12 de janeiro de 2012 | nenhum comentário »

Búzios lança site com principais unidades de conservação e projetos ambientais da cidade

Moradores e visitantes do balneário de Búzios, na Região dos Lagos fluminense, agora podem ter mais acesso a informações sobre parques, jardins, unidades de conservação do município, entre outros assuntos. O novo site da Secretaria de Meio Ambiente e Pesca de Búzios já está no ar, pelo endereço http://buziosmeioambiente.com. Lá, os interessados têm ainda como saber sobre licenciamento ambiental, fiscalização, trâmites de processos, ordenamento pesqueiro, épocas de defeso e temas de cunho ambiental.

Com design moderno e navegação simples, o site apresenta os principais programas e ações do setor, com informações completas. De acordo com a secretária de Meio Ambiente e Pesca de Búzios, Adriana Saad, a ideia é gerar acessibilidade. “O site veio para agilizar. É possível acompanhar a tramitação de processos, atas de reuniões dos Conselhos, legislação em vigor. O maior objetivo é facilitar a comunicação da população com a secretaria”, resume Saad, acrescentando que alguns conteúdos do site serão finalizados em breve.

O site também traz links para instituições como Inea, IEBMA, Anamma, Cocare, Consórcio Lagos São João, Núcleo Ecológico de José Gonçalves, Projeto Coral Vivo e Blog da Prefeitura de Búzios, entre outros.

Fonte: ASCOM Prefeitura Municipal de Búzios – Ariane Rodrigues


3 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Transposição do São Francisco ficará 36% mais cara

As obras da transposição do Rio São Francisco ficarão 36% mais caras que a previsão inicial do governo. O orçamento de R$ 5 bilhões foi reestimado para R$ 6,85 bilhões. De acordo com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, o aumento se deve a reajustes contratuais, necessidade de aditivos, elevação de preços para licitação de novos lotes e custos com compensações ambientais.

Em apenas quatro dos 14 lotes da obra, o ritmo dos trabalhos é considerado normal. Em três, o ritmo é lento e, em cinco, as obras estão paralisadas à espera de termos aditivos. Bezerra Coelho disse que o governo espera assinar os termos até o fim deste mês para que o trabalho seja retomado. Segundo o ministro, como a lei limita a assinatura de aditivos a 25% do valor global do empreendimento, algumas obras terão que ser relicitadas. No total, as alterações representarão aumento de R$ 771 milhões no custo da transposição.

Para a licitação dos lotes 5 e 8, que deve ocorrer ainda este ano, o governo calcula uma elevação de preços de 20% a 30% em relação aos valores contratados nas licitações feitas em 2007, o que também foi considerado na nova estimativa.

Além do reajuste nos valores das obras, o ministro disse que o novo custo incluiu gastos extras com a implantação de projetos básicos ambientais (PBAs), que serão necessários para a renovação da licença de instalação concedida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Na época da concessão da licença, o ministério se responsabilizou pela implantação de 38 PBAs. Já gastamos R$ 170 milhões e os técnicos agora estimam gastos de mais R$180 milhões com PBAs novos ou já existentes”.

Apesar da elevação de 36%, Bezerra Coelho disse que não há indícios de sobrepreços nos contratos e que a assinatura de aditivos é comum em obras de grande porte. “Os preços foram auditados, os contratos foram auditados. Qualquer insinuação de sobrepreço nas obras da transposição não se sustenta. E não é pela minha afirmação, isso está em relatórios do Tribunal de Contas da União e da Controladoria-Geral da União”.

O ministro ressaltou que o aumento na estimativa do custo da transposição está dentro da variação de preços para o mercado da construção nos últimos anos. “O valor do aumento do custo, de 36%, está em linha com os reajustes verificados nesse mesmo período com base no INCC [Índice Nacional de Custo da Construção], que no período foi de 39%”, comparou.

Na avaliação geral, 56,7% das obras da transposição estão concluídas. Com a assinatura de aditivos, o governo espera normalizar o ritmo das obras em todos os lotes. “Esperamos que até o fim do mês de setembro a obra possa estar toda remobilizada”, disse o ministro. Este ano, o governo deve desembolsar cerca de R$1 bilhão para o projeto.

Fonte: Luana Lourenço/ Agência Brasil


25 de novembro de 2010 | nenhum comentário »

Comitiva polonesa conhece projetos na área florestal

SEMA 22/11/2010

O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jorge Augusto Callado Afonso, recebeu nesta segunda-feira (22), em Curitiba, representantes das universidades polonesas Poznan University of Technology e Poznan University of Life Sciences. A comitiva veio conhecer os projetos ambientais do Paraná e propor acordo de cooperação técnica na área de monitoramento florestal.

O secretário explicou as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado que contribuem para o equilíbrio ambiental. ‘Ao monitorar as florestas, nós monitoramos a biodiversidade como um todo e que, embora tenhamos uma diferença de ecossistemas e de clima, as bases utilizadas são as mesmas’ destacou o secretário. Ele ainda disse, que a troca de experiências com a Polônia também poderá resultar em importantes estudos acadêmicos na área ambiental.

Técnicos e diretores da Secretaria do Meio Ambiente, Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG) promoveram para a comitiva polonesa um workshop sobre as possibilidades de aplicação e cooperação para implantar um sistema avançado de monitoramento de florestas no Paraná. Também participaram do Seminário, representantes da Embrapa Florestas e de organizações não governamentais (ONG) como a Mater Natura e The Nature Conservancy – TNC. Todas estas instituições já desenvolvem o monitoramento das Áreas Estratégicas para a Conservação e Recuperação da Biodiversidade do Paraná.

ESTRATÉGIA – As margens dos rios Ivaí, Piquiri, Cinzas e Iguaçu, em toda a sua extensão, são algumas das áreas apontadas como estratégicas para conservação. Também foram incluídas no levantamento áreas de remanescentes de floresta nativa existentes na região central do Paraná, nascentes de rios importantes, locais onde há grande diversidade de fauna e flora e áreas de floresta que podem ser conectadas a outros remanescentes florestais para construção de corredores de biodiversidade.

A primeira fase do programa identificou os principais remanescentes de vegetação do Paraná (áreas consideradas estratégicas para conservação) a partir do qual foram definidas as áreas necessárias para recomposição da vegetação. O mapeamento utilizou imagens de satélites (INPE 2008) considerando estudos do Ministério do Meio Ambiente sobre as áreas prioritárias para a biodiversidade; Projeto rede da biodiversidade; o sistema estadual e federal de Unidades de Conservação, Estações Ecológicas e áreas prioritárias definidas pelo Sisleg

‘Apresentamos aos nossos visitantes projetos que estão trazendo resultados positivos e toda a experiência dos nossos técnicos, contribuindo para o acordo de cooperação’, conta o engenheiro e técnico da Secretaria Sérgio Mudrovitsch de Bittencourt.

Integram a comitiva da Polônia Mikolaj Sobczak, PhD e chefe dos laboratórios de pesquisa sobre Sistemas Móveis; Andrzej Labedzki, PhD e entomologista florestal; Maciej Ulatowski, da área de Desenvolvimento de Negócios e Comercialização; o chefe de pesquisa dos Laboratórios sobre Sistemas Móveis, Szymon Wasik, e o pesquisador sênior Kamil Sedlak. 

Fonte: Agência de Notícias do Estado do Paraná – AEN

download movie s.w.a.t.: firefight hd

16 de março de 2009 | nenhum comentário »

IPEVS, SEMMA e VIDA VERDE recebem visita do Presidente da WWF na Alemanha

No dia 10 de março representantes do IPEVS, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e do grupo Ecológico Vida Verde de Cornélio Procópio receberam a visita do presidente da WWF (Worldwide Fun for Nature) na Alemanha, o professor Dr. Detlev Drenckhahn, no Bosque Municipal Manoel Julio de Almeida.

