no site http://www.iap.pr.gov.br/arquivos/File/Portaria_097_2012.pdf

 

Fonte: IAP

 


14 de junho de 2012 | nenhum comentário »

IAP comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente

Chefe do IAP, Devanil Bonni; Foto: Cornélio Notícias

Na terça-feira (5), o chefe do Instituto Ambiental do Paraná em Cornélio Procópio, Devanil José Boni, concedeu entrevista ao portal CN e relatou sobre as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente.

A equipe do IAP tinha programado levar as crianças para fazer o plantio de árvores na Mata São Francisco, porém devido às chuvas, eles não puderam realizar essa atividade, a qual será remarcada para outra data.

Além desta, também vai haver um evento de Educação Ambiental no município de Congonhinhas, no qual o IAP vai participar.

Boni ressalta que as pessoas devem preservar o meio ambiente por toda a vida e não apenas na data marcada no calendário, pois o trabalho de educação ambiental é realizado o ano inteiro, sendo fundamental para a sobrevivência do planeta.

 

Click e e ouça a entrevista de Devanil José Boni http://www.cornelionoticias.com.br/posts/10554/destaque/iap_comemora_o_dia_mundial_do_meio_ambiente/

 

Fonte: Cornélio Notícias


4 de junho de 2012 | nenhum comentário »

IAP apreende aves silvestres na região de Sertaneja e Andirá

Na quarta-feira (30), o chefe do IAP (Instituto Ambiental do Paraná) em Cornélio Procópio, Devanil José Bonni, relatou ao portal CN sobre a apreensão de pássaros silvestres em nossa região.
A equipe de fiscalização do IAP esteve em apoio às polícias civil e militar nos municípios de Sertaneja e Andirá, onde foram encontradas aves silvestres em cativeiro.

Na cidade de Sertaneja foram apreendidos 04 pássaros no interior de uma residência e encaminhados para o IAP, já no município de Andirá foram apreendidos um total de 10 pássaros, os quais não podem permanecer em cativeiro por serem nativos da fauna brasileira.

As pessoas envolvidas não tem a documentação das aves, portanto perderam esses pássaros.
O tráfico de animais silvestres existe em nossa região, porém o IAP vem trabalhando para combater esse tipo de crime.

Click http://www.cornelionoticias.com.br/posts/10434/destaque/iap_apreende_aves_silvestres_na_regiao_de_sertaneja_e_andira/  e ouça a entrevista com Devanil José Bonni (Chefe do IAP)

 

Fonte: Cornélio Notícias


25 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Uso do Fundo Estadual do Meio Ambiente será divulgado pela internet

O Conselho Administrativo do Fema (Fundo Estadual do Meio Ambiente) aprovou quarta-feira (23) as contas de 2011 e a previsão orçamentária para o ano de 2012. O planejamento de aplicação dos recursos e a prestação de contas serão divulgados no site www.iap.pr.gov.br, pelo link “Transparência Pública”.

O fundo é administrado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que recolhe autos de infração e taxas ambientais. Os recursos são usados para financiar planos e programas ou projetos para o controle, preservação, conservação e recuperação do meio ambiente.

Entre janeiro e abril, o fundo aumentou 13% em suas arrecadações, em comparação com o mesmo período do ano passado. O valor estimado para o este ano é de pouco mais de R$ 17 milhões. O conselho administrativo é composto por representantes do IAP, das secretarias do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Agricultura e Abastecimento, do Planejamento e da Procuradoria Geral do Estado.

Para o presidente do Conselho e secretário do Meio Ambiente, Jonel Iurk, os números mostram um avanço significativo na gestão dos recursos. “Ainda há o que melhorar, mas avançamos muito. Principalmente na gestão dos recursos com planejamento e na democratização das informações, optando por colocar à disposição de todos a aplicação dos recursos no site do IAP, antes mesmo da lei de transparência pública”.

Os recursos serão aplicados em ações como educação ambiental e parcerias com o terceiro setor, agenda 21, gestão da qualidade do ar, recuperação de áreas degradadas, monitoramento da qualidade da água, programa Bioclima Paraná, monitoramento por satélites, apoio a faxinais, laboratórios do IAP, melhorias na infraestrutura dos órgãos ambientais, mapeamento de concentração de metais pesados e inventário de emissão de gases de efeito estufa.

OUTROS – Além do fundo, o IAP também apresentou crescimento de 20% de janeiro a abril na arrecadação de outros, se comparado com o mesmo período em 2011. Segundo Antenor de Matos Pinheiro, diretor administrativo-financeiro do IAP, essa arrecadação será usada para planejamento de reformas, aquisição de novos veículos e melhorias na infraestrutura das regionais. “Com planejamento estipulando prazos, o aumento da arrecadação dos recursos e ordenamento dos pagamentos, podemos planejar melhorias para a instituição”, explica.

