10 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Rinocerontes raros são avistados em parque nacional na Indonésia

Rinoceronte-de-Sumatra foi fotografado em parque na província de Aceh.
Animal não era avistado na região havia 26 anos.

A Leuser International Foundation divlgou nesta quinta-feira (9) uma imagem de um raro rinoceronte-de-Sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) flagrado no parque nacional Gunung Leuser, na província de Aceh.

Um especialista afirmou que foi a primeira vez que rinocerontes da espécie foram avistados no local em 26 anos. Temia-se que não houvesse mais exemplares da espécie no local, no norte da ilha de Sumatra.

Os rinocerontes, seis fêmeas e um macho, foram filmados por 28 câmeras infravermelhas instaladas entre junho de 2011 e abril deste ano.

O número de rinocerontes de Sumatra diminuiu 50% nos últimos 20 anos, e calcula-se que só restem uns 200 em todo o mundo.

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Fonte: Globo Natureza


11 de fevereiro de 2012 | nenhum comentário »

Rinoceronte morre durante apresentação à imprensa na África

Um rinoceronte sofreu convulsões e morreu na quinta-feira (9) depois que uma reserva na África do Sul convocou a mídia para demonstrar a implantação de um microchip no chifre do animal, que ajudaria no combate à caça. O acidente ocorreu em Joanesburgo. (Foto: Siphiwe Sibeko/Reuters)

Um rinoceronte sofreu convulsões e morreu na quinta-feira (9) depois que uma reserva na África do Sul convocou a mídia para demonstrar a implantação de um microchip no chifre do animal, que ajudaria no combate à caça. O acidente ocorreu em Joanesburgo. (Foto: Siphiwe Sibeko/Reuters)

 

Um rinoceronte morreu na quinta-feira (9) na África do Sul durante uma apresentação à imprensa de um dispositivo de rastreamento que deveria servir para coibir a caça do animal. Segundo os veterinários, o animal foi sedado para a apresentação e morreu após receber um medicamento para acordar.

O animal teria uma condição desconhecida que teria levado a uma parada cardíaca em resposta à aplicação do medicamento. “Ele respondeu muito bem ao tratamento e o procedimento é 100% seguro, mas sempre há grandes riscos quando um animal tão grande é sedado”, diz Lorinda Hern, dona da Reserva Natural de Rinocerontes e Leões. O animal morreu cerca de 20 s após a administração da substância.

O uso de equipamentos de rastreamento é uma das medidas que estão sendo testadas na África do Sul para evitar a caça de rinocerontes – no ano passado, 450 desses animais ameaçados de extinção foram mortos por caçadores. Os chifres do animal são utilizados na medicina tradicional asiática, apesar de não haver nenhuma evidência científica de seu valor.

Fonte: Portal Terra


11 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Variedade africana de rinoceronte é considerada extinta

IUCN atualizou a ‘lista vermelha’ das espécies ameaçadas de extinção.
Rinoceronte-negro-do-oeste não existe mais na natureza, declara união.

Rinoceronte-negro de variedade ainda não extinta é transportado de helicóptero na África do Sul para formar novas populações em outra parte do país. O rinoceronte-negro-do-oeste não teve a mesma sorte e acabou extinto. (Foto: Green Renaissance)

Rinoceronte-negro de variedade ainda não extinta é transportado de helicóptero na África do Sul para formar novas populações em outra parte do país. O rinoceronte-negro-do-oeste não teve a mesma sorte e acabou extinto. (Foto: Green Renaissance)

Uma atualização da chamada lista vermelha das espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês) tornou oficial a extinção do rinoceronte-negro-do-oeste (Diceros bicornis longipes).

Essa subespécie de rinoceronte-negro ultimamente só era encontrada em Camarões. No entanto, em 2006, quando se fez a última grande busca pelo animal na natureza, nenhum exemplar foi encontrado e, desde então, jamais se voltou a ver.

Seu primo, o rinoceronte-branco-do-norte (Ceratotherium simum cottoni) também está seriamente em risco, e aparece na categoria “possivelmente extinto na natureza”. O rinoceronte-javanês (Rhinoceros sondaicus) segue pelo mesmo caminho.

Mamíferos em risco
A IUCN monitora o estado de conservação de 61.900 espécies. Ela informa que 25% dos mamíferos do planeta estão ameaçados. Medidas de proteção poderiam salvar as espécies do desaparecimento.

Um exemplo de sucesso desse tipo de iniciativa é o rinoceronte-branco-do-sul (Ceratotherium simum simum), que, graças a políticas de conservação, viu sua população aumentar de menos de 100 animais no fim do século 19, para mais de 20 mil, atualmente.

O cavalo-de-Przewalski (Equus ferus przewalskii), tido como extinto em 1996, já tem uma população de mais de 300 espécimes, graças a um programa de reprodução.

Cavalos selvagens galopam pela zona de exclusão de Chernobyl. (Foto: Dennis Barbosa/G1)

Cavalos-de-Przewalski vivem em estado selvagem na Ucrânia. (Foto: Dennis Barbosa/Globo Natureza)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


1 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

África do Sul estuda retirar chifre de rinoceronte para frear caça

A África do Sul está estudando a possibilidade de tirar os chifres dos rinocerontes do país como medida para combater a caça furtiva. Somente neste ano, 279 já foram mortos.

Em declarações na edição on-line do jornal sul-africano “Times Live”, a ministra do Meio Ambiente da África do Sul, Edna Molewa, informou que o governo consultará veterinários e especialistas antes de tomar qualquer decisão a respeito.

África do Sul mobiliza Exército para proteger rinocerontes

A ministra anunciou ainda que o Executivo, chefiado por Jacob Zuma, também considera estabelecer uma moratória para as licenças de caça de rinocerontes –passaram de 129 em 2010 para 143 em 2011– para preservar a população dos animais do país.

“As autoridades de conservação das províncias emitem permissões para a caça esportiva, mas o desafio é conter o abuso que indivíduos sem escrúpulos cometem”, afirmou Molewa. “Esta situação e a caça furtiva poderiam ameaçar a sobrevivência dos rinocerontes em seu entorno no futuro.”

Ela afirmou que a moratória, que não deve ser aprovada neste ano, poderia afetar o turismo de caça esportiva no país.

Segundo números oficiais, 2.200 rinocerontes negros e 18.800 brancos vivem na África do Sul.

O rinoceronte é uma espécie singular africana que está ameaçada pelo grande valor que seu chifre possui no mercado negro, já que é usado no Oriente Médio para fabricar cabos de adagas e na medicina tradicional em grande parte da Ásia.

Fonte: EFE


16 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Comércio ilegal de marfim precisa ser reprimido, afirma CITES

Órgão internacional de proteção a espécies ameaçadas afirma que elefantes e rinocerontes correm risco de extinção

O Comitê Permanente do Convenção Internacional para a Proteção de Espécies Ameaçadas (CITES) iniciou nesta segunda-feira uma semana de reuniões na qual espera conscientizar os países a adotarem medidas para frear o aumento do comércio ilegal de presas de elefante e chifres de rinoceronte.

Atualmente, o Vietnã é o maior destinatário de chifres de rinoceronte, graças às propriedades atribuídas para o tratamento de câncer, enquanto o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) criticou o governo vietnamita por fazer “pouco caso para contornar este problema, apesar das denúncias que muitos consumidores de chifres são funcionários públicos”.

Além disso, a ONG assinalou que estão preocupados quanto ao comércio ilegal de chifres de rinoceronte na Tailândia, assim como as que apontam que na China se está criando este animal unicamente para a comercialização e, por sua vez, citou um documento aprovado pela entidade oficial da medicina tradicional chinesa, que indica que suas supostas propriedades contra o câncer não foram comprovadas.

O comitê da CITES debaterá igualmente um relatório sobre a caça ilegal de elefantes e o comércio ilícito de marfim, e que aponta a China e a Tailândia como os maiores países consumidores de marfim em seu estado bruto.

Rinoceronte jovem convive com elefante na Àfrica do Sul: ambas espécies estão ameaçadas pelo comércio ilegal de marfim. Foto: Getty Images

Fonte: EFE






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

outubro 2018
S T Q Q S S D
« mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

10 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Rinocerontes raros são avistados em parque nacional na Indonésia

Rinoceronte-de-Sumatra foi fotografado em parque na província de Aceh.
Animal não era avistado na região havia 26 anos.

A Leuser International Foundation divlgou nesta quinta-feira (9) uma imagem de um raro rinoceronte-de-Sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) flagrado no parque nacional Gunung Leuser, na província de Aceh.

Um especialista afirmou que foi a primeira vez que rinocerontes da espécie foram avistados no local em 26 anos. Temia-se que não houvesse mais exemplares da espécie no local, no norte da ilha de Sumatra.

Os rinocerontes, seis fêmeas e um macho, foram filmados por 28 câmeras infravermelhas instaladas entre junho de 2011 e abril deste ano.

O número de rinocerontes de Sumatra diminuiu 50% nos últimos 20 anos, e calcula-se que só restem uns 200 em todo o mundo.

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Rinoceronte-de-Sumatra em foto não datada no parque indonésio de Gunung Leuser (Foto: Leuser International Foundation/AP)

Fonte: Globo Natureza


11 de fevereiro de 2012 | nenhum comentário »

Rinoceronte morre durante apresentação à imprensa na África

Um rinoceronte sofreu convulsões e morreu na quinta-feira (9) depois que uma reserva na África do Sul convocou a mídia para demonstrar a implantação de um microchip no chifre do animal, que ajudaria no combate à caça. O acidente ocorreu em Joanesburgo. (Foto: Siphiwe Sibeko/Reuters)

Um rinoceronte sofreu convulsões e morreu na quinta-feira (9) depois que uma reserva na África do Sul convocou a mídia para demonstrar a implantação de um microchip no chifre do animal, que ajudaria no combate à caça. O acidente ocorreu em Joanesburgo. (Foto: Siphiwe Sibeko/Reuters)

 

Um rinoceronte morreu na quinta-feira (9) na África do Sul durante uma apresentação à imprensa de um dispositivo de rastreamento que deveria servir para coibir a caça do animal. Segundo os veterinários, o animal foi sedado para a apresentação e morreu após receber um medicamento para acordar.

O animal teria uma condição desconhecida que teria levado a uma parada cardíaca em resposta à aplicação do medicamento. “Ele respondeu muito bem ao tratamento e o procedimento é 100% seguro, mas sempre há grandes riscos quando um animal tão grande é sedado”, diz Lorinda Hern, dona da Reserva Natural de Rinocerontes e Leões. O animal morreu cerca de 20 s após a administração da substância.

O uso de equipamentos de rastreamento é uma das medidas que estão sendo testadas na África do Sul para evitar a caça de rinocerontes – no ano passado, 450 desses animais ameaçados de extinção foram mortos por caçadores. Os chifres do animal são utilizados na medicina tradicional asiática, apesar de não haver nenhuma evidência científica de seu valor.

Fonte: Portal Terra


11 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Variedade africana de rinoceronte é considerada extinta

IUCN atualizou a ‘lista vermelha’ das espécies ameaçadas de extinção.
Rinoceronte-negro-do-oeste não existe mais na natureza, declara união.

Rinoceronte-negro de variedade ainda não extinta é transportado de helicóptero na África do Sul para formar novas populações em outra parte do país. O rinoceronte-negro-do-oeste não teve a mesma sorte e acabou extinto. (Foto: Green Renaissance)

Rinoceronte-negro de variedade ainda não extinta é transportado de helicóptero na África do Sul para formar novas populações em outra parte do país. O rinoceronte-negro-do-oeste não teve a mesma sorte e acabou extinto. (Foto: Green Renaissance)

Uma atualização da chamada lista vermelha das espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês) tornou oficial a extinção do rinoceronte-negro-do-oeste (Diceros bicornis longipes).

Essa subespécie de rinoceronte-negro ultimamente só era encontrada em Camarões. No entanto, em 2006, quando se fez a última grande busca pelo animal na natureza, nenhum exemplar foi encontrado e, desde então, jamais se voltou a ver.

Seu primo, o rinoceronte-branco-do-norte (Ceratotherium simum cottoni) também está seriamente em risco, e aparece na categoria “possivelmente extinto na natureza”. O rinoceronte-javanês (Rhinoceros sondaicus) segue pelo mesmo caminho.

Mamíferos em risco
A IUCN monitora o estado de conservação de 61.900 espécies. Ela informa que 25% dos mamíferos do planeta estão ameaçados. Medidas de proteção poderiam salvar as espécies do desaparecimento.

Um exemplo de sucesso desse tipo de iniciativa é o rinoceronte-branco-do-sul (Ceratotherium simum simum), que, graças a políticas de conservação, viu sua população aumentar de menos de 100 animais no fim do século 19, para mais de 20 mil, atualmente.

O cavalo-de-Przewalski (Equus ferus przewalskii), tido como extinto em 1996, já tem uma população de mais de 300 espécimes, graças a um programa de reprodução.

Cavalos selvagens galopam pela zona de exclusão de Chernobyl. (Foto: Dennis Barbosa/G1)

Cavalos-de-Przewalski vivem em estado selvagem na Ucrânia. (Foto: Dennis Barbosa/Globo Natureza)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


1 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

África do Sul estuda retirar chifre de rinoceronte para frear caça

A África do Sul está estudando a possibilidade de tirar os chifres dos rinocerontes do país como medida para combater a caça furtiva. Somente neste ano, 279 já foram mortos.

Em declarações na edição on-line do jornal sul-africano “Times Live”, a ministra do Meio Ambiente da África do Sul, Edna Molewa, informou que o governo consultará veterinários e especialistas antes de tomar qualquer decisão a respeito.

África do Sul mobiliza Exército para proteger rinocerontes

A ministra anunciou ainda que o Executivo, chefiado por Jacob Zuma, também considera estabelecer uma moratória para as licenças de caça de rinocerontes –passaram de 129 em 2010 para 143 em 2011– para preservar a população dos animais do país.

“As autoridades de conservação das províncias emitem permissões para a caça esportiva, mas o desafio é conter o abuso que indivíduos sem escrúpulos cometem”, afirmou Molewa. “Esta situação e a caça furtiva poderiam ameaçar a sobrevivência dos rinocerontes em seu entorno no futuro.”

Ela afirmou que a moratória, que não deve ser aprovada neste ano, poderia afetar o turismo de caça esportiva no país.

Segundo números oficiais, 2.200 rinocerontes negros e 18.800 brancos vivem na África do Sul.

O rinoceronte é uma espécie singular africana que está ameaçada pelo grande valor que seu chifre possui no mercado negro, já que é usado no Oriente Médio para fabricar cabos de adagas e na medicina tradicional em grande parte da Ásia.

Fonte: EFE


16 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Comércio ilegal de marfim precisa ser reprimido, afirma CITES

Órgão internacional de proteção a espécies ameaçadas afirma que elefantes e rinocerontes correm risco de extinção

O Comitê Permanente do Convenção Internacional para a Proteção de Espécies Ameaçadas (CITES) iniciou nesta segunda-feira uma semana de reuniões na qual espera conscientizar os países a adotarem medidas para frear o aumento do comércio ilegal de presas de elefante e chifres de rinoceronte.

Atualmente, o Vietnã é o maior destinatário de chifres de rinoceronte, graças às propriedades atribuídas para o tratamento de câncer, enquanto o Fundo Mundial para a Natureza (WWF) criticou o governo vietnamita por fazer “pouco caso para contornar este problema, apesar das denúncias que muitos consumidores de chifres são funcionários públicos”.

Além disso, a ONG assinalou que estão preocupados quanto ao comércio ilegal de chifres de rinoceronte na Tailândia, assim como as que apontam que na China se está criando este animal unicamente para a comercialização e, por sua vez, citou um documento aprovado pela entidade oficial da medicina tradicional chinesa, que indica que suas supostas propriedades contra o câncer não foram comprovadas.

O comitê da CITES debaterá igualmente um relatório sobre a caça ilegal de elefantes e o comércio ilícito de marfim, e que aponta a China e a Tailândia como os maiores países consumidores de marfim em seu estado bruto.

Rinoceronte jovem convive com elefante na Àfrica do Sul: ambas espécies estão ameaçadas pelo comércio ilegal de marfim. Foto: Getty Images

Fonte: EFE