Detlev durante observação das formações vegetais existentes do Paraná

Detlev durante observação das formações vegetais existentes do Paraná

Durante a visita Detlev pode conhecer a estrutura existente no bosque e caminhar em suas trilhas observando a flora e fauna locais. Comentou sobre a importância da presevação e da união de fragmentos florestais como estes para a manutenção da biodiversidade. Outro ponto destacado pelo representante da WWF foi sobre as áreas florestais nas propriedades rurais. “ O agricultor deve receber por manter as áreas florestais preservadas”, ressaltou o Dr. Drenckhanh.

Indagado sobre o papel do WWF no incentivo a proteção do meio ambiente, Detlev foi categórico em dizer que a instituição possui milhões de dólares para financiar projetos na área ambiental e que deverá atender a demanda existente no Brasil desde que os projetos estejam em acordo com a legislação brasileira e atendam as linhas de trabalho da WWF.

Trocas de idéias e explanações durante o coffeebreak

Trocas de idéias e explanações durante o coffeebreak

Detlev veio acompanhado de sua esposa e do Cônsul Honorário da Alemanha de Rolândia, Adrian Von Treuenfels. Adrian que além de produtor rural é ambientalista e membro da WWF, ressaltou que um grande projeto que favoreça a toda a região e as comunidades locais com certeza contará com o empenho pessoal dele para um possível financiamento junto a instituição. 

Adrian e Rafael analisam possíveis projetos para a formação de corredores ecológicos para a área

Adrian e Rafael analisam possíveis projetos para a formação de corredores ecológicos para a área

O Bosque Municipal Manoel Julio de Almeida deverá em breve passar por um grande processo de revitalização para também abrigar o IPEVS – Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Meio Ambiente e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. 

Rafael Haddad, Bira, Fátima Roque e Rubinho expõe sobre as futuras propostas para o Bosque
Rafael Haddad, Bira, Fátima Roque e Rubinho expõe sobre as futuras propostas para o Bosque

Representantes de todas as instituições presentes durante a visita
Representantes de todas as instituições presentes durante a visita

 

 


6 de março de 2009 | nenhum comentário »

Bird aprova US$ 1,3 bi para projetos ambientais no Brasil

O Banco Mundial (Bird) aprovou nesta quinta-feira (05/03/2009) um empréstimo de US$ 1,3 bilhão ao governo brasileiro para financiar projetos de preservação da Amazônia, da Mata Atlântica, de produção de energias renováveis e manutenção de recursos hídricos.

Segundo o Bird, o empréstimo será concedido em duas parcelas, uma primeira de US$ 800 milhões e outra de US$ 500 milhões, que será desembolsada depois da conclusão das metas estabelecidas pelo governo brasileiro.

O pacote foi negociado pelos Ministérios de Meio Ambiente e Fazenda e pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Um outro empréstimo para projetos ambientais, cujo valor não foi divulgado, será negociado pelo governo brasileiro e pelo Bird no último trimestre deste ano.

Segundo um comunicado divulgado pelo Banco Mundial, o empréstimo pretende “apoiar os esforços do Brasil para melhorar seu sistema de gestão ambiental e integrar conceitos de sustentabilidade na agenda de desenvolvimento de setores como a preservação de florestas, água e programas de energias renováveis”.

Recursos

true grit divx

Entre as questões ambientais que também devem ser contempladas pelo pacote estão o combate ao desmatamento na Amazônia e a preservação das áreas restantes de Mata Atlântica.

“O programa apoia o compromisso do Brasil de ter melhores resultados ambientais e de combate à pobreza ao mesmo tempo em que implementa um modelo de competitividade e crescimento acelerados”, diz o comunicado do Bird.

“(O empréstimo) vai promover o manejo sustentável de terras agrícolas, florestas e recursos hídricos, reduzir o desmatamento da Amazônia, a degradação da terra e de outros recursos que são determinantes para o bem estar dos pobres”.

No documento onde anuncia a aprovação do empréstimo, o Banco Mundial afirma que, em poucos países do mundo, o meio ambiente é tão importante para o desenvolvimento e para a qualidade de vida das pessoas como no Brasil.

O Bird ainda afirma que uma parte significativa da economia brasileira depende do uso de recursos naturais, o que torna ainda mais importante o uso sustentável destes recursos.
(BBC Brasil, 6/3/2009)






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

setembro 2019
S T Q Q S S D
« mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

12 de janeiro de 2012 | nenhum comentário »

Búzios lança site com principais unidades de conservação e projetos ambientais da cidade

Moradores e visitantes do balneário de Búzios, na Região dos Lagos fluminense, agora podem ter mais acesso a informações sobre parques, jardins, unidades de conservação do município, entre outros assuntos. O novo site da Secretaria de Meio Ambiente e Pesca de Búzios já está no ar, pelo endereço http://buziosmeioambiente.com. Lá, os interessados têm ainda como saber sobre licenciamento ambiental, fiscalização, trâmites de processos, ordenamento pesqueiro, épocas de defeso e temas de cunho ambiental.

Com design moderno e navegação simples, o site apresenta os principais programas e ações do setor, com informações completas. De acordo com a secretária de Meio Ambiente e Pesca de Búzios, Adriana Saad, a ideia é gerar acessibilidade. “O site veio para agilizar. É possível acompanhar a tramitação de processos, atas de reuniões dos Conselhos, legislação em vigor. O maior objetivo é facilitar a comunicação da população com a secretaria”, resume Saad, acrescentando que alguns conteúdos do site serão finalizados em breve.

O site também traz links para instituições como Inea, IEBMA, Anamma, Cocare, Consórcio Lagos São João, Núcleo Ecológico de José Gonçalves, Projeto Coral Vivo e Blog da Prefeitura de Búzios, entre outros.

Fonte: ASCOM Prefeitura Municipal de Búzios – Ariane Rodrigues


3 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Transposição do São Francisco ficará 36% mais cara

As obras da transposição do Rio São Francisco ficarão 36% mais caras que a previsão inicial do governo. O orçamento de R$ 5 bilhões foi reestimado para R$ 6,85 bilhões. De acordo com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, o aumento se deve a reajustes contratuais, necessidade de aditivos, elevação de preços para licitação de novos lotes e custos com compensações ambientais.

Em apenas quatro dos 14 lotes da obra, o ritmo dos trabalhos é considerado normal. Em três, o ritmo é lento e, em cinco, as obras estão paralisadas à espera de termos aditivos. Bezerra Coelho disse que o governo espera assinar os termos até o fim deste mês para que o trabalho seja retomado. Segundo o ministro, como a lei limita a assinatura de aditivos a 25% do valor global do empreendimento, algumas obras terão que ser relicitadas. No total, as alterações representarão aumento de R$ 771 milhões no custo da transposição.

Para a licitação dos lotes 5 e 8, que deve ocorrer ainda este ano, o governo calcula uma elevação de preços de 20% a 30% em relação aos valores contratados nas licitações feitas em 2007, o que também foi considerado na nova estimativa.

Além do reajuste nos valores das obras, o ministro disse que o novo custo incluiu gastos extras com a implantação de projetos básicos ambientais (PBAs), que serão necessários para a renovação da licença de instalação concedida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Na época da concessão da licença, o ministério se responsabilizou pela implantação de 38 PBAs. Já gastamos R$ 170 milhões e os técnicos agora estimam gastos de mais R$180 milhões com PBAs novos ou já existentes”.

Apesar da elevação de 36%, Bezerra Coelho disse que não há indícios de sobrepreços nos contratos e que a assinatura de aditivos é comum em obras de grande porte. “Os preços foram auditados, os contratos foram auditados. Qualquer insinuação de sobrepreço nas obras da transposição não se sustenta. E não é pela minha afirmação, isso está em relatórios do Tribunal de Contas da União e da Controladoria-Geral da União”.

O ministro ressaltou que o aumento na estimativa do custo da transposição está dentro da variação de preços para o mercado da construção nos últimos anos. “O valor do aumento do custo, de 36%, está em linha com os reajustes verificados nesse mesmo período com base no INCC [Índice Nacional de Custo da Construção], que no período foi de 39%”, comparou.

Na avaliação geral, 56,7% das obras da transposição estão concluídas. Com a assinatura de aditivos, o governo espera normalizar o ritmo das obras em todos os lotes. “Esperamos que até o fim do mês de setembro a obra possa estar toda remobilizada”, disse o ministro. Este ano, o governo deve desembolsar cerca de R$1 bilhão para o projeto.

Fonte: Luana Lourenço/ Agência Brasil


25 de novembro de 2010 | nenhum comentário »

Comitiva polonesa conhece projetos na área florestal

SEMA 22/11/2010

O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jorge Augusto Callado Afonso, recebeu nesta segunda-feira (22), em Curitiba, representantes das universidades polonesas Poznan University of Technology e Poznan University of Life Sciences. A comitiva veio conhecer os projetos ambientais do Paraná e propor acordo de cooperação técnica na área de monitoramento florestal.

O secretário explicou as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado que contribuem para o equilíbrio ambiental. ‘Ao monitorar as florestas, nós monitoramos a biodiversidade como um todo e que, embora tenhamos uma diferença de ecossistemas e de clima, as bases utilizadas são as mesmas’ destacou o secretário. Ele ainda disse, que a troca de experiências com a Polônia também poderá resultar em importantes estudos acadêmicos na área ambiental.

Técnicos e diretores da Secretaria do Meio Ambiente, Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG) promoveram para a comitiva polonesa um workshop sobre as possibilidades de aplicação e cooperação para implantar um sistema avançado de monitoramento de florestas no Paraná. Também participaram do Seminário, representantes da Embrapa Florestas e de organizações não governamentais (ONG) como a Mater Natura e The Nature Conservancy – TNC. Todas estas instituições já desenvolvem o monitoramento das Áreas Estratégicas para a Conservação e Recuperação da Biodiversidade do Paraná.

ESTRATÉGIA – As margens dos rios Ivaí, Piquiri, Cinzas e Iguaçu, em toda a sua extensão, são algumas das áreas apontadas como estratégicas para conservação. Também foram incluídas no levantamento áreas de remanescentes de floresta nativa existentes na região central do Paraná, nascentes de rios importantes, locais onde há grande diversidade de fauna e flora e áreas de floresta que podem ser conectadas a outros remanescentes florestais para construção de corredores de biodiversidade.

A primeira fase do programa identificou os principais remanescentes de vegetação do Paraná (áreas consideradas estratégicas para conservação) a partir do qual foram definidas as áreas necessárias para recomposição da vegetação. O mapeamento utilizou imagens de satélites (INPE 2008) considerando estudos do Ministério do Meio Ambiente sobre as áreas prioritárias para a biodiversidade; Projeto rede da biodiversidade; o sistema estadual e federal de Unidades de Conservação, Estações Ecológicas e áreas prioritárias definidas pelo Sisleg

‘Apresentamos aos nossos visitantes projetos que estão trazendo resultados positivos e toda a experiência dos nossos técnicos, contribuindo para o acordo de cooperação’, conta o engenheiro e técnico da Secretaria Sérgio Mudrovitsch de Bittencourt.

Integram a comitiva da Polônia Mikolaj Sobczak, PhD e chefe dos laboratórios de pesquisa sobre Sistemas Móveis; Andrzej Labedzki, PhD e entomologista florestal; Maciej Ulatowski, da área de Desenvolvimento de Negócios e Comercialização; o chefe de pesquisa dos Laboratórios sobre Sistemas Móveis, Szymon Wasik, e o pesquisador sênior Kamil Sedlak. 

Fonte: Agência de Notícias do Estado do Paraná – AEN

download movie s.w.a.t.: firefight hd

16 de março de 2009 | nenhum comentário »

IPEVS, SEMMA e VIDA VERDE recebem visita do Presidente da WWF na Alemanha

No dia 10 de março representantes do IPEVS, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e do grupo Ecológico Vida Verde de Cornélio Procópio receberam a visita do presidente da WWF (Worldwide Fun for Nature) na Alemanha, o professor Dr. Detlev Drenckhahn, no Bosque Municipal Manoel Julio de Almeida.

Detlev durante observação das formações vegetais existentes do Paraná

Detlev durante observação das formações vegetais existentes do Paraná

Durante a visita Detlev pode conhecer a estrutura existente no bosque e caminhar em suas trilhas observando a flora e fauna locais. Comentou sobre a importância da presevação e da união de fragmentos florestais como estes para a manutenção da biodiversidade. Outro ponto destacado pelo representante da WWF foi sobre as áreas florestais nas propriedades rurais. “ O agricultor deve receber por manter as áreas florestais preservadas”, ressaltou o Dr. Drenckhanh.

Indagado sobre o papel do WWF no incentivo a proteção do meio ambiente, Detlev foi categórico em dizer que a instituição possui milhões de dólares para financiar projetos na área ambiental e que deverá atender a demanda existente no Brasil desde que os projetos estejam em acordo com a legislação brasileira e atendam as linhas de trabalho da WWF.

Trocas de idéias e explanações durante o coffeebreak

Trocas de idéias e explanações durante o coffeebreak

Detlev veio acompanhado de sua esposa e do Cônsul Honorário da Alemanha de Rolândia, Adrian Von Treuenfels. Adrian que além de produtor rural é ambientalista e membro da WWF, ressaltou que um grande projeto que favoreça a toda a região e as comunidades locais com certeza contará com o empenho pessoal dele para um possível financiamento junto a instituição. 

Adrian e Rafael analisam possíveis projetos para a formação de corredores ecológicos para a área

Adrian e Rafael analisam possíveis projetos para a formação de corredores ecológicos para a área

O Bosque Municipal Manoel Julio de Almeida deverá em breve passar por um grande processo de revitalização para também abrigar o IPEVS – Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Meio Ambiente e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. 

Rafael Haddad, Bira, Fátima Roque e Rubinho expõe sobre as futuras propostas para o Bosque
Rafael Haddad, Bira, Fátima Roque e Rubinho expõe sobre as futuras propostas para o Bosque

Representantes de todas as instituições presentes durante a visita
Representantes de todas as instituições presentes durante a visita

 

 


6 de março de 2009 | nenhum comentário »

Bird aprova US$ 1,3 bi para projetos ambientais no Brasil

O Banco Mundial (Bird) aprovou nesta quinta-feira (05/03/2009) um empréstimo de US$ 1,3 bilhão ao governo brasileiro para financiar projetos de preservação da Amazônia, da Mata Atlântica, de produção de energias renováveis e manutenção de recursos hídricos.

Segundo o Bird, o empréstimo será concedido em duas parcelas, uma primeira de US$ 800 milhões e outra de US$ 500 milhões, que será desembolsada depois da conclusão das metas estabelecidas pelo governo brasileiro.

O pacote foi negociado pelos Ministérios de Meio Ambiente e Fazenda e pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Um outro empréstimo para projetos ambientais, cujo valor não foi divulgado, será negociado pelo governo brasileiro e pelo Bird no último trimestre deste ano.

Segundo um comunicado divulgado pelo Banco Mundial, o empréstimo pretende “apoiar os esforços do Brasil para melhorar seu sistema de gestão ambiental e integrar conceitos de sustentabilidade na agenda de desenvolvimento de setores como a preservação de florestas, água e programas de energias renováveis”.

Recursos

true grit divx

Entre as questões ambientais que também devem ser contempladas pelo pacote estão o combate ao desmatamento na Amazônia e a preservação das áreas restantes de Mata Atlântica.

“O programa apoia o compromisso do Brasil de ter melhores resultados ambientais e de combate à pobreza ao mesmo tempo em que implementa um modelo de competitividade e crescimento acelerados”, diz o comunicado do Bird.

“(O empréstimo) vai promover o manejo sustentável de terras agrícolas, florestas e recursos hídricos, reduzir o desmatamento da Amazônia, a degradação da terra e de outros recursos que são determinantes para o bem estar dos pobres”.

No documento onde anuncia a aprovação do empréstimo, o Banco Mundial afirma que, em poucos países do mundo, o meio ambiente é tão importante para o desenvolvimento e para a qualidade de vida das pessoas como no Brasil.

O Bird ainda afirma que uma parte significativa da economia brasileira depende do uso de recursos naturais, o que torna ainda mais importante o uso sustentável destes recursos.
(BBC Brasil, 6/3/2009)