30 de dezembro de 2011 | nenhum comentário »

Onça aparece em garagem de casa de Campo Limpo Paulista, SP

Morador saia de casa para o trabalho.
Segundo a GM, o animal pulou um muro de seis metros e conseguiu fugir.

Em Campo Limpo Paulista, onça aparece em uma residencia. Foto: G1

Um morador de Campo Limpo Paulista, interior de São Paulo, levou um susto na manhã desta quinta-feira (29).  Ao sair de casa para ir ao trabalho, ele deu de cara com uma onça na garagem.

Assustado, o morador entrou novamente na residência que fica no Jardim Califórnia, acionou a Guarda Municipal e os bombeiros.

Segundo informações da GM, o animal que estava bem agitado, pulou um muro de seis metros e conseguiu fugir.  Bombeiros fazem buscas no bairro para tentar encontrar a onça.
 

 

 

 

 

Fonte: G1


3 de outubro de 2011 | nenhum comentário »

Onça encontrada em Franco da Rocha revela desequilíbrio ambiental

Este não é o único bicho que está ficando encurralado pelas construções do homem. São animais que foram surpreendidos pelo avanço imobiliário.

O que parece não ter jeito é o desequilíbrio ambiental. Outro dia, apareceu uma onça em cima de uma árvore em Franco da Rocha, cidade da Grande São Paulo. Esses encontros de moradores com animais selvagens são cada vez mais frequentes.

A onça foi a que mais chamou a atenção, mas não é o único bicho que está ficando encurralado pelas construções do homem. Os animais, principalmente as onças, precisam de grandes territórios para sobreviver e, em suas caminhadas, acabam passando pelas cidades.

A onça macho já passou por vários exames, até teste de DNA. Também recebeu um microchip de identificação. Por ter sido encontrada em franco da rocha, na região metropolitana de São Paulo, foi batizada de “Franco”. Os veterinários querem devolver o animal o mais rápido possível à natureza.

“O menor tempo possível que ele ficar em cativeiro, é melhor para o animal. A gente vai aguardar mais um pouco, esperar as licenças saírem e ver se a gente consegue visualizar ele andando. Pensamos em colocar algumas câmeras para filmar o animal à noite. Depois desses fatores, a gente vai devolver ele à natureza”, afirmou o veterinário Gilberto Penido Junior.

O zoológico de Guarulhos tem recebido muitos animais encontrados em áreas urbanas. Um filhote de macaco bugio foi atropelado em uma estrada de Franco da Rocha na última sexta-feira (30). “Rochinha” tem um ferimento na boca, que pode ter sido provocado pelo acidente.

São animais que foram surpreendidos pelo avanço imobiliário. Câmeras de segurança de Campos do Jordão flagraram o momento em que uma onça caminhava pelo centro da cidade no mês de agosto.

A veterinária Cristina Adania é coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar, uma associação que resgata animais. Ela acompanhou o trabalho dos bombeiros em Franco da Rocha, que gastaram oito horas para retirar a onça de cima de uma árvore na semana passada. Ela diz que animais selvagens têm sido vistos com frequência em regiões urbanas.

“O que é assustador é que nesses dois últimos anos, nós já recebemos mais de 15 chamadas de ocorrência de avistamento de suçuarana e tivemos de fazer, pelo menos, sete capturas”, contou Cristina Adania, coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar.

A onça foi encontrada em um terreno. No local, existe um loteamento. A equipe de reportagem do Bom Dia Brasil procurou a prefeitura de Franco da Rocha, que informou que a obra é regular. “Está legal para a prefeitura, mas não está legal para a onça. Os animais, na verdade, têm uma área de deslocamento”, diz o ambientalista Carlos Bocuhi, Carlos Bocuhy, do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental.

Em 2002, outra onça encontrada na região passou a ser monitorada. Um mapa mostra que trajeto dela inclui a Serra da Cantareira em São Paulo e o Parque do Juqueri, em Franco da Rocha. O caminho é composto por corredores de mata que ligam as áreas.

“O que nós temos de fazer é um zoneamento preciso para preservação da biodiversidade, considerando os corredores de conectividade, ou seja, em uma série de ações que possam proteger a biodiversidade que fica invadindo as cidades hoje”, afirma Carlos Bocuhi.

click e veja o vídeo: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/10/onca-encontrada-em-franco-da-rocha-revela-desequilibrio-ambiental.html
 

Fonte: Bom dia Brasil


29 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Jaguatirica é atropelada e morre em estrada de Mato Grosso

Moradores afirmam que animais são atropelados constantemente na região.
Em 2010, mais de 100 animais foram atropelados nas rodovias de MT.

Uma jaguatirica foi encontrada morta na MT-060, próximo ao distrito de Cangas, em Poconé, a 104 quilômetros de Cuiabá. De acordo com os moradores do distrito, ela teria sido atropelada na madrugada de terça-feira (23) e não resistiu ao impacto do acidente e morreu.

Jaguatirica é encontrada morta em estrada de MT (Foto: Edson Barbosa / Site Poconet)

Jaguatirica é encontrada morta em estrada de MT (Foto: Edson Barbosa / Site Poconet)

Segundo Ramona Salazar, uma empresária do distrito, o atropelamento de animais silvestres é comum na região. Ela afirmou que os atropelamentos dos animais acontecem principalmente por conta da alta velocidade em que os carros passam pelo local. “Os motoristas passam tão rápido por aqui que nós conseguimos uma autorização para que um redutor de velocidade fosse construído. Mas, infelizmente, o atropelamento de animais silvestres acontece muito”, afirmou a empresária.

De acordo com os moradores do distrito, nenhum órgão ou polícia foi recolher o animal que continua no local e começa a entrar no estado de decomposição. Os policiais militares de Poconé afirmaram ao G1 que estavam atendendo uma ocorrência de um homem que morreu atropelado no dia em que a onça foi encontrada e que achavam que os próprios moradores teriam retirado a jaguatirica do local. Ainda segundo a PM, o número de ocorrências de atropelamento de animais silvestres é expressivo.

