9 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

Cadastro de propriedades rurais terá funcionamento em 2013, diz ministra

Governo concluiu compra de imagens de satélite para monitorar imóveis. 
Segundo Izabella Teixeira, fiscalização do desmatamento será eficiente.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou nesta sexta-feira (9) que o sistema de cadastro de propriedades rurais, previsto no novo Código Florestal, estará em funcionamento pleno no início de 2013.

O governo concluiu nesta quinta-feira (8) a compra de imagens de satélite em alta resolução para monitorar as fazendas brasileiras.

Pela nova lei, todos proprietários rurais devem se inscrever gratuitamente no Cadastro Ambiental Rural. O objetivo é facilitar ao governo a fiscalização, através das imagens de satélite, de desmatamentos ilegais em Áreas de Preservação Permanente (APPs). A inscrição da propriedade no cadastro deverá ser feita em um órgão ambiental estadual ou municipal um ano após sua implantação.

O contrato assinado pelo governo para a obtenção das imagens de satélite tem duração de quatro anos e prevê custo de R$ 28,9 milhões. Serão fornecidas imagens de 2011, 2012, 2013 e 2014.

“Em 2013, o sistema estará zerado. Vamos começar o ano com 100% das imagens do Brasil. É a reta final daquele que é o processo de homologação do CAR para entrarmos com a implantação nos estados.”, afirmou Izabella Teixeira.

Implementação da nova lei
Segundo a ministra, o CAR vai cadastrar 5 milhões de propriedades, o que dará maior eficiência à fiscalização de desmatamentos. “Isso vai fazer com que a gente possa implementar o Código Florestal. Progressivamente ano a ano ver como está o funcionamento da propriedade. Para a fiscalização usa-se essa imagem até nos equipamentos móveis. Vai permitir que, num tablet, você monitorar a propriedade”, afirmou.

Para Izabella Teixeira, os produtores rurais vão ganhar com o cadastramento, porque terão condições de comprovar a legalidade das propriedades de forma mais eficiente na hora de tomar crédito. “Você clica, sabe qual o proprietário, o gerente de crédito pode verificar imediatamente se a fazenda está regularizada”, disse.

De acordo com a ministra, o governo optou por adquirir imagens de alta resolução. “Nunca antes na história do meio ambiente se teve tanta tecnologia. Normalmente se tem por região, em escalas diferenciadas. Essas imagens vão ser disponibilizadas também para os estados”, disse.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante evento realizado nesta sexta-feira (9) em Brasília (Foto: Wilson Dias/ABr)

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante evento realizado nesta sexta-feira (9) em Brasília (Foto: Wilson Dias/ABr)

Fonte: Globo Natureza


4 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Astronauta da Estação Espacial Internacional tira foto do Rio Paraná

Imagem mostra trecho do rio próximo à cidade de Goya, na Argentina.
Cor dos afluentes mostra presença de sedimentos na bacia hidrográfica.

O Observatório da Terra, site da Nasa que traz imagens e descobertas sobre o planeta, divulgou uma foto da bacia do Rio Paraná, a segunda maior da América do Sul, nesta semana. O registro foi feito pela tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

A imagem cobre um trecho de 29 quilômetros do rio – com tributários que se estendem a países como Bolívia, Brasil, Paraguai e Argentina – próximo à cidade argentina de Goya. O curso d’água é profundo o suficiente para permitir a navegação de navios pequenos.

O acúmulo de sedimentos aparecem em todos os afluentes assim como no próprio Rio Paraná. A foto ainda permite identificar antigos canais existentes na região e compará-los com os atuais, na parte direita da imagem.

