20 de maio de 2013 | nenhum comentário »

Manchas de pele de cobra inspiram cientistas na criação de materiais

Estudo desvendou estruturas por trás da camuflagem da víbora-do-gabão.
Tom ‘ultra-preto’ pode ser usado na absorção de luz do sol.

Víbora do Gabão se camufla muito bem no solo (Foto: Guido Westhoff/Divulgação)

Víbora-do-gabão se camufla muito bem no solo (Foto: Guido Westhoff/Divulgação)

Cientistas identificaram nanoestruturas nas manchas ultra-pretas da pele de uma cobra africana, as quais poderiam inspirar a criação de um material avançado capaz de absorver a luz, anunciaram nesta quinta-feira (16).

A víbora-do-gabão, uma das maiores da África e mestre da camuflagem, tem manchas negras de padrão geométrico na pele que são profundas, de um preto aveludado que reflete muito pouca luz.

Entrelaçadas a outras manchas muito reflexivas nas cores branca e marrom, o padrão cria um alto contraste que torna difícil identificar a cobra rastejando no solo multicolorido da floresta tropical.

Uma equipe de cientistas alemãs se lançou a desvendar o segredo por trás da escuridão profunda das manchas negras e descobriu que a escala da superfície era feita de microestruturas folhosas e apinhadas, recobertas com sulcos nanométricos — um nanômetro equivale a um bilionésimo de metro.

Em artigo publicado na revista “Scientific Reports”, do grupo “Nature”, a equipe especulou que as micro e nanoestruturas, que se projetam em ângulos sutilmente diferentes, dissipam e prendem a luz que entra.

“A estrutura com o efeito de um negro aveludado também poderia, potencialmente, ser transferida para outros materiais”, escreveram os cientistas.

A busca por um material artificial de alta absorção e baixa reflexão é cobiçada pela ciência por seu uso potencial em sistemas ópticos especializados ou captura do calor solar, por exemplo.

Algumas superfícies ultra-negras já são mais escuras do que as manchas da cobra, disse à AFP a co-autora Marlene Spinner, do Instituto de Zoologia da Universidade de Bonn.

Mas ao introduzir a nanotecnologia encontrada na pele da cobra poderia potencialmente aumentar ainda mais sua absorção da luz.

“A micro-ornamentação das escalas de preto aveludado da cobra é um exemplo mais avançado de que a mesma lei física se aplica à natureza e à tecnologia e conduz consequentemente a construções similares”, escreveu a equipe.

 

Fonte: Globo Natureza


16 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Nova espécie de cobra é identificada no sudoeste do Camboja

‘Kukri Cambojana’ vive na região tropical das Montanhas Cardamomo.
Réptil de cor escarlate tem habitat ameaçado, diz organização ambiental.

Cobra (Foto: Neang Thy/FFI/AFP)

Nova espécie de cobra é identificada no sudoeste do Camboja, em uma região tropical conhecida como Montanhas Cardamomo. O réptil escarlate com anéis pretos e marrons foi chamado de 'Kukri Cambojana' e tem seu habitat ameaçado, disse a organização Fauna e Flora Internacional (FFI) (Foto: Neang Thy/FFI/AFP)

Fonte: Globo Natureza


26 de março de 2012 | nenhum comentário »

Instituto ‘recria’ cobra que compete com T-Rex como maior predador

Espécie tinha 14 metros e viveu em florestas da Terra há 60 milhões de anos.
Filme foi elaborado por cientistas com ajuda de fósseis descobertos.

Um aterrorizante predador das florestas tropicais que viveu há mais de 60 milhões de anos na Terra, com 14 metros de comprimento e que pesava mais de uma tonelada, foi recriado por especialistas do Instituto Smithsonian, dos Estados Unidos.

Conhecida no Brasil como anaconda, a cobra Titanoboa cerrejonensis disputa com os dinossauros carnívoros, como T-Rex, o título de maior predador da história. Uma réplica em tamanho natural foi apresentada recentemente em Nova York, nos Estados Unidos.

O Instituto de pesquisa de florestas tropicais do Smithsonian também produziu um filme que conta a história desta criatura – que já havia sido personagem central de outra produção, desta vez feita por Hollywood e estrelada por Jennifer Lopez, de 1997. A produção científica será lançada no próximo dia 1º de abril.