Para o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto, “o objetivo é dar melhores condições de trabalho aos funcionários para que, consequentemente, a população seja melhor atendida pelo órgão”.

OBRAS – O IAP está em fase de finalização de contrato com a empresa vencedora da licitação do Escritório Regional de Jacarezinho, executando obras da cobertura do barracão do viveiro florestal no Escritório Regional de União da Vitória. Além de reformas o telhado do laboratório e do almoxarifado em Curitiba. Estão em procedimento licitatório a troca do telhado e a pintura do almoxarifado da sede, além da troca de telhados dos Escritórios Regionais de Londrina, Morretes e Curitiba.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná


26 de março de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS participa da Coletiva à Imprensa – Devolução de BHC e Agrotóxicos Obsoletos na região de Cornélio Procópio

O governo estadual paranaense começa a resolver um problema ambiental histórico, referente a agrotóxicos deixados em propriedades rurais a décadas. O Projeto de Devolução do BHC e Agrotóxicos Obsoletos envolve Governo do Paraná, Seab, Emater, Iap, Ocepar, Faep, Senar, inpEV e Instituto das Águas do Paraná,

Por ser o primeiro município da região de Cornélio Procópio a abrigar o projeto, representantes de diversas entidades estiveram em Assaí na manhã de sexta-feira, 23/03, durante reunião no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Segundo Maurílio Soares Gomes da EMATER “A região de Cornélio Procópio, integrando 23 municípios, realiza esta atividade de coletiva a imprensa para dar conhecimento a sociedade do destino a 70,9 toneladas de BHC e 19,8 toneladas de agrotóxicos obsoletos, existentes e cadastrados por 165 agricultores, na 1ª fase ocorrida e regulamentada pela lei estadual 16.082-2009.”

Com o Projeto de Devolução do BHC e Agrotóxicos, o governo paranaense tenta resolver um passivo ambiental que se arrasta há vários anos. Em 2001 o Estado havia feito um levantamento para mensurar o dano, no entanto o passo mais significativo vem acontecer somente agora, apesar da proibição da utilização do BHC ainda em 1985.

O IPEVS se fez presente nesta coletiva por meio de seu presidente, o Médico Veterinário Rafael Haddad. Segundo ele, é importante que os colegas veterinários e zootecnistas que trabalham na área rural conheçam os riscos que o BHC e demais agrotóxicos obsoletos oferecem a saúde dos rebanhos e dos seres humanos, e orientem os proprietários rurais na correta destinação destes produtos. Rafael Haddad relatou ainda o fato do produto se acumular ao longo da cadeia alimentar e permanecer no meio ambiente por muitas décadas, fato este que pode gerar ocorrências de intoxicações de animais em áreas onde esses produtos não foram corretamente armazenados.

Med. Vet. Dr. Rafael Haddad, presidente do IPEVS e delegado regional do CRMV-PR em Cornélio Procópio e Med. Vet. Dr. Luciano José Fidelis, chefe da vigilância sanitária em Assaí - PR. Foto: IPEVS

Fonte: Ascom IPEVS com informações da Delegacia Regional do CRMV de Cornélio Procópio


22 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Para técnicos, óleo no PR não têm relação com acidente no Rio

A ANP (Agência Nacional do Petróleo) e o IAP (Instituto Ambiental do Paraná) descartaram nesta segunda-feira (21) a ligação entre manchas de óleo encontradas no Paraná e o vazamento de petróleo na bacia de Campos, no Rio.

As manchas, que tinham aproximadamente o tamanho de uma moeda de dez centavos, apareceram na sexta-feira (18), em Pontal do Paraná (96 km de Curitiba).

Técnicos do IAP tentaram sair de barco para analisar o material no sábado, mas não conseguiram, devido a uma forte chuva. Outra vistoria foi marcada para esta segunda-feira, mas as manchas não estavam mais visíveis.

Mesmo assim, a possibilidade de relação com o acidente no RJ foi descartada após análises das correntes marítimas e a constatação de que não houve registro de manchas no litoral de São Paulo.

A origem das manchas ainda é desconhecida. Entre as hipóteses levantadas pelo instituto está a de que o óleo tenha vazado de um navio, já que o porto de Paranaguá fica a poucos quilômetros do balneário.

Até a tarde desta segunda-feira, não haviam sido registrados impactos ambientais ou mortandade de animais.

Fonte: Folha.com


7 de outubro de 2011 | nenhum comentário »

Espécie ameaçada de extinção é encontrada em propriedade rural de Cornélio Procópio

A lontra Lontra longicaudis é um animal carnívoro de hábito semi-aquático e solitário, cuja distribuição se estende do México ao Uruguai. No Brasil, a espécie é encontrada nos biomas Amazônia, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica, habitando sistemas aquáticos como rios e lagos.

Alimenta-se basicamente de peixes, porém moluscos, crustáceos e insetos também compõem sua dieta. Quando está caçando tem por hábito pegar o alimento e comer na beira do rio. Espécie de hábito solitário, os machos juntam-se as fêmeas apenas nos períodos reprodutivos, a lontra é um animal de hábito crepuscular/noturno e está inclusa na categoria de Vulnerável no Livro Vermelho da Fauna Ameaçada do Estado do Paraná.

No dia 22 de setembro de 2011, o IPEVS realizou o resgate de um exemplar desta espécie em uma propriedade rural próximo a cidade de Cornélio Procópio- PR. Acionada pelo senhor Antônio Silva a equipe do IPEVS prontamente dirigiu-se até o local, o qual o animal encontrava-se em uma gaiola. Segundo o proprietário do sítio, este notou que os cachorros estavam agitados, e chegando próximo para verificar se deparou com a lontra. O mesmo relatou que vários animais são encontrados em sua propriedade, porém esta espécie ela ainda não havia observado naquela região.

Espécie ameaçada de extinção é encontrada em propriedade de Cornélio Procópio

 

Segundo o Médico Veterinário e Biólogo Rafael Haddad, a lontra provavelmente habitava represas da região e como a espécie percorre grandes áreas foi avistada na propriedade no percurso de procura de novos ambiente aquático.

A lontra recebeu atendimento médico veterinário e foi encaminhada para soltura numa ação conjunta entre IPEVS e IAP. Segundo Devanil José Bonni, Chefe Regional do IAP, é a primeira vez que a entidade realiza a translocação desta espécie na região.

Um macho da espécia Lontra longicaudis resgatada pelo IPEVS

 

Soltura da lontra numa ação conjunta entre o IPEVS e IAP. Chefe Regional do IAP Devanil José Bonni, relata ser a primeira vez que a entidade fez a translocação desta espécie na região

Fonte: Ascom IPEVS


« Página anterior





Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

outubro 2018
S T Q Q S S D
« mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

5 de setembro de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS realiza soltura de animais

No mês de julho o IPEVS realizou a soltura de alguns animais resgatados pela instituição. Após receberem os cuidados e constatado que os animais estavam aptos para voltarem a seu habitat natural o IPEVS em parceria com o IAP – Instituto Ambiental do Paraná realizou a soltura de um de gato mourisco, um cágado, um ratão do banhado, cobra d’água e um gato do mato.  Os animais foram soltos em uma reserva indicada pelo IAP.

Gato Mourisco – (Puma yagouaroundi)

Gato mourisco que recebeu os cuidados da equipe do IPEVS. Foto: IPEVS

Felino de atividade predominantemente diurna, com dieta carnívora, de ocorrência em todo o Brasil exceto o sul do Rio Grande do Sul. O gato mourisco possui uma coloração escura, geralmente marrom-acinzentada, avermelhada ou quase preta. As orelhas são arredondadas e a perna é curta. Como a maioria dos felinos, o gato mourisco é solitário, exceto em épocas reprodução. O período de gestação é de aproximadamente 2 meses e após o nascimento a mãe ensina aos filhotes as noções de sobrevivência e alimentação na floresta.

Esta espécie é a única entre os felinos brasileiros que não se encontra na Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Sendo a principal ameaça para sobrevivência da espécie a destruição e fragmentação dos habitats.

Em 2011 o IPEVS resgatou 2 filhotes de gato mourisco em Cornélio Procópio (click e veja a noticia http://ipevs.org.br/blog/?p=8738). Infelizmente um dos filhotes veio a óbito. O outro filhote continuou recebendo os cuidados da equipe do IPEVS, principalmente dos graduandos de Ciências Biológicas e estagiários do IPEVS Naiara Palumbo e Eduardo Alves. Este filhote tratava-se de uma fêmea que cresceu saudável e após o trabalho de reabilitação a gata estava apta a voltar a seu habitat natural.

Após trabalho de reabilitação o animal estava apto para voltar ao seu habitat natural. Foto: IPEVS

 

Cágado de barbicha – (Phrynops geoffroanus)

Cágado de barbicha. Foto: IPEVS

O cágado de barbicha é uma espécie de quelônios de ampla distribuição na América do Sul, ocupando diversos habitats inclusive rios degradados pela ação de poluentes gerados pelo homem. O cágado de barbicha alimenta-se de frutos, moluscos e pequenos peixes.

O IPEVS recebe com frequência cágados que são levados até o instituto principalmente capturados por pescadores, sendo os cágados atraídos pela isca fixada no anzol.  Os exemplares recebem tratamento necessário e posteriormente são encaminhados para soltura.

O cágado de barbicha é uma espécie de quelônios que ocorre em nossa região. Foto: IPEVS

 

Ratão do Banhado – (Myocastor coypus)

Grande espécie de roedor, o ratão do banhado vive próximo a cursos d'água. Foto: IPEVS

O Ratão do banhado é uma grande espécie de roedor encontrado na América do Sul, no Brasil ocorre originalmente no Rio Grande do Sul, atualmente é encontrada também até o estado de São Paulo.  Vivem próximos a cursos d’água e deslocam-se principalmente na água. Animal de atividade noturna, alimenta-se principalmente de capim, raízes e plantas aquáticas, realizando o controle populacional de várias espécies vegetais.

O IPEVS resgatou um individuo da espécie no final do mês de julho, em Cornélio Procópio, o animal foi atendido pelo médico veterinário do IPEVS, atestando que o animal estava em perfeitas condições, possibilitando a soltura do exemplar.

Espécie captura na cidade de Cornélio Procópio - PR e encaminhada para soltura. Foto: IPEVS

 

Cobra d’água (Helicops infrataeniatus)

Helicops é um gênero de serpentes que apresenta olhos e narinas posicionados próximo a região anterior da cabeça, como adaptação ao hábito exclusivamente aquático, são popularmente conhecidas como cobra d’água. Alimentam-se de peixes e anfíbios.  Este grupo de serpentes não apresenta veneno ou perigo ao homem.

Livea Samara de Almeida, bióloga e diretora administrativa do IPEVS que atualmente é estudante do curso de medicina veterinária da UENP – Campus Bandeirantes, recebeu a serpente no campus da universidade. A cobra d’água estava com um anzol preso na região da boca. O anzol foi removido e a serpente encaminhada para o IPEVS permanecendo em cativeiro para cuidados da região oral atingida pelo anzol e após a cicatrização do ferimento foi encaminhada para soltura.

Após cuidados a cobra d'água foi encaminhada para soltura. Foto: IPEVS

 

Gato – do – mato (Leopardus tigrinus)

Gato-do-mato resgatado em Cornélio Procópio - PR. Foto: IPEVS

O gato-do-mato ocorre em todo o Brasil, podendo habitar regiões próximas a áreas agrícolas. Felino de hábito solitário e atividade predominantemente noturna. Alimenta-se de pequenos vertebrados, como mamíferos, aves e lagartos.

Devido à destruição de seu habitat, á caça predatória para comercialização de peles e o grande número de atropelamentos esta espécie é considerada como vulnerável no estado do Paraná.

O IPEVS realizou o resgate de um gato-do- mato em Cornélio Procópio também no mês de julho de 2012. Depois de avaliado o felino foi translocado para uma área de mata afastada.

Depois de avaliado o felino foi translocado para uma área de mata afastada. Foto: IPEVS

 

Fonte: Ascom IPEVS


1 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS, IAP e Força Verde realizam resgate de onça parda no Município de Cornélio Procópio

Na última segunda-feira (30/07) o IAP – Instituto Ambiental do Paraná e Força Verde receberam um chamado para resgate de uma onça parda em uma propriedade localizada no município de Cornélio Procópio – PR, as margens da BR 369 próximo ao Rio Congonhas.  Os funcionários daquela área perceberam um comportamento diferente de seus cachorros e verificaram que a inquietação destes era devido a presença de uma onça localizada em uma árvore da área rural.  O proprietário da fazenda entrou em contato com os órgãos responsáveis para a realização do resgate.

O IAP acionou a equipe do IPEVS – Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Meio Ambiente, a qual trabalha como parceira do IAP na realização de resgates de animais silvestres.

A equipe do IAP e do IPEVS se deslocou até o local com o equipamento necessário para a operação e contou com a colaboração da Força Verde e os trabalhadores da propriedade.  A área foi observada para que a captura fosse realizada com segurança para o animal e para os integrantes da operação. Após a análise do local e porte do animal, os dardos com sedativos foram preparados pelo médico veterinário do IPEVS e injetados na onça. O animal sedado ficou sobre a árvore, obrigando a equipe a subir até o local e amarra-la para que a mesma fosse descida até o solo onde foram realizados exames clínicos, atestando a sanidade do animal e no qual foi possível determinar tratar-se de um macho.  A onça foi colocada em uma caixa-transporte permanecendo na sede do IAP enquanto seu destino era definido.

Segundo Renata Alfredo, Bióloga do IPEVS, o animal capturado é uma onça parda ou suçuarana (Puma concolor), macho, adulto de aproximadamente 15 anos, espécie que ocorre em todo o Brasil, sendo a segunda maior espécie de felinos do país, animal ágil sendo capaz de saltar de grandes alturas, de hábito solitário e atividade noturna com uma dieta carnívora.  A espécie costuma percorrer grandes distâncias. A caça e alteração de seu habitat são as principais ameaças de sobrevivência da suçuarana, segundo o Livro Vermelho da Fauna Ameaçada do Paraná, o Puma concolor está com status de espécie vulnerável no estado.

O animal foi encaminhado para soltura em uma reserva as margens do Rio Tibagi.

Após análises fotográficas os técnicos do IPEVS e do IAP concluíram que este não é o mesmo animal que recentemente foi avistado na região da Água do Veado e que conseguiu fugir durante uma tentativa de captura.

Onça Parda localizada em propriedade as margens da BR369. Foto: IPEVS

 

Resgate onça parda, aplicação do sedativo realizada por Claudionor Galego - IAP. Foto: IPEVS

 

Animal já sedado sendo deslocado para o solo. Foto: IPEVS

 

Captura da onça parda. Foto: IPEVS

 

Onça parda encaminhada para sede do IAP após resgate. Foto: IPEVS

 

Suçuarana, o animal resgatado tratava-se de um macho adulto, a captura foi realizada pelo IPEVS, IAP e Força Verde. Foto: IPEVS

 

Devanil José Bonni - Chefe do IAP em entrevista para diversos órgãos de imprensa da região. Foto: IPEVS

 

 

Fonte: Ascom IPEVS


30 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Resgates, atendimentos e solturas realizados pelo IPEVS no 1º semestre de 2012.

O IPEVS – Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Meio Ambiente realiza em nossa cidade e região resgates, atendimentos e solturas de animais silvestres. Estes são realizados em parceria com o IAP – Instituto Ambiental do Paraná e Corpo de Bombeiros que acionam a equipe do IPEVS e também com a colaboração de cidadãos que quando se deparam com esses animais entram em contato com o IPEVS.

Os animais são resgatados e posteriormente realizados exames clínicos pelo médico veterinário do IPEVS, e quando constatado que estes se encontram em perfeita sanidade são encaminhados para soltura. E alguns animais são mantidos em cativeiro devido à impossibilidade de serem devolvidos ao seu habitat natural.

Confira o trabalho de resgates, atendimentos e soltura realizado pela equipe do IPEVS no primeiro semestre de 2012.

 

Gambá no telhado de uma residência em Cornélio Procópio. Foto: IPEVS

 

Gambá (Didelphis Albiventris)

No mês de maio, em um mesmo dia, o IPEVS realizou 2 resgates de gambá em Cornélio Procópio, um na Vila Santa Terezinha e outro no Jardim Fortunato Cibin.

Os gambás são mamíferos marsupiais, ou seja, apresentam uma bolsa abdominal a qual os filhotes permanecem por um período de desenvolvimento, semelhante ao canguru. Sua presença na região urbana está relacionada principalmente à disponibilidade de restos de alimentos, insetos e abrigos (forros de casa, porões). Os 2 gambás foram capturados e passaram por exames clínicos pelo médico veterinário do IPEVS, após constatar que os animais encontravam-se saudáveis estes foram encaminhados para soltura.

 

Gambá captura e encaminhado para soltura, resgate realizado pela equipe do IPEVS. Foto: IPEVS

 

Falsa-coral, espécie de serpente que ocorre em nossa região. Foto: IPEVS

 

Falsa- Coral (Oxyrhopus guibei)

A falsa coral é uma serpente muito comum em nossa região, com coloração avermelhada com faixas pretas alternadas. O nome falsa- coral é devido sua semelhança com as corais verdadeiras. Sendo diferenciadas pelo tamanho dos olhos, formato da cauda e da cabeça e principal pela posição dos dentes inoculadores de veneno. A falsa – coral apresenta dentição opistóglifa, ou seja, os dentes inoculadores de veneno ficam localizados no fundo da boca.

A captura desta espécie é realizada constantemente pela equipe do IPEVS, graças à pessoas conscientes que ao encontrarem as serpentes próximas de suas residências ou em seus locais de trabalho, entram em contato com o IPEVS ou Corpo de Bombeiros.

 

A serpente foi encontrada por Aldecir Costa, em uma manopla da Sanepar. Aldecir que conhece o trabalho realizado pelo IPEVS, entrou em contato com a equipe para realizar a captura. Foto: IPEVS

 

A serpente captura está sendo mantida em cativeiro no CEAMA - Centro de Educação Ambiental Mundo Animal, projeto coordenado pelo IPEVS. Foto: IPEVS

 

Tentativa de resgate onça parda em junho de 2012. Foto: IPEVS

 

Onça Parda (Puma concolor)

No dia 18 de junho de 2012, o IAP entrou em contato com o IPEVS para realização de resgate de uma onça parda ou suçuarana em uma propriedade de Cornélio Procópio. A equipe do IPEVS junto com a equipe do IAP esteve no local para realizar a captura.

Para o resgate de animais como onça são necessários alguns equipamentos como zarabatana ou rifle para aplicação de dardos tranquilizantes com a função de sedar o animal. Na ocasião os dardos foram adaptados para a utilização do equipamento, um dos motivos que dificultou o processo de captura, não sendo possível a realização do resgate.

Já no mês de julho, o IPEVS recebeu outro chamado do IAP para resgate  de outra onça parda em nossa região, após captura e atestado a sanidade do animal este foi encaminhado para soltura.  Click  http://ipevs.org.br/blog/?p=10358 para acessar informações e imagens sobre este resgate.

A onça estava em uma propriedade de Cornélio Procópio. Foto: IPEVS

 

Tucano do bico verde, exemplar atendido pela equipe do IPEVS. Foto: IPEVS

 

Tucano do Bico Verde

( Ramphastos dicolorus)

O Tucano do bico verde ocorre em áreas florestadas, desde o litoral até zonas montanhosas. Possui hábito alimentar onívoro, alimentando-se de insetos, pequenos vertebrados e principalmente frutos, atuando como dispersor de sementes.

O IPEVS recebeu um exemplar de Tucano do bico verde, este encontrava-se muito debilitado, mesmo com todo o cuidado e tratamento realizado pela equipe do IPEVS o tucano infelizmente não resistiu e veio a óbito.

 

Mesmo com todo cuidado da equipe o tucano do bico verde não resistiu. Foto: IPEVS

 

Ao encontrar animais silvestres próximo a sua residência entre em contato com os órgãos responsáveis para esse trabalho. Em Cornélio Procópio você pode acionar o IPEVS, IAP ou Corpo de Bombeiros.

 

Fonte: Ascom do IPEVS

 


11 de julho de 2012 | nenhum comentário »

IAP assume autorização para manejo da fauna

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) assumiu as autorizações ambientais para manejo de fauna em processos de licenciamento ambiental. Mudança na legislação vai tornar mais rápida a emissão dos documentos, que antes também deviam ser autorizados pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

Com a mudança, empreendimentos que causam impacto sobre a fauna silvestre e necessitam de Estudos do Impacto Ambiental e Relatórios de Impacto Ambiental (EIA/Rima) precisam se dirigir apenas ao IAP. O estudo deve prever formas de monitoramento, salvamento, resgate e destinação da fauna, além de ações em possíveis acidentes ambientais.

A portaria 097/2012, divulgada em 29 de maio, atende a Lei Complementar Federal 140/2011, que altera as atribuições dos órgãos ambientais nas instâncias Federal, Estadual e Municipal. Documentação necessária para o estudo da fauna ou outras informações podem ser lidas no site http://www.iap.pr.gov.br/arquivos/File/Portaria_097_2012.pdf

 

Fonte: IAP

 


14 de junho de 2012 | nenhum comentário »

IAP comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente

Chefe do IAP, Devanil Bonni; Foto: Cornélio Notícias

Na terça-feira (5), o chefe do Instituto Ambiental do Paraná em Cornélio Procópio, Devanil José Boni, concedeu entrevista ao portal CN e relatou sobre as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente.

A equipe do IAP tinha programado levar as crianças para fazer o plantio de árvores na Mata São Francisco, porém devido às chuvas, eles não puderam realizar essa atividade, a qual será remarcada para outra data.

Além desta, também vai haver um evento de Educação Ambiental no município de Congonhinhas, no qual o IAP vai participar.

Boni ressalta que as pessoas devem preservar o meio ambiente por toda a vida e não apenas na data marcada no calendário, pois o trabalho de educação ambiental é realizado o ano inteiro, sendo fundamental para a sobrevivência do planeta.

 

Click e e ouça a entrevista de Devanil José Boni http://www.cornelionoticias.com.br/posts/10554/destaque/iap_comemora_o_dia_mundial_do_meio_ambiente/

 

Fonte: Cornélio Notícias


4 de junho de 2012 | nenhum comentário »

IAP apreende aves silvestres na região de Sertaneja e Andirá

Na quarta-feira (30), o chefe do IAP (Instituto Ambiental do Paraná) em Cornélio Procópio, Devanil José Bonni, relatou ao portal CN sobre a apreensão de pássaros silvestres em nossa região.
A equipe de fiscalização do IAP esteve em apoio às polícias civil e militar nos municípios de Sertaneja e Andirá, onde foram encontradas aves silvestres em cativeiro.

Na cidade de Sertaneja foram apreendidos 04 pássaros no interior de uma residência e encaminhados para o IAP, já no município de Andirá foram apreendidos um total de 10 pássaros, os quais não podem permanecer em cativeiro por serem nativos da fauna brasileira.

As pessoas envolvidas não tem a documentação das aves, portanto perderam esses pássaros.
O tráfico de animais silvestres existe em nossa região, porém o IAP vem trabalhando para combater esse tipo de crime.

Click http://www.cornelionoticias.com.br/posts/10434/destaque/iap_apreende_aves_silvestres_na_regiao_de_sertaneja_e_andira/  e ouça a entrevista com Devanil José Bonni (Chefe do IAP)

 

Fonte: Cornélio Notícias


25 de maio de 2012 | nenhum comentário »

Uso do Fundo Estadual do Meio Ambiente será divulgado pela internet

O Conselho Administrativo do Fema (Fundo Estadual do Meio Ambiente) aprovou quarta-feira (23) as contas de 2011 e a previsão orçamentária para o ano de 2012. O planejamento de aplicação dos recursos e a prestação de contas serão divulgados no site www.iap.pr.gov.br, pelo link “Transparência Pública”.

O fundo é administrado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), que recolhe autos de infração e taxas ambientais. Os recursos são usados para financiar planos e programas ou projetos para o controle, preservação, conservação e recuperação do meio ambiente.

Entre janeiro e abril, o fundo aumentou 13% em suas arrecadações, em comparação com o mesmo período do ano passado. O valor estimado para o este ano é de pouco mais de R$ 17 milhões. O conselho administrativo é composto por representantes do IAP, das secretarias do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Agricultura e Abastecimento, do Planejamento e da Procuradoria Geral do Estado.

Para o presidente do Conselho e secretário do Meio Ambiente, Jonel Iurk, os números mostram um avanço significativo na gestão dos recursos. “Ainda há o que melhorar, mas avançamos muito. Principalmente na gestão dos recursos com planejamento e na democratização das informações, optando por colocar à disposição de todos a aplicação dos recursos no site do IAP, antes mesmo da lei de transparência pública”.

Os recursos serão aplicados em ações como educação ambiental e parcerias com o terceiro setor, agenda 21, gestão da qualidade do ar, recuperação de áreas degradadas, monitoramento da qualidade da água, programa Bioclima Paraná, monitoramento por satélites, apoio a faxinais, laboratórios do IAP, melhorias na infraestrutura dos órgãos ambientais, mapeamento de concentração de metais pesados e inventário de emissão de gases de efeito estufa.

OUTROS – Além do fundo, o IAP também apresentou crescimento de 20% de janeiro a abril na arrecadação de outros, se comparado com o mesmo período em 2011. Segundo Antenor de Matos Pinheiro, diretor administrativo-financeiro do IAP, essa arrecadação será usada para planejamento de reformas, aquisição de novos veículos e melhorias na infraestrutura das regionais. “Com planejamento estipulando prazos, o aumento da arrecadação dos recursos e ordenamento dos pagamentos, podemos planejar melhorias para a instituição”, explica.

Para o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto, “o objetivo é dar melhores condições de trabalho aos funcionários para que, consequentemente, a população seja melhor atendida pelo órgão”.

OBRAS – O IAP está em fase de finalização de contrato com a empresa vencedora da licitação do Escritório Regional de Jacarezinho, executando obras da cobertura do barracão do viveiro florestal no Escritório Regional de União da Vitória. Além de reformas o telhado do laboratório e do almoxarifado em Curitiba. Estão em procedimento licitatório a troca do telhado e a pintura do almoxarifado da sede, além da troca de telhados dos Escritórios Regionais de Londrina, Morretes e Curitiba.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná


26 de março de 2012 | nenhum comentário »

IPEVS participa da Coletiva à Imprensa – Devolução de BHC e Agrotóxicos Obsoletos na região de Cornélio Procópio

O governo estadual paranaense começa a resolver um problema ambiental histórico, referente a agrotóxicos deixados em propriedades rurais a décadas. O Projeto de Devolução do BHC e Agrotóxicos Obsoletos envolve Governo do Paraná, Seab, Emater, Iap, Ocepar, Faep, Senar, inpEV e Instituto das Águas do Paraná,

Por ser o primeiro município da região de Cornélio Procópio a abrigar o projeto, representantes de diversas entidades estiveram em Assaí na manhã de sexta-feira, 23/03, durante reunião no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Segundo Maurílio Soares Gomes da EMATER “A região de Cornélio Procópio, integrando 23 municípios, realiza esta atividade de coletiva a imprensa para dar conhecimento a sociedade do destino a 70,9 toneladas de BHC e 19,8 toneladas de agrotóxicos obsoletos, existentes e cadastrados por 165 agricultores, na 1ª fase ocorrida e regulamentada pela lei estadual 16.082-2009.”

Com o Projeto de Devolução do BHC e Agrotóxicos, o governo paranaense tenta resolver um passivo ambiental que se arrasta há vários anos. Em 2001 o Estado havia feito um levantamento para mensurar o dano, no entanto o passo mais significativo vem acontecer somente agora, apesar da proibição da utilização do BHC ainda em 1985.

O IPEVS se fez presente nesta coletiva por meio de seu presidente, o Médico Veterinário Rafael Haddad. Segundo ele, é importante que os colegas veterinários e zootecnistas que trabalham na área rural conheçam os riscos que o BHC e demais agrotóxicos obsoletos oferecem a saúde dos rebanhos e dos seres humanos, e orientem os proprietários rurais na correta destinação destes produtos. Rafael Haddad relatou ainda o fato do produto se acumular ao longo da cadeia alimentar e permanecer no meio ambiente por muitas décadas, fato este que pode gerar ocorrências de intoxicações de animais em áreas onde esses produtos não foram corretamente armazenados.

Med. Vet. Dr. Rafael Haddad, presidente do IPEVS e delegado regional do CRMV-PR em Cornélio Procópio e Med. Vet. Dr. Luciano José Fidelis, chefe da vigilância sanitária em Assaí - PR. Foto: IPEVS

Fonte: Ascom IPEVS com informações da Delegacia Regional do CRMV de Cornélio Procópio


22 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Para técnicos, óleo no PR não têm relação com acidente no Rio

A ANP (Agência Nacional do Petróleo) e o IAP (Instituto Ambiental do Paraná) descartaram nesta segunda-feira (21) a ligação entre manchas de óleo encontradas no Paraná e o vazamento de petróleo na bacia de Campos, no Rio.

As manchas, que tinham aproximadamente o tamanho de uma moeda de dez centavos, apareceram na sexta-feira (18), em Pontal do Paraná (96 km de Curitiba).

Técnicos do IAP tentaram sair de barco para analisar o material no sábado, mas não conseguiram, devido a uma forte chuva. Outra vistoria foi marcada para esta segunda-feira, mas as manchas não estavam mais visíveis.

Mesmo assim, a possibilidade de relação com o acidente no RJ foi descartada após análises das correntes marítimas e a constatação de que não houve registro de manchas no litoral de São Paulo.

A origem das manchas ainda é desconhecida. Entre as hipóteses levantadas pelo instituto está a de que o óleo tenha vazado de um navio, já que o porto de Paranaguá fica a poucos quilômetros do balneário.

Até a tarde desta segunda-feira, não haviam sido registrados impactos ambientais ou mortandade de animais.

Fonte: Folha.com


7 de outubro de 2011 | nenhum comentário »

Espécie ameaçada de extinção é encontrada em propriedade rural de Cornélio Procópio

A lontra Lontra longicaudis é um animal carnívoro de hábito semi-aquático e solitário, cuja distribuição se estende do México ao Uruguai. No Brasil, a espécie é encontrada nos biomas Amazônia, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica, habitando sistemas aquáticos como rios e lagos.

Alimenta-se basicamente de peixes, porém moluscos, crustáceos e insetos também compõem sua dieta. Quando está caçando tem por hábito pegar o alimento e comer na beira do rio. Espécie de hábito solitário, os machos juntam-se as fêmeas apenas nos períodos reprodutivos, a lontra é um animal de hábito crepuscular/noturno e está inclusa na categoria de Vulnerável no Livro Vermelho da Fauna Ameaçada do Estado do Paraná.

No dia 22 de setembro de 2011, o IPEVS realizou o resgate de um exemplar desta espécie em uma propriedade rural próximo a cidade de Cornélio Procópio- PR. Acionada pelo senhor Antônio Silva a equipe do IPEVS prontamente dirigiu-se até o local, o qual o animal encontrava-se em uma gaiola. Segundo o proprietário do sítio, este notou que os cachorros estavam agitados, e chegando próximo para verificar se deparou com a lontra. O mesmo relatou que vários animais são encontrados em sua propriedade, porém esta espécie ela ainda não havia observado naquela região.

Espécie ameaçada de extinção é encontrada em propriedade de Cornélio Procópio

 

Segundo o Médico Veterinário e Biólogo Rafael Haddad, a lontra provavelmente habitava represas da região e como a espécie percorre grandes áreas foi avistada na propriedade no percurso de procura de novos ambiente aquático.

A lontra recebeu atendimento médico veterinário e foi encaminhada para soltura numa ação conjunta entre IPEVS e IAP. Segundo Devanil José Bonni, Chefe Regional do IAP, é a primeira vez que a entidade realiza a translocação desta espécie na região.

Um macho da espécia Lontra longicaudis resgatada pelo IPEVS

 

Soltura da lontra numa ação conjunta entre o IPEVS e IAP. Chefe Regional do IAP Devanil José Bonni, relata ser a primeira vez que a entidade fez a translocação desta espécie na região

Fonte: Ascom IPEVS


« Página anterior