A bióloga Marcela Marques, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) afirmou que quando os animais são encontrados já mortos, as polícias Militar ou Rodoviária Federal devem ser acionadas para a remoção do bicho. O Ibama também pode ser informado da ocorrência pelo telefone  (65) 3648-9161 .

Rodovias estaduais
No ano passado a Polícia Rodoviária Federal registrou um total de 108 atropelamentos de animais silvestres nas rodovias federais de Mato Grosso. Um dos trechos com maior índice de acidentes com animais é o da BR-174, que vai de Cáceres até a divisa com Rondônia. Nesse trecho 28 atropelamentos foram contabilizados em 2010.

A PRF pede que os motoristas tenham mais atenção, já que a maioria dos animais atropelados é de grande porte. Nas rodovias federais, o atropelamento de animais silvestres deve ser comunicado à PRF pelo telefone 191.

fonte: Iara Vilela, G1, MT


25 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Onça é abatida após atacar cadela em base da Funai no Acre

Sertanista que estuda índios isolados registrou o ocorrido nesta terça-feira.
Região é a mesma onde PF prendeu traficante português no início do mês.

Uma onça pintada foi abatiada por homens da Força Nacional de Segurança e da Fundação Nacional do Índio (Funai), na noite desta terça-feira (24), após invadir e matar uma cadela da Frente de Proteção Etnoambiental da fundação, em Feijó (AC), perto da fronteira do Brasil com o Peru.

“E depois acham que nós que trabalhamos na mata devemos andar desarmados. Vejam quem matou um cachorro na porta de casa aqui na base, nesta terça-feira. Além dos traficantes, ainda tem desses bichinhos. Alguém em sã consciência quer morar aqui sem arma? Ou devemos ligar para o Ibama ou para a Funai quando ela entrar em casa?”, disse o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles.

A região é a mesma onde a Polícia Federal (PF) prendeu um traficante português no começo deste mês. A Funai havia denunciado a que um grupo armado vindo do Peru estaria rondando região onde habitam indígenas isolados, no entorno do Rio Envira, no oeste do Acre.

Onça tinha acabado de atacar uma cadela em base da Funai, no Acre (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Onça tinha acabado de atacar uma cadela em base da Funai, no Acre (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Rastro de sangue deixado por onça pintada após atacar cadela da Funai (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Rastro de sangue deixado por onça pintada após atacar cadela da Funai (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Fonte: Do G1, São Paulo


22 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Onça é encontrada em quintal de casa no Ceará e assusta moradores

Criança encontrou uma espécie de onça no quintal de casa
O animal fugiu sem ferir ninguém, segundo policiais da localidade

Espécie de onça foi mantida em quintal de moradores de Bitupitá, litoral do Ceará (Foto: Tadeu Nogueira/Camocim Online)

Espécie de onça foi mantida em quintal de moradores de Bitupitá, litoral do Ceará (Foto: Tadeu Nogueira/Camocim Online)

Uma criança encontrou uma onça no quintal de casa no distrito de Bitupitá, Litoral Oeste do Ceará, na cidade de Barroquinha, na manhã deste domingo (21). Segundo policiais, o animal estava faminto e ferido no pescoço e ficou durante toda a manhã no quintal da casa de um morador local e fugiu no início da tarde.

De acordo com policiais, ninguém foi ferido pelo animal. A fuga do animal ocorreu antes de fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pudessem resgatar e tratar o animal selvagem, que não identificado. Policiais e moradores da região acreditam ser uma onça sussuarana.

Os moradores de Bitupitá relatam que o animal tentou atacar a criança que o encontrou no início da manhã, mas um homem laçou e evitou o ataque. Segundo policiais, a fuga ocorreu quando o proprietário da casa em que o animal foi capturado tentava transferi-lo para uma jaula.

A Polícia Militar de Turismo (PMTUR) diz também que a suposta onça sussuarana estava estressada com o movimento intenso das pessoas na casa para conhecer o animal. Os policiais recomendam manter-se distante de animais selvagens.

O Ibama recomenda manter-se distante do animal e pede, que, se a onça for encontrada, os moradores liguem para (88) 3474.0001

Fonte: G1, CE


24 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Vídeo raro mostra nascimento de filhotes de onça-pintada em Goiás

Um dos filhotes foi rejeitado pela mãe logo após o nascimento.
Instituto Chico Mendes afirma que foi o primeiro parto gravado no Brasil.

O nascimento de dois filhotes de onça-pintada, espécie na lista de animais em extinção no Brasil, foi gravado num criadouro no interior de Goiás. O parto aconteceu na madrugada do último dia 18.

De acordo com o Centro Nacional de Predadores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi a primeira vez no país que o nascimento dessa espécie é registrado.

A instituição Nex, localizada em Corumbá de Goiás, a 80 km de Brasília (DF) conseguiu gravar o parto da onça Airumã, exemplar que tem cerca de 3 anos, com uma câmera de segurança adaptada com visão noturna. Cristina Gianni, presidente da instituição, afirmou que o segundo filhote foi rejeitado pela mãe e ficou 12 horas após o parto sem receber alimentação.

“Essa onça-pintada veio grávida de Belém (PA). Quando o primeiro filhote nasceu, ela amparou e já colocou para mamar. Já no segundo parto, ela apenas cortou o cordão umbilical e não deu atenção. Nós resgatamos esse filhote, que agora passa por tratamento. Ele precisa de muita atenção para conseguir sobreviver”, disse Cristina.

Um dos filhotes nasceu melânico, uma variação genética que deixa a pele do animal da cor preta. Quando uma onça-pintada nasce com esta pigmentação, ela é denominada onça-negra. “Em breve, os filhotes devem ser enviados para uma nova unidade em São Paulo”, disse. A ONG cuida atualmente de 18 onças-pintadas em fase adulta, além de quatro jaguarundis e quatro jaguatiricas.

Inédito
Segundo Ronaldo Morato, chefe do Centro Nacional de Predadores do ICMBio, foi a primeira vez que o parto de uma onça-pintada é registrado no Brasil. “O ideal é que os filhotes não tivessem nascido em cativeiro. Entretanto, não temos condições de soltar as onças em uma área apropriada, com completa segurança”, afirmou Morato.

De acordo com o especialista, existem no país 200 exemplares de onças-pintadas em zoológicos e outros 50 animais em centros de recuperação espalhados pelos estados. “Essa espécie ainda continua em extinção. A maior parte está na floresta Amazônica e no Pantanal”, disse Morato.

Filhote de onça-pintada que foi rejeitado pela mãe após o parto, no interior de Goiás. Animal recebe tratamento de instituição (Foto: Divulgação/ONG Nex)

Filhote de onça-pintada que foi rejeitado pela mãe após o parto, no interior de Goiás. Animal recebe tratamento de instituição (Foto: Divulgação/ONG Nex)

 

Acesse: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/06/video-raro-mostra-nascimento-de-filhotes-de-onca-pintada-em-goias.html e veja o vídeo do nascimento dos filhotes de onça.

Fonte: Eduardo Carvalho, Do Globo Natureza, em São Paulo


15 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Autoridades investigam origem de onça atropelada perto de Nova York

Espécie de felino foi declarada extinta em março no leste dos EUA.
Suspeita é de que animal fugiu de cativeiro ilegal, mas faltam evidências.

Autoridades ambientais americanas investigam a origem de uma onça-parda atropelada no último sábado (11) em Milford, a cerca de 115 km de Nova York. O animal foi atingido por um carro e morreu dos ferimentos decorrentes do atropelamento.

Em março deste ano, a subespécie de onça-parda que vivia no leste dos EUA foi oficialmente declara extinta, onde é conhecida como leão da montanha. Ela foi retirada da lista de espécies ameaçadas.

Por isso, é improvável que o animal seja selvagem. Supõe-se que era criado ilegalmente em cativeiro. No entanto, o corpo do animal não apresentava evidências de que vivesse domesticado. Na última semana, já havia relatos de uma onça rondando outra cidade próxima, assustando moradores. É provável que o animal avistado pelos moradores seja o que acabou morrendo no acidente.

Onça-parda foi atropelada e morreu; o motorista saiu ileso. (Foto: Reuters)

Onça-parda foi atropelada e morreu; o motorista saiu ileso. (Foto: Reuters)

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo


20 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Onça é capturada na zona rural de Uberaba, em Minas Gerais

Animal ficou preso em uma armadilha montada por um fazendeiro.
Segundo ele, o felino ameaçava pessoas e se alimentava de suas criações.

Onça suçuarana é capturada na zona rural de Uberaba. (Foto: Polícia Militar de Meio Ambiente/Uberaba)

Onça suçuarana é capturada na zona rural de Uberaba. (Foto: Polícia Militar de Meio Ambiente/Uberaba)

Militares do 4º Pelotão da Polícia Militar de Meio Ambiente em Uberaba, na Região do Triângulo, em Minas Gerais, localizaram, nesta quarta-feira (18), uma onça suçuarana presa em uma armadilha, em uma fazenda, na zona rural do município.

De acordo com a polícia, o fazendeiro disse que o animal rondava a sede da propriedade, colocando em risco a vida das pessoas. Por isso, ele quis capturá-la. Ainda segundo o fazendeiro, o felino estaria comendo carneiros e galinhas que ele criava.

Conforme avaliação da corporação, a onça apresentava boa saúde e foi solta em uma área de reserva ambiental.

Fonte: G1 de Minas Gerais


21 de julho de 2010 | nenhum comentário »

“Safári” de caça leva 14 para a prisão em operação da PF e do Ibama

op-dpf-ibama-onca-250x167op-dpf-ibama-250x167
Brasília (21/07/2010) – A Operação Jaguar, deflagrada ontem pela Polícia Federal e o Ibama, desmantelou organização delituosa que promovia caça de onças pintadas, pardas e pretas no Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná e resultou na prisão de 4 argentinos, 1 paraguaio e 3 brasileiros (um é policial militar do MT) em plena atividade clandestina e de mais outras seis pessoas.

As investigações, desenvolvidas em conjunto com o Ibama, tiveram início no ano passado pela PF de Corumbá (MS) que obteve relatos do encontro de carcaças de onças em algumas fazendas na região pantaneira do estado e ainda o sumiço de felinos que estavam em monitoramento pelo Ibama.

Em continuidade às investigações, a PF constatou a presença de indivíduos, acompanhados de M. A. M. M., (filho de A. T. M. N., o mais famoso caçador de onça do Brasil), transportando em camionetas vários cães de raça, típicos para caça de grande felinos.
“O Caçador de Onça”, que em algumas ocasiões auxiliou o Ibama, se diz regenerado da fama de maior caçador de onças do Brasil, convertido agora a trabalhar pela preservação da espécie.

Os levantamentos evidenciaram que o conhecido caçador de onça e seu filho usavam da prática de capturar onças para encoleiramento, no contexto do programa Pró-Carnívoros, desenvolvidos pelo Ibama, para acobertar sua atividade de caça clandestina e predatória.

Toda a ação criminosa do grupo se desenvolve quando os caçadores, brasileiros e/ou estrangeiros, ingressam no Pantanal por meio de aviões particulares, pousam em fazendas da região, equipados com modernas armas de caça. Nas fazendas utilizam os cães, normalmente cedidos por “Caçador de Onças” ou alguns fazendeiros que têm interesse em proteger seu gado do felino. Após os registros fotográficos dos abates, destroem as carcaças. Há evidências que alguns “troféus” são levados até para o exterior, vez que a PF constatou a frequente participação de uma pessoa, identificada como F. C, residente em Curitiba (PR), com conhecimento em Taxidermia – arte de empalhar animais.

Normalmente as caçadas predatórias são organizadas pelo caçador profissional identificado como E. A. S., residente em Cascavel (PR).

Pelos chamados “safáris”, os clientes pagavam por animal abatido, especificamente onça-pintada, parda e preta, e, por um valor a maior, tinham o direito à pele, cabeça ou a todo o animal, que era empalhado em Curitiba.

A PF não descarta a possibilidade do grupo participar de safáris na África, introduzindo no Brasil, peles e partes de animais caçados naquele continente, inclusive no tráfico de marfim, cuja comercialização é proibida internacionalmente.

Acolhendo representação da Polícia Federal, a Justiça Federal de Corumbá (MS) autorizou o monitoramento do grupo e, nesta fase ostensiva da Operação Jaguar, expediu 7 Mandados de Prisão Temporária e 14 Mandados de Busca e Apreensão, efetuados em Curitiba, Cascavel, Corbélia (PR), Rondonópolis e Sinop (MT), Miranda e Bodoquena (MS).

Os alvos, independentes das circunstâncias em que forem presos, serão indiciados nos crimes previstos na Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9605/98) – Perseguir, caçar ou matar animais da fauna silvestre sem permissão – Pena de seis meses a um ano e ainda por porte ilegal de arma de fogo, cuja pena prevista é de até 4 anos de reclusão e mais o artigo 288 do Código Penal (Formação de Quadrilha ou Bando – Pena de 1 a 3 anos de reclusão).

watch elephant white film in high quality

A operação foi deflagrada ontem (20), por volta de meio-dia, quando equipes de policiais federais e do Ibama, utilizando viaturas tracionadas e ainda um helicóptero do Ibama, prenderam em plena atividade de caça clandestina 8 pessoas, sendo 4 argentinos, 1 paraguaio e 3 brasileiros (um é policial militar do MT). Todos portando grande número armas e munições de diversos calibres. A PF efetuou a prisão do grupo na manhã, antecipando a “Grande Caçada” que estava agendada pelos predadores para ontem à noite, evitando assim o abate de um ou mais felinos.

Os Mandados de Prisão Temporária e de Busca e Apreensão nos locais já descritos foram cumpridos ontem, no final da tarde, após a prisão em flagrante do grupo de caçadores em fazendas na região de Sinop.

Comunicação Social SR/DPF/MS


7 de agosto de 2009 | nenhum comentário »

Com doação de empresário, onça apreendida no AM vai ganhar lar

A onça-parda Shiva, que foi notícia neste portal porque desde pequena vive de forma provisória no centro de triagem animais silvestres do Ibama em Manaus vai finalmente ganhar um lugar definitivo para viver.

Shiva, um macho de dois anos e meio, não pode ser devolvido à natureza porque foi encontrado sem a mãe ainda filhote e nunca aprendeu a caçar. Ao mesmo tempo, como por lei só pode viver em criadouros autorizados, até agora o órgão ambiental não havia conseguido dar uma destinação ao animal, pois seu transporte e manutenção são muito caros. Por isso, há mais de dois anos está num recinto de alvenaria em Manaus, à espera de acomodação.

Após ler a reportagem do Globo Amazônia, um empresário de São Paulo decidiu financiar a construção de um recinto de cem metros quadrados para Shiva no criadouro conservacionista Nex,  ONG que cuida de outros dez felinos selvagens em Corumbá de Goiás (GO), a cerca de 80 km de Brasília.

clash of the titans movie rating

“Atualmente abrigamos dez onças – seis pintadas e quatro suçuaranas – duas jaguatiricas e um gato-maracajá. Gostaríamos de receber todos os felinos, mas priorizamos aqueles que estejam há mais tempo submetidos a situações extremas, que mal têm espaço para se movimentar, que estejam passando privações alimentares e outras barbaridades das quais somos testemunhas”, explica a presidente do Nex, Cristina Gianni. “Assim também é o caso do Shiva, a onça que iremos receber em pouco tempo”.

“Tive um contato pessoal com Shiva em janeiro. Nunca vou esquecer que ele colocou a pata para fora das grades, no meu ombro, como se dissesse: ‘me leva, me tira daqui!’ Ele é manso, dócil, extremamente humanizado e completamente indefeso”, relata Cristina. “Na época, não tínhamos um recinto pronto para recebê-lo e isso me deixou triste, conservando sempre a lembrança daquele apelo. Mas qual sonho verdadeiro não se realiza?”, questiona a criadora de onças.

Segundo a presidente do Nex, a construção do espaço para receber a onça-parda deve demorar mais 50 dias. O custo ficará entre R$ 15 mil e R$ 17 mil.

O empresário paulista não quer ser identificado, mas, por intermédio de Cristina, enviou uma mensagem explicando porque resolveu fazer a doação: “Ajudar um animal como uma onça que vive nessas condições – sem ver a luz do sol ou pisar na terra – é ajudar um símbolo de nossa natureza que não fez nada de errado para viver assim. É ajudar alguém que nem voz tem para pedir ajuda. É ter a certeza de que crianças a verão mais feliz na sede do Nex.”

O Ibama de Manaus informa que agora está empenhado em encontrar uma forma de viabilizar o transporte aéreo da onça do Amazonas a Brasília. Além do gasto inicial para o recinto, Shiva vai necessitar de pelos menos o equivalente a R$ 450 por mês em carne. Cristina Gianni explica que o Nex consegue o alimento dos animais que cria por meio de doações intermediadas pelo Ministério Público, com quem tem parceria. (Fonte: Dennis Barbosa/ Globo Amazônia)






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

setembro 2021
S T Q Q S S D
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

30 de dezembro de 2011 | nenhum comentário »

Onça aparece em garagem de casa de Campo Limpo Paulista, SP

Morador saia de casa para o trabalho.
Segundo a GM, o animal pulou um muro de seis metros e conseguiu fugir.

Em Campo Limpo Paulista, onça aparece em uma residencia. Foto: G1

Um morador de Campo Limpo Paulista, interior de São Paulo, levou um susto na manhã desta quinta-feira (29).  Ao sair de casa para ir ao trabalho, ele deu de cara com uma onça na garagem.

Assustado, o morador entrou novamente na residência que fica no Jardim Califórnia, acionou a Guarda Municipal e os bombeiros.

Segundo informações da GM, o animal que estava bem agitado, pulou um muro de seis metros e conseguiu fugir.  Bombeiros fazem buscas no bairro para tentar encontrar a onça.
 

 

 

 

 

Fonte: G1


3 de outubro de 2011 | nenhum comentário »

Onça encontrada em Franco da Rocha revela desequilíbrio ambiental

Este não é o único bicho que está ficando encurralado pelas construções do homem. São animais que foram surpreendidos pelo avanço imobiliário.

O que parece não ter jeito é o desequilíbrio ambiental. Outro dia, apareceu uma onça em cima de uma árvore em Franco da Rocha, cidade da Grande São Paulo. Esses encontros de moradores com animais selvagens são cada vez mais frequentes.

A onça foi a que mais chamou a atenção, mas não é o único bicho que está ficando encurralado pelas construções do homem. Os animais, principalmente as onças, precisam de grandes territórios para sobreviver e, em suas caminhadas, acabam passando pelas cidades.

A onça macho já passou por vários exames, até teste de DNA. Também recebeu um microchip de identificação. Por ter sido encontrada em franco da rocha, na região metropolitana de São Paulo, foi batizada de “Franco”. Os veterinários querem devolver o animal o mais rápido possível à natureza.

“O menor tempo possível que ele ficar em cativeiro, é melhor para o animal. A gente vai aguardar mais um pouco, esperar as licenças saírem e ver se a gente consegue visualizar ele andando. Pensamos em colocar algumas câmeras para filmar o animal à noite. Depois desses fatores, a gente vai devolver ele à natureza”, afirmou o veterinário Gilberto Penido Junior.

O zoológico de Guarulhos tem recebido muitos animais encontrados em áreas urbanas. Um filhote de macaco bugio foi atropelado em uma estrada de Franco da Rocha na última sexta-feira (30). “Rochinha” tem um ferimento na boca, que pode ter sido provocado pelo acidente.

São animais que foram surpreendidos pelo avanço imobiliário. Câmeras de segurança de Campos do Jordão flagraram o momento em que uma onça caminhava pelo centro da cidade no mês de agosto.

A veterinária Cristina Adania é coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar, uma associação que resgata animais. Ela acompanhou o trabalho dos bombeiros em Franco da Rocha, que gastaram oito horas para retirar a onça de cima de uma árvore na semana passada. Ela diz que animais selvagens têm sido vistos com frequência em regiões urbanas.

“O que é assustador é que nesses dois últimos anos, nós já recebemos mais de 15 chamadas de ocorrência de avistamento de suçuarana e tivemos de fazer, pelo menos, sete capturas”, contou Cristina Adania, coordenadora de fauna da Associação Mata Ciliar.

A onça foi encontrada em um terreno. No local, existe um loteamento. A equipe de reportagem do Bom Dia Brasil procurou a prefeitura de Franco da Rocha, que informou que a obra é regular. “Está legal para a prefeitura, mas não está legal para a onça. Os animais, na verdade, têm uma área de deslocamento”, diz o ambientalista Carlos Bocuhi, Carlos Bocuhy, do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental.

Em 2002, outra onça encontrada na região passou a ser monitorada. Um mapa mostra que trajeto dela inclui a Serra da Cantareira em São Paulo e o Parque do Juqueri, em Franco da Rocha. O caminho é composto por corredores de mata que ligam as áreas.

“O que nós temos de fazer é um zoneamento preciso para preservação da biodiversidade, considerando os corredores de conectividade, ou seja, em uma série de ações que possam proteger a biodiversidade que fica invadindo as cidades hoje”, afirma Carlos Bocuhi.

click e veja o vídeo: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/10/onca-encontrada-em-franco-da-rocha-revela-desequilibrio-ambiental.html
 

Fonte: Bom dia Brasil


29 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Jaguatirica é atropelada e morre em estrada de Mato Grosso

Moradores afirmam que animais são atropelados constantemente na região.
Em 2010, mais de 100 animais foram atropelados nas rodovias de MT.

Uma jaguatirica foi encontrada morta na MT-060, próximo ao distrito de Cangas, em Poconé, a 104 quilômetros de Cuiabá. De acordo com os moradores do distrito, ela teria sido atropelada na madrugada de terça-feira (23) e não resistiu ao impacto do acidente e morreu.

Jaguatirica é encontrada morta em estrada de MT (Foto: Edson Barbosa / Site Poconet)

Jaguatirica é encontrada morta em estrada de MT (Foto: Edson Barbosa / Site Poconet)

Segundo Ramona Salazar, uma empresária do distrito, o atropelamento de animais silvestres é comum na região. Ela afirmou que os atropelamentos dos animais acontecem principalmente por conta da alta velocidade em que os carros passam pelo local. “Os motoristas passam tão rápido por aqui que nós conseguimos uma autorização para que um redutor de velocidade fosse construído. Mas, infelizmente, o atropelamento de animais silvestres acontece muito”, afirmou a empresária.

De acordo com os moradores do distrito, nenhum órgão ou polícia foi recolher o animal que continua no local e começa a entrar no estado de decomposição. Os policiais militares de Poconé afirmaram ao G1 que estavam atendendo uma ocorrência de um homem que morreu atropelado no dia em que a onça foi encontrada e que achavam que os próprios moradores teriam retirado a jaguatirica do local. Ainda segundo a PM, o número de ocorrências de atropelamento de animais silvestres é expressivo.

A bióloga Marcela Marques, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) afirmou que quando os animais são encontrados já mortos, as polícias Militar ou Rodoviária Federal devem ser acionadas para a remoção do bicho. O Ibama também pode ser informado da ocorrência pelo telefone  (65) 3648-9161 .

Rodovias estaduais
No ano passado a Polícia Rodoviária Federal registrou um total de 108 atropelamentos de animais silvestres nas rodovias federais de Mato Grosso. Um dos trechos com maior índice de acidentes com animais é o da BR-174, que vai de Cáceres até a divisa com Rondônia. Nesse trecho 28 atropelamentos foram contabilizados em 2010.

A PRF pede que os motoristas tenham mais atenção, já que a maioria dos animais atropelados é de grande porte. Nas rodovias federais, o atropelamento de animais silvestres deve ser comunicado à PRF pelo telefone 191.

fonte: Iara Vilela, G1, MT


25 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Onça é abatida após atacar cadela em base da Funai no Acre

Sertanista que estuda índios isolados registrou o ocorrido nesta terça-feira.
Região é a mesma onde PF prendeu traficante português no início do mês.

Uma onça pintada foi abatiada por homens da Força Nacional de Segurança e da Fundação Nacional do Índio (Funai), na noite desta terça-feira (24), após invadir e matar uma cadela da Frente de Proteção Etnoambiental da fundação, em Feijó (AC), perto da fronteira do Brasil com o Peru.

“E depois acham que nós que trabalhamos na mata devemos andar desarmados. Vejam quem matou um cachorro na porta de casa aqui na base, nesta terça-feira. Além dos traficantes, ainda tem desses bichinhos. Alguém em sã consciência quer morar aqui sem arma? Ou devemos ligar para o Ibama ou para a Funai quando ela entrar em casa?”, disse o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles.

A região é a mesma onde a Polícia Federal (PF) prendeu um traficante português no começo deste mês. A Funai havia denunciado a que um grupo armado vindo do Peru estaria rondando região onde habitam indígenas isolados, no entorno do Rio Envira, no oeste do Acre.

Onça tinha acabado de atacar uma cadela em base da Funai, no Acre (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Onça tinha acabado de atacar uma cadela em base da Funai, no Acre (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Rastro de sangue deixado por onça pintada após atacar cadela da Funai (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Rastro de sangue deixado por onça pintada após atacar cadela da Funai (Foto: Arquivo pessoal/José Carlos dos Reis Meirelles)

Fonte: Do G1, São Paulo


22 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Onça é encontrada em quintal de casa no Ceará e assusta moradores

Criança encontrou uma espécie de onça no quintal de casa
O animal fugiu sem ferir ninguém, segundo policiais da localidade

Espécie de onça foi mantida em quintal de moradores de Bitupitá, litoral do Ceará (Foto: Tadeu Nogueira/Camocim Online)

Espécie de onça foi mantida em quintal de moradores de Bitupitá, litoral do Ceará (Foto: Tadeu Nogueira/Camocim Online)

Uma criança encontrou uma onça no quintal de casa no distrito de Bitupitá, Litoral Oeste do Ceará, na cidade de Barroquinha, na manhã deste domingo (21). Segundo policiais, o animal estava faminto e ferido no pescoço e ficou durante toda a manhã no quintal da casa de um morador local e fugiu no início da tarde.

De acordo com policiais, ninguém foi ferido pelo animal. A fuga do animal ocorreu antes de fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pudessem resgatar e tratar o animal selvagem, que não identificado. Policiais e moradores da região acreditam ser uma onça sussuarana.

Os moradores de Bitupitá relatam que o animal tentou atacar a criança que o encontrou no início da manhã, mas um homem laçou e evitou o ataque. Segundo policiais, a fuga ocorreu quando o proprietário da casa em que o animal foi capturado tentava transferi-lo para uma jaula.

A Polícia Militar de Turismo (PMTUR) diz também que a suposta onça sussuarana estava estressada com o movimento intenso das pessoas na casa para conhecer o animal. Os policiais recomendam manter-se distante de animais selvagens.

O Ibama recomenda manter-se distante do animal e pede, que, se a onça for encontrada, os moradores liguem para (88) 3474.0001

Fonte: G1, CE


24 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Vídeo raro mostra nascimento de filhotes de onça-pintada em Goiás

Um dos filhotes foi rejeitado pela mãe logo após o nascimento.
Instituto Chico Mendes afirma que foi o primeiro parto gravado no Brasil.

O nascimento de dois filhotes de onça-pintada, espécie na lista de animais em extinção no Brasil, foi gravado num criadouro no interior de Goiás. O parto aconteceu na madrugada do último dia 18.

De acordo com o Centro Nacional de Predadores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi a primeira vez no país que o nascimento dessa espécie é registrado.

A instituição Nex, localizada em Corumbá de Goiás, a 80 km de Brasília (DF) conseguiu gravar o parto da onça Airumã, exemplar que tem cerca de 3 anos, com uma câmera de segurança adaptada com visão noturna. Cristina Gianni, presidente da instituição, afirmou que o segundo filhote foi rejeitado pela mãe e ficou 12 horas após o parto sem receber alimentação.

“Essa onça-pintada veio grávida de Belém (PA). Quando o primeiro filhote nasceu, ela amparou e já colocou para mamar. Já no segundo parto, ela apenas cortou o cordão umbilical e não deu atenção. Nós resgatamos esse filhote, que agora passa por tratamento. Ele precisa de muita atenção para conseguir sobreviver”, disse Cristina.

Um dos filhotes nasceu melânico, uma variação genética que deixa a pele do animal da cor preta. Quando uma onça-pintada nasce com esta pigmentação, ela é denominada onça-negra. “Em breve, os filhotes devem ser enviados para uma nova unidade em São Paulo”, disse. A ONG cuida atualmente de 18 onças-pintadas em fase adulta, além de quatro jaguarundis e quatro jaguatiricas.

Inédito
Segundo Ronaldo Morato, chefe do Centro Nacional de Predadores do ICMBio, foi a primeira vez que o parto de uma onça-pintada é registrado no Brasil. “O ideal é que os filhotes não tivessem nascido em cativeiro. Entretanto, não temos condições de soltar as onças em uma área apropriada, com completa segurança”, afirmou Morato.

De acordo com o especialista, existem no país 200 exemplares de onças-pintadas em zoológicos e outros 50 animais em centros de recuperação espalhados pelos estados. “Essa espécie ainda continua em extinção. A maior parte está na floresta Amazônica e no Pantanal”, disse Morato.

Filhote de onça-pintada que foi rejeitado pela mãe após o parto, no interior de Goiás. Animal recebe tratamento de instituição (Foto: Divulgação/ONG Nex)

Filhote de onça-pintada que foi rejeitado pela mãe após o parto, no interior de Goiás. Animal recebe tratamento de instituição (Foto: Divulgação/ONG Nex)

 

Acesse: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2011/06/video-raro-mostra-nascimento-de-filhotes-de-onca-pintada-em-goias.html e veja o vídeo do nascimento dos filhotes de onça.

Fonte: Eduardo Carvalho, Do Globo Natureza, em São Paulo


15 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Autoridades investigam origem de onça atropelada perto de Nova York

Espécie de felino foi declarada extinta em março no leste dos EUA.
Suspeita é de que animal fugiu de cativeiro ilegal, mas faltam evidências.

Autoridades ambientais americanas investigam a origem de uma onça-parda atropelada no último sábado (11) em Milford, a cerca de 115 km de Nova York. O animal foi atingido por um carro e morreu dos ferimentos decorrentes do atropelamento.

Em março deste ano, a subespécie de onça-parda que vivia no leste dos EUA foi oficialmente declara extinta, onde é conhecida como leão da montanha. Ela foi retirada da lista de espécies ameaçadas.

Por isso, é improvável que o animal seja selvagem. Supõe-se que era criado ilegalmente em cativeiro. No entanto, o corpo do animal não apresentava evidências de que vivesse domesticado. Na última semana, já havia relatos de uma onça rondando outra cidade próxima, assustando moradores. É provável que o animal avistado pelos moradores seja o que acabou morrendo no acidente.

Onça-parda foi atropelada e morreu; o motorista saiu ileso. (Foto: Reuters)

Onça-parda foi atropelada e morreu; o motorista saiu ileso. (Foto: Reuters)

Fonte: Globo Natureza, em São Paulo


20 de maio de 2011 | nenhum comentário »

Onça é capturada na zona rural de Uberaba, em Minas Gerais

Animal ficou preso em uma armadilha montada por um fazendeiro.
Segundo ele, o felino ameaçava pessoas e se alimentava de suas criações.

Onça suçuarana é capturada na zona rural de Uberaba. (Foto: Polícia Militar de Meio Ambiente/Uberaba)

Onça suçuarana é capturada na zona rural de Uberaba. (Foto: Polícia Militar de Meio Ambiente/Uberaba)

Militares do 4º Pelotão da Polícia Militar de Meio Ambiente em Uberaba, na Região do Triângulo, em Minas Gerais, localizaram, nesta quarta-feira (18), uma onça suçuarana presa em uma armadilha, em uma fazenda, na zona rural do município.

De acordo com a polícia, o fazendeiro disse que o animal rondava a sede da propriedade, colocando em risco a vida das pessoas. Por isso, ele quis capturá-la. Ainda segundo o fazendeiro, o felino estaria comendo carneiros e galinhas que ele criava.

Conforme avaliação da corporação, a onça apresentava boa saúde e foi solta em uma área de reserva ambiental.

Fonte: G1 de Minas Gerais


21 de julho de 2010 | nenhum comentário »

“Safári” de caça leva 14 para a prisão em operação da PF e do Ibama

op-dpf-ibama-onca-250x167op-dpf-ibama-250x167
Brasília (21/07/2010) – A Operação Jaguar, deflagrada ontem pela Polícia Federal e o Ibama, desmantelou organização delituosa que promovia caça de onças pintadas, pardas e pretas no Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná e resultou na prisão de 4 argentinos, 1 paraguaio e 3 brasileiros (um é policial militar do MT) em plena atividade clandestina e de mais outras seis pessoas.

As investigações, desenvolvidas em conjunto com o Ibama, tiveram início no ano passado pela PF de Corumbá (MS) que obteve relatos do encontro de carcaças de onças em algumas fazendas na região pantaneira do estado e ainda o sumiço de felinos que estavam em monitoramento pelo Ibama.

Em continuidade às investigações, a PF constatou a presença de indivíduos, acompanhados de M. A. M. M., (filho de A. T. M. N., o mais famoso caçador de onça do Brasil), transportando em camionetas vários cães de raça, típicos para caça de grande felinos.
“O Caçador de Onça”, que em algumas ocasiões auxiliou o Ibama, se diz regenerado da fama de maior caçador de onças do Brasil, convertido agora a trabalhar pela preservação da espécie.

Os levantamentos evidenciaram que o conhecido caçador de onça e seu filho usavam da prática de capturar onças para encoleiramento, no contexto do programa Pró-Carnívoros, desenvolvidos pelo Ibama, para acobertar sua atividade de caça clandestina e predatória.

Toda a ação criminosa do grupo se desenvolve quando os caçadores, brasileiros e/ou estrangeiros, ingressam no Pantanal por meio de aviões particulares, pousam em fazendas da região, equipados com modernas armas de caça. Nas fazendas utilizam os cães, normalmente cedidos por “Caçador de Onças” ou alguns fazendeiros que têm interesse em proteger seu gado do felino. Após os registros fotográficos dos abates, destroem as carcaças. Há evidências que alguns “troféus” são levados até para o exterior, vez que a PF constatou a frequente participação de uma pessoa, identificada como F. C, residente em Curitiba (PR), com conhecimento em Taxidermia – arte de empalhar animais.

Normalmente as caçadas predatórias são organizadas pelo caçador profissional identificado como E. A. S., residente em Cascavel (PR).

Pelos chamados “safáris”, os clientes pagavam por animal abatido, especificamente onça-pintada, parda e preta, e, por um valor a maior, tinham o direito à pele, cabeça ou a todo o animal, que era empalhado em Curitiba.

A PF não descarta a possibilidade do grupo participar de safáris na África, introduzindo no Brasil, peles e partes de animais caçados naquele continente, inclusive no tráfico de marfim, cuja comercialização é proibida internacionalmente.

Acolhendo representação da Polícia Federal, a Justiça Federal de Corumbá (MS) autorizou o monitoramento do grupo e, nesta fase ostensiva da Operação Jaguar, expediu 7 Mandados de Prisão Temporária e 14 Mandados de Busca e Apreensão, efetuados em Curitiba, Cascavel, Corbélia (PR), Rondonópolis e Sinop (MT), Miranda e Bodoquena (MS).

Os alvos, independentes das circunstâncias em que forem presos, serão indiciados nos crimes previstos na Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9605/98) – Perseguir, caçar ou matar animais da fauna silvestre sem permissão – Pena de seis meses a um ano e ainda por porte ilegal de arma de fogo, cuja pena prevista é de até 4 anos de reclusão e mais o artigo 288 do Código Penal (Formação de Quadrilha ou Bando – Pena de 1 a 3 anos de reclusão).

watch elephant white film in high quality

A operação foi deflagrada ontem (20), por volta de meio-dia, quando equipes de policiais federais e do Ibama, utilizando viaturas tracionadas e ainda um helicóptero do Ibama, prenderam em plena atividade de caça clandestina 8 pessoas, sendo 4 argentinos, 1 paraguaio e 3 brasileiros (um é policial militar do MT). Todos portando grande número armas e munições de diversos calibres. A PF efetuou a prisão do grupo na manhã, antecipando a “Grande Caçada” que estava agendada pelos predadores para ontem à noite, evitando assim o abate de um ou mais felinos.

Os Mandados de Prisão Temporária e de Busca e Apreensão nos locais já descritos foram cumpridos ontem, no final da tarde, após a prisão em flagrante do grupo de caçadores em fazendas na região de Sinop.

Comunicação Social SR/DPF/MS


7 de agosto de 2009 | nenhum comentário »

Com doação de empresário, onça apreendida no AM vai ganhar lar

A onça-parda Shiva, que foi notícia neste portal porque desde pequena vive de forma provisória no centro de triagem animais silvestres do Ibama em Manaus vai finalmente ganhar um lugar definitivo para viver.

Shiva, um macho de dois anos e meio, não pode ser devolvido à natureza porque foi encontrado sem a mãe ainda filhote e nunca aprendeu a caçar. Ao mesmo tempo, como por lei só pode viver em criadouros autorizados, até agora o órgão ambiental não havia conseguido dar uma destinação ao animal, pois seu transporte e manutenção são muito caros. Por isso, há mais de dois anos está num recinto de alvenaria em Manaus, à espera de acomodação.

Após ler a reportagem do Globo Amazônia, um empresário de São Paulo decidiu financiar a construção de um recinto de cem metros quadrados para Shiva no criadouro conservacionista Nex,  ONG que cuida de outros dez felinos selvagens em Corumbá de Goiás (GO), a cerca de 80 km de Brasília.

clash of the titans movie rating

“Atualmente abrigamos dez onças – seis pintadas e quatro suçuaranas – duas jaguatiricas e um gato-maracajá. Gostaríamos de receber todos os felinos, mas priorizamos aqueles que estejam há mais tempo submetidos a situações extremas, que mal têm espaço para se movimentar, que estejam passando privações alimentares e outras barbaridades das quais somos testemunhas”, explica a presidente do Nex, Cristina Gianni. “Assim também é o caso do Shiva, a onça que iremos receber em pouco tempo”.

“Tive um contato pessoal com Shiva em janeiro. Nunca vou esquecer que ele colocou a pata para fora das grades, no meu ombro, como se dissesse: ‘me leva, me tira daqui!’ Ele é manso, dócil, extremamente humanizado e completamente indefeso”, relata Cristina. “Na época, não tínhamos um recinto pronto para recebê-lo e isso me deixou triste, conservando sempre a lembrança daquele apelo. Mas qual sonho verdadeiro não se realiza?”, questiona a criadora de onças.

Segundo a presidente do Nex, a construção do espaço para receber a onça-parda deve demorar mais 50 dias. O custo ficará entre R$ 15 mil e R$ 17 mil.

O empresário paulista não quer ser identificado, mas, por intermédio de Cristina, enviou uma mensagem explicando porque resolveu fazer a doação: “Ajudar um animal como uma onça que vive nessas condições – sem ver a luz do sol ou pisar na terra – é ajudar um símbolo de nossa natureza que não fez nada de errado para viver assim. É ajudar alguém que nem voz tem para pedir ajuda. É ter a certeza de que crianças a verão mais feliz na sede do Nex.”

O Ibama de Manaus informa que agora está empenhado em encontrar uma forma de viabilizar o transporte aéreo da onça do Amazonas a Brasília. Além do gasto inicial para o recinto, Shiva vai necessitar de pelos menos o equivalente a R$ 450 por mês em carne. Cristina Gianni explica que o Nex consegue o alimento dos animais que cria por meio de doações intermediadas pelo Ministério Público, com quem tem parceria. (Fonte: Dennis Barbosa/ Globo Amazônia)