A espécie foi recriada na ficção graças ao trabalho de paleontólogos, que encontraram na Colômbia fósseis do “titã das florestas”. As vértebras estavam em uma área que foi de vegetação há milhões de anos e que agora abriga uma mina a céu aberto.

Réplica da serpente Titanoboa cerrejonensis, feita por especialistas dos Estados Unidos (Foto: Smithsonian Channel, Mark Von Holden/AP)

Réplica em tamanho real da serpente Titanoboa cerrejonensis, feita por especialistas dos Estados Unidos (Foto: Smithsonian Channel, Mark Von Holden/AP)

Fonte: Globo Natureza


29 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Cobra de seis metros e de 120 quilos é encontrada por fazendeiro em MT

Cobra pesa mais de 120 quilos e foi capturada pelo Ibama.
Foram necessários oito homens para carregar o animal até a gaiola.

Uma cobra sucuri de seis metros foi capturada em uma fazenda localizada próxima ao município de Guarantã do Norte, a 721 quilômetros de Cuiabá. O proprietário contou que o animal pesa 120 quilos e já estava na fazenda há alguns dias se alimentando, inclusive, de outros bichos como novilha e galinhas.

O dono da fazenda acionou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) do município, para capturar a cobra após alguns animais terem sido devorados. De acordo com o Ibama, a primeira tentativa de captura foi feita na quarta-feira (24), porém, pelo tamanho e peso do animal não foi possível conseguir dominá-lo.

Ainda conforme a diretoria da instituição foram necessários oito homens para a busca do animal, que se escondia em um córrego e nas pastagens. Após a captura, a cobra foi colocada em uma gaiola e passou por avaliação de biólogos. O Ibama confirmou também que o animal foi solto nesta sexta-feira (26) na Serra do Cachimbo, região Norte de Mato Grosso.

Foram necessários oito homens para carregar o animal até a gaiola. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

Foram necessários oito homens para carregar o animal até a gaiola. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

 Ibama confirmou também que o animal foi solto nesta sexta-feira (26) na Serra do Cachimbo, região Norte de Mato Grosso. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

Ibama confirmou que o animal foi solto nesta sexta-feira (26) na Serra do Cachimbo, região Norte de Mato Grosso. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

Fonte: G1, MT


2 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Cobra de mais de 3 m é capturada em fazenda nos EUA

Uma serpente píton birmanesa, de mais de 3 m de comprimento, foi capturada nesta segunda-feira nos arredores de Miami, no Estado americano da Flórida, depois de causar graves problemas para o frágil ecossistema dos pântanos dos Everglades.

O Departamento de Bombeiros do condado de Miami-Dade informou que a cobra estava escondida debaixo de um reboque quando foi vista no sábado pelo dono de uma fazenda.

“Recebemos um telefonema e nos informaram que a grande cobra estava debaixo de um reboque em uma fazenda”, divulgou a agência governamental em comunicado. Integrantes da unidade especial desse departamento chegaram ao local e impediram que a píton escapasse.

Este tipo de réptil se adaptou às condições dos pântanos dos Everglades e começaram a se reproduzir. Cientistas da Flórida calcularam que tenham mais de 50 mil animais como este na região.

Integrantes do Corpo de Bombeiros posam com píton birmanesa encontrada em fazenda nos arredores de Miami. Foto: EFE

Integrantes do Corpo de Bombeiros posam com píton birmanesa encontrada em fazenda nos arredores de Miami Foto: EFE

Fonte: Da EFE


3 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Cobras em sacolas sob assentos causam caos em trem no Vietnã

Quatro sacolas contendo cobras venenosas assustaram os passageiros de um trem no Vietnã que fazia a rota entre as cidades de Ho Chi Minh e Hanói, informou a imprensa vietnamita.

Os animais foram avistados pelos passageiros quando o comboio parou na estação de Quang Ngai, no centro do país, no último dia 26.

As cobras reais –a maior espécie de serpente venenosa existente, cujos indivíduos podem medir até 5 metros de comprimento– foram identificadas por um funcionário que inspecionava o interior dos vagões.

Segundo o site VnExpress, as cobras estavam dentro de sacolas de plástico semitransparentes acomodadas sob as poltronas e levantavam a cabeça para ver os passageiros que se assustavam diante delas. Os animais tinham a boca costurada.

A polícia afirmou que a pessoa que as transportava aproveitou a confusão para fugir do trem sorrateiramente.

No total, os animais pesavam cerca de 45 kg. Individualmente, algumas das cobras pesavam cerca de um quilo, informou a polícia. Os répteis foram entregues ao departamento de proteção das florestas e soltos na natureza.

De acordo com o site do jornal “Tuoi Tre”, o caso pôs as autoridades ambientais em alerta para evitar o contrabando desses animais, protegidos por lei no Vietnã.

A suspeita é de que as cobras fossem ser vendidas a restaurantes, onde são servidas como iguaria.

No ano passado, o jornal publicou uma reportagem afirmando que as cobras reais estavam em alta no mercado ilegal vietnamita, pois muitos compradores acreditam em propriedades curativas extraordinárias contidas na sua carne e em seu veneno.

Segundo o jornal, os animais são normalmente capturados no vizinho Camboja e transportados para o Vietnã de ônibus.

Fonte: BBC Brasil.


10 de fevereiro de 2011 | nenhum comentário »

Imagem de raio-x mostra ossos de perna em fóssil de cobra

Pesquisa quer ajudar a explicar como serpentes ‘perderam’ as patas.
Cobras descendem de lagartos, mas não se sabe se terrestres ou aquáticos.

Cientistas usaram uma nova tecnologia de imagem de raio-x para entender melhor como as cobras “perderam” as pernas ao longo da evolução. O objetivo é ajudar a resolver  o debate sobre a origem das serpentes – se elas evoluíram a partir de um lagarto terrestre ou de um que viveu nos oceanos.

As imagens detalhadas em três dimensões revelam que a arquitetura interna de ossos da perna de uma cobra fossilizada se assemelham aos dos modernos lagartos terrestres. O estudo foi publicado na atual edição da publicação “Journal of Vertebrate Paleontology”.

Para gerar a imagem, foi usado um equipamento similar ao de tomografia computadorizada encontrado em hospitais, mas com nível de detalhe muito maior. Foram feitas milhares de imagens planas do fóssil que, combinadas, permitiram montar o modelo tridimensional.

Perna Cobra (Foto: A. Houssaye/Divulgação)

Fóssil Eudopophis descouensi .
(Foto: A. Houssaye/Divulgação)

Existem somente três exemplares de serpentes fósseis com ossos de perna preservada. A Eupodophis descouensi, o fóssil estudado nesta pesquisa, foi descoberto há dez anos em rochas de 95 milhões de anos, no Líbano.

Tem cerca de 50 cm de comprimento total e apresenta uma perna pequena, de cerca de 2 cm de comprimento, ligada à pelve. Esse fóssil é chave para entender a evolução das cobras, pois representa uma etapa intermediária evolutiva quando as serpentes antigas ainda não tinha perdido completamente as pernas que herdaram dos lagartos.

Perna escondida

Embora o fóssil apresente apenas uma perna em sua superfície, a segunda, graças à tecnologia de raio-x, foi encontrada dentro da pedra. Ela é flexionada no joelho e tem quatro ossos do tornozelo, mas não ossos de pé, ou muito menos dedos.

insidious film

A equipe de pesquisadores é liderada por Alexandra Houssaye, do Museu Nacional de História Natural (MNHN) de Paris, e inclui ainda cientistas do European Synchrotron Radiation Facility (ESRF), em Grenoble, e do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), Alemanha.

Perna Cobra (Foto: Divulgação)

Imagem de ossos da perna da serpente fossilizada,
gerada com o raio-x.(Foto: Divulgação)

Fonte: Globo Natureza






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

outubro 2019
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

20 de maio de 2013 | nenhum comentário »

Manchas de pele de cobra inspiram cientistas na criação de materiais

Estudo desvendou estruturas por trás da camuflagem da víbora-do-gabão.
Tom ‘ultra-preto’ pode ser usado na absorção de luz do sol.

Víbora do Gabão se camufla muito bem no solo (Foto: Guido Westhoff/Divulgação)

Víbora-do-gabão se camufla muito bem no solo (Foto: Guido Westhoff/Divulgação)

Cientistas identificaram nanoestruturas nas manchas ultra-pretas da pele de uma cobra africana, as quais poderiam inspirar a criação de um material avançado capaz de absorver a luz, anunciaram nesta quinta-feira (16).

A víbora-do-gabão, uma das maiores da África e mestre da camuflagem, tem manchas negras de padrão geométrico na pele que são profundas, de um preto aveludado que reflete muito pouca luz.

Entrelaçadas a outras manchas muito reflexivas nas cores branca e marrom, o padrão cria um alto contraste que torna difícil identificar a cobra rastejando no solo multicolorido da floresta tropical.

Uma equipe de cientistas alemãs se lançou a desvendar o segredo por trás da escuridão profunda das manchas negras e descobriu que a escala da superfície era feita de microestruturas folhosas e apinhadas, recobertas com sulcos nanométricos — um nanômetro equivale a um bilionésimo de metro.

Em artigo publicado na revista “Scientific Reports”, do grupo “Nature”, a equipe especulou que as micro e nanoestruturas, que se projetam em ângulos sutilmente diferentes, dissipam e prendem a luz que entra.

“A estrutura com o efeito de um negro aveludado também poderia, potencialmente, ser transferida para outros materiais”, escreveram os cientistas.

A busca por um material artificial de alta absorção e baixa reflexão é cobiçada pela ciência por seu uso potencial em sistemas ópticos especializados ou captura do calor solar, por exemplo.

Algumas superfícies ultra-negras já são mais escuras do que as manchas da cobra, disse à AFP a co-autora Marlene Spinner, do Instituto de Zoologia da Universidade de Bonn.

Mas ao introduzir a nanotecnologia encontrada na pele da cobra poderia potencialmente aumentar ainda mais sua absorção da luz.

“A micro-ornamentação das escalas de preto aveludado da cobra é um exemplo mais avançado de que a mesma lei física se aplica à natureza e à tecnologia e conduz consequentemente a construções similares”, escreveu a equipe.

 

Fonte: Globo Natureza


16 de julho de 2012 | nenhum comentário »

Nova espécie de cobra é identificada no sudoeste do Camboja

‘Kukri Cambojana’ vive na região tropical das Montanhas Cardamomo.
Réptil de cor escarlate tem habitat ameaçado, diz organização ambiental.

Cobra (Foto: Neang Thy/FFI/AFP)

Nova espécie de cobra é identificada no sudoeste do Camboja, em uma região tropical conhecida como Montanhas Cardamomo. O réptil escarlate com anéis pretos e marrons foi chamado de 'Kukri Cambojana' e tem seu habitat ameaçado, disse a organização Fauna e Flora Internacional (FFI) (Foto: Neang Thy/FFI/AFP)

Fonte: Globo Natureza


26 de março de 2012 | nenhum comentário »

Instituto ‘recria’ cobra que compete com T-Rex como maior predador

Espécie tinha 14 metros e viveu em florestas da Terra há 60 milhões de anos.
Filme foi elaborado por cientistas com ajuda de fósseis descobertos.

Um aterrorizante predador das florestas tropicais que viveu há mais de 60 milhões de anos na Terra, com 14 metros de comprimento e que pesava mais de uma tonelada, foi recriado por especialistas do Instituto Smithsonian, dos Estados Unidos.

Conhecida no Brasil como anaconda, a cobra Titanoboa cerrejonensis disputa com os dinossauros carnívoros, como T-Rex, o título de maior predador da história. Uma réplica em tamanho natural foi apresentada recentemente em Nova York, nos Estados Unidos.

O Instituto de pesquisa de florestas tropicais do Smithsonian também produziu um filme que conta a história desta criatura – que já havia sido personagem central de outra produção, desta vez feita por Hollywood e estrelada por Jennifer Lopez, de 1997. A produção científica será lançada no próximo dia 1º de abril.

A espécie foi recriada na ficção graças ao trabalho de paleontólogos, que encontraram na Colômbia fósseis do “titã das florestas”. As vértebras estavam em uma área que foi de vegetação há milhões de anos e que agora abriga uma mina a céu aberto.

Réplica da serpente Titanoboa cerrejonensis, feita por especialistas dos Estados Unidos (Foto: Smithsonian Channel, Mark Von Holden/AP)

Réplica em tamanho real da serpente Titanoboa cerrejonensis, feita por especialistas dos Estados Unidos (Foto: Smithsonian Channel, Mark Von Holden/AP)

Fonte: Globo Natureza


29 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Cobra de seis metros e de 120 quilos é encontrada por fazendeiro em MT

Cobra pesa mais de 120 quilos e foi capturada pelo Ibama.
Foram necessários oito homens para carregar o animal até a gaiola.

Uma cobra sucuri de seis metros foi capturada em uma fazenda localizada próxima ao município de Guarantã do Norte, a 721 quilômetros de Cuiabá. O proprietário contou que o animal pesa 120 quilos e já estava na fazenda há alguns dias se alimentando, inclusive, de outros bichos como novilha e galinhas.

O dono da fazenda acionou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) do município, para capturar a cobra após alguns animais terem sido devorados. De acordo com o Ibama, a primeira tentativa de captura foi feita na quarta-feira (24), porém, pelo tamanho e peso do animal não foi possível conseguir dominá-lo.

Ainda conforme a diretoria da instituição foram necessários oito homens para a busca do animal, que se escondia em um córrego e nas pastagens. Após a captura, a cobra foi colocada em uma gaiola e passou por avaliação de biólogos. O Ibama confirmou também que o animal foi solto nesta sexta-feira (26) na Serra do Cachimbo, região Norte de Mato Grosso.

Foram necessários oito homens para carregar o animal até a gaiola. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

Foram necessários oito homens para carregar o animal até a gaiola. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

 Ibama confirmou também que o animal foi solto nesta sexta-feira (26) na Serra do Cachimbo, região Norte de Mato Grosso. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

Ibama confirmou que o animal foi solto nesta sexta-feira (26) na Serra do Cachimbo, região Norte de Mato Grosso. (Foto: Roteiro Notícia/Célio Ribeiro)

Fonte: G1, MT


2 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Cobra de mais de 3 m é capturada em fazenda nos EUA

Uma serpente píton birmanesa, de mais de 3 m de comprimento, foi capturada nesta segunda-feira nos arredores de Miami, no Estado americano da Flórida, depois de causar graves problemas para o frágil ecossistema dos pântanos dos Everglades.

O Departamento de Bombeiros do condado de Miami-Dade informou que a cobra estava escondida debaixo de um reboque quando foi vista no sábado pelo dono de uma fazenda.

“Recebemos um telefonema e nos informaram que a grande cobra estava debaixo de um reboque em uma fazenda”, divulgou a agência governamental em comunicado. Integrantes da unidade especial desse departamento chegaram ao local e impediram que a píton escapasse.

Este tipo de réptil se adaptou às condições dos pântanos dos Everglades e começaram a se reproduzir. Cientistas da Flórida calcularam que tenham mais de 50 mil animais como este na região.

Integrantes do Corpo de Bombeiros posam com píton birmanesa encontrada em fazenda nos arredores de Miami. Foto: EFE

Integrantes do Corpo de Bombeiros posam com píton birmanesa encontrada em fazenda nos arredores de Miami Foto: EFE

Fonte: Da EFE


3 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Cobras em sacolas sob assentos causam caos em trem no Vietnã

Quatro sacolas contendo cobras venenosas assustaram os passageiros de um trem no Vietnã que fazia a rota entre as cidades de Ho Chi Minh e Hanói, informou a imprensa vietnamita.

Os animais foram avistados pelos passageiros quando o comboio parou na estação de Quang Ngai, no centro do país, no último dia 26.

As cobras reais –a maior espécie de serpente venenosa existente, cujos indivíduos podem medir até 5 metros de comprimento– foram identificadas por um funcionário que inspecionava o interior dos vagões.

Segundo o site VnExpress, as cobras estavam dentro de sacolas de plástico semitransparentes acomodadas sob as poltronas e levantavam a cabeça para ver os passageiros que se assustavam diante delas. Os animais tinham a boca costurada.

A polícia afirmou que a pessoa que as transportava aproveitou a confusão para fugir do trem sorrateiramente.

No total, os animais pesavam cerca de 45 kg. Individualmente, algumas das cobras pesavam cerca de um quilo, informou a polícia. Os répteis foram entregues ao departamento de proteção das florestas e soltos na natureza.

De acordo com o site do jornal “Tuoi Tre”, o caso pôs as autoridