26 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Missão tenta salvar gorilas ameaçados em meio a conflito no Congo

Acordo entre governo e rebeldes permitirá que patrulheiros possam monitorar espécie.

Um grupo de patrulheiros no Congo se prepara para uma missão que tentará salvar famílias de gorilas que desapareceram após uma intensificação do conflito entre forças do governo e rebeldes no país. O governo fez um acordo com o grupo rebelde M23, para permitir que os patrulheiros possam rastrear seis famílias de gorilas-de-montanha.

Os cerca de 200 mamíferos vivem no parque nacional de Virungo, localizado ao leste do país, e representam um quarto da população da espécie. O diretor do parque, Emmanuel de Merode, comemorou a decisão: “Nós estamos satisfeitos e aliviados que todas as partes do conflito reconheceram a necessidade de proteger os únicos gorilas-de-montanha do Congo”.

Os combates na região se intensificaram em abril, quando a área de conservação fechou as portas ao público. Desde o dia 8 de maio, as equipes responsáveis por acompanhar os gorilas evacuaram a área, que sofreu com intensos conflitos de artilharia pesada e, até mesmo, helicópteros de combate.

‘Os gorilas são muito espertos. Eles, sem dúvida, ao ouvir as explosões, se afastaram dos locais de conflito. O importante, agora, é localizá-los’, disse à BBC Brasil Lu Anne Cadd, assessora de imprensa do parque.

As famílias de gorilas-de-montanha não são vistos há mais de dez semanas. Os patrulheiros do parque são, no momento, os únicos membros do governo autorizados a circular na região. Eles irão se dividir em sete grupos e trabalhar em conjunto com a população local para localizar os gorilas.

O trabalho, que estava marcado para ter início nesta semana, será de encontrar os gorilas, identificar cada um deles e checar sua situação de saúde, já que a espécie é muito vulnerável a doenças.

Eles vão ainda remover armadilhas e fazer rondas constantes para evitar a atuação de traficantes de animais. O trabalho é considerado de alto risco. Nos últimos 15 anos, 130 deles morreram em serviço.

Eles fazem a segurança do parque mais antigo da África. O parque nacional de Virunga tem 7.800 km² e é considerado patrimônio mundial da humanidade pela Unesco.

A República Democrática do Congo está em guerra civil há 12 anos e, desde o acirramento dos conflitos, mais de 200 mil pessoas foram desabrigadas.

Resgate gorila1 (Foto: Virunga National Park/BBC)

Exemplar de gorila resgatado em parque do Congo. (Foto: Virunga National Park/BBC)

Filhote de gorila (Foto: Virunga National Park/BBC)

Filhote de gorila que vive em parque do Congo e deverá ser resgatado. (Foto: Virunga National Park/BBC)

gorila (Foto: Virunga National Park/BBC)

Objetivo da missão é evitar que ataques atinjam primatas. (Foto: Virunga National Park/BBC)

Resgate gorila1 (Foto: Virunga National Park/BBC)

Parque Nacional de Virunga é considerado patrimônio mundial da humanidade. (Foto: Virunga National Park/BBC)

Fonte: Globo Natureza


20 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Programa de computador reconhece leopardo flagrado arrastando presa

Fotografia feita na Índia foi comparada com arquivo de imagens.
Animal já tinha sido registrado em 2004 por ‘armadilha fotográfica’.

Um leopardo fotografado carregando uma carcaça de bezerro de bisão na reserva Bandipur, no sul da Índia, foi identificado por computador graças a um programa que analisa o desenho do pelo do animal.

O flagrante foi clicado pelo fotógrafo Vinay Kumar. Ele a fez chegar à organização Wildlife Conservation Society, que tem um arquivo de mais de 20 anos de fotos de felinos feitas com armadilhas fotográficas, máquinas colocadas em áreas selvagens que disparam automaticamente quando há movimento no entorno.

Com ajuda de um programa de análise do padrão da pelagem, pesquisadores encontraram uma imagem do mesmo animal datada de dezembro de 2004, ou seja, quase 8 anos atrás. O caso mostra que fotografias podem ajudar a monitorar a vida dos felinos selvagens – mesmo as feitas por turistas.

Desenhos no pelo do leopardo permitiram que programa reconhecesse o animal. (Foto: Vinay S. Kumar/Divulgação)

Desenhos no pelo do leopardo permitiram que programa reconhecesse o animal. (Foto: Vinay S. Kumar/Divulgação)

Fonte: Globo Natureza






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

outubro 2019
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

26 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Missão tenta salvar gorilas ameaçados em meio a conflito no Congo

Acordo entre governo e rebeldes permitirá que patrulheiros possam monitorar espécie.

Um grupo de patrulheiros no Congo se prepara para uma missão que tentará salvar famílias de gorilas que desapareceram após uma intensificação do conflito entre forças do governo e rebeldes no país. O governo fez um acordo com o grupo rebelde M23, para permitir que os patrulheiros possam rastrear seis famílias de gorilas-de-montanha.

Os cerca de 200 mamíferos vivem no parque nacional de Virungo, localizado ao leste do país, e representam um quarto da população da espécie. O diretor do parque, Emmanuel de Merode, comemorou a decisão: “Nós estamos satisfeitos e aliviados que todas as partes do conflito reconheceram a necessidade de proteger os únicos gorilas-de-montanha do Congo”.

Os combates na região se intensificaram em abril, quando a área de conservação fechou as portas ao público. Desde o dia 8 de maio, as equipes responsáveis por acompanhar os gorilas evacuaram a área, que sofreu com intensos conflitos de artilharia pesada e, até mesmo, helicópteros de combate.

‘Os gorilas são muito espertos. Eles, sem dúvida, ao ouvir as explosões, se afastaram dos locais de conflito. O importante, agora, é localizá-los’, disse à BBC Brasil Lu Anne Cadd, assessora de imprensa do parque.

As famílias de gorilas-de-montanha não são vistos há mais de dez semanas. Os patrulheiros do parque são, no momento, os únicos membros do governo autorizados a circular na região. Eles irão se dividir em sete grupos e trabalhar em conjunto com a população local para localizar os gorilas.

O trabalho, que estava marcado para ter início nesta semana, será de encontrar os gorilas, identificar cada um deles e checar sua situação de saúde, já que a espécie é muito vulnerável a doenças.

Eles vão ainda remover armadilhas e fazer rondas constantes para evitar a atuação de traficantes de animais. O trabalho é considerado de alto risco. Nos últimos 15 anos, 130 deles morreram em serviço.

Eles fazem a segurança do parque mais antigo da África. O parque nacional de Virunga tem 7.800 km² e é considerado patrimônio mundial da humanidade pela Unesco.

A República Democrática do Congo está em guerra civil há 12 anos e, desde o acirramento dos conflitos, mais de 200 mil pessoas foram desabrigadas.

Resgate gorila1 (Foto: Virunga National Park/BBC)

Exemplar de gorila resgatado em parque do Congo. (Foto: Virunga National Park/BBC)

Filhote de gorila (Foto: Virunga National Park/BBC)

Filhote de gorila que vive em parque do Congo e deverá ser resgatado. (Foto: Virunga National Park/BBC)

gorila (Foto: Virunga National Park/BBC)

Objetivo da missão é evitar que ataques atinjam primatas. (Foto: Virunga National Park/BBC)

Resgate gorila1 (Foto: Virunga National Park/BBC)

Parque Nacional de Virunga é considerado patrimônio mundial da humanidade. (Foto: Virunga National Park/BBC)

Fonte: Globo Natureza


20 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Programa de computador reconhece leopardo flagrado arrastando presa

Fotografia feita na Índia foi comparada com arquivo de imagens.
Animal já tinha sido registrado em 2004 por ‘armadilha fotográfica’.

Um leopardo fotografado carregando uma carcaça de bezerro de bisão na reserva Bandipur, no sul da Índia, foi identificado por computador graças a um programa que analisa o desenho do pelo do animal.

O flagrante foi clicado pelo fotógrafo Vinay Kumar. Ele a fez chegar à organização Wildlife Conservation Society, que tem um arquivo de mais de 20 anos de fotos de felinos feitas com armadilhas fotográficas, máquinas colocadas em áreas selvagens que disparam automaticamente quando há movimento no entorno.

Com ajuda de um programa de análise do padrão da pelagem, pesquisadores encontraram uma imagem do mesmo animal datada de dezembro de 2004, ou seja, quase 8 anos atrás. O caso mostra que fotografias podem ajudar a monitorar a vida dos felinos selvagens – mesmo as feitas por turistas.

Desenhos no pelo do leopardo permitiram que programa reconhecesse o animal. (Foto: Vinay S. Kumar/Divulgação)

Desenhos no pelo do leopardo permitiram que programa reconhecesse o animal. (Foto: Vinay S. Kumar/Divulgação)

Fonte: Globo Natureza