Paraná ISS 1 (Foto: Centro Espacial Johnson / Nasa)

Canais antigos (à direita, entre os dois principais cursos d’água) apresentam formatos parecidos com os atuais (no centro da foto) na bacia do Rio Paraná. (Foto: Centro Espacial Johnson / Nasa)

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

julho 2018
S T Q Q S S D
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

9 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

Cadastro de propriedades rurais terá funcionamento em 2013, diz ministra

Governo concluiu compra de imagens de satélite para monitorar imóveis. 
Segundo Izabella Teixeira, fiscalização do desmatamento será eficiente.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, afirmou nesta sexta-feira (9) que o sistema de cadastro de propriedades rurais, previsto no novo Código Florestal, estará em funcionamento pleno no início de 2013.

O governo concluiu nesta quinta-feira (8) a compra de imagens de satélite em alta resolução para monitorar as fazendas brasileiras.

Pela nova lei, todos proprietários rurais devem se inscrever gratuitamente no Cadastro Ambiental Rural. O objetivo é facilitar ao governo a fiscalização, através das imagens de satélite, de desmatamentos ilegais em Áreas de Preservação Permanente (APPs). A inscrição da propriedade no cadastro deverá ser feita em um órgão ambiental estadual ou municipal um ano após sua implantação.

O contrato assinado pelo governo para a obtenção das imagens de satélite tem duração de quatro anos e prevê custo de R$ 28,9 milhões. Serão fornecidas imagens de 2011, 2012, 2013 e 2014.

“Em 2013, o sistema estará zerado. Vamos começar o ano com 100% das imagens do Brasil. É a reta final daquele que é o processo de homologação do CAR para entrarmos com a implantação nos estados.”, afirmou Izabella Teixeira.

Implementação da nova lei
Segundo a ministra, o CAR vai cadastrar 5 milhões de propriedades, o que dará maior eficiência à fiscalização de desmatamentos. “Isso vai fazer com que a gente possa implementar o Código Florestal. Progressivamente ano a ano ver como está o funcionamento da propriedade. Para a fiscalização usa-se essa imagem até nos equipamentos móveis. Vai permitir que, num tablet, você monitorar a propriedade”, afirmou.

Para Izabella Teixeira, os produtores rurais vão ganhar com o cadastramento, porque terão condições de comprovar a legalidade das propriedades de forma mais eficiente na hora de tomar crédito. “Você clica, sabe qual o proprietário, o gerente de crédito pode verificar imediatamente se a fazenda está regularizada”, disse.

De acordo com a ministra, o governo optou por adquirir imagens de alta resolução. “Nunca antes na história do meio ambiente se teve tanta tecnologia. Normalmente se tem por região, em escalas diferenciadas. Essas imagens vão ser disponibilizadas também para os estados”, disse.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante evento realizado nesta sexta-feira (9) em Brasília (Foto: Wilson Dias/ABr)

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, durante evento realizado nesta sexta-feira (9) em Brasília (Foto: Wilson Dias/ABr)

Fonte: Globo Natureza


4 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Astronauta da Estação Espacial Internacional tira foto do Rio Paraná

Imagem mostra trecho do rio próximo à cidade de Goya, na Argentina.
Cor dos afluentes mostra presença de sedimentos na bacia hidrográfica.

O Observatório da Terra, site da Nasa que traz imagens e descobertas sobre o planeta, divulgou uma foto da bacia do Rio Paraná, a segunda maior da América do Sul, nesta semana. O registro foi feito pela tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

A imagem cobre um trecho de 29 quilômetros do rio – com tributários que se estendem a países como Bolívia, Brasil, Paraguai e Argentina – próximo à cidade argentina de Goya. O curso d’água é profundo o suficiente para permitir a navegação de navios pequenos.

O acúmulo de sedimentos aparecem em todos os afluentes assim como no próprio Rio Paraná. A foto ainda permite identificar antigos canais existentes na região e compará-los com os atuais, na parte direita da imagem.

Paraná ISS 1 (Foto: Centro Espacial Johnson / Nasa)

Canais antigos (à direita, entre os dois principais cursos d’água) apresentam formatos parecidos com os atuais (no centro da foto) na bacia do Rio Paraná. (Foto: Centro Espacial Johnson / Nasa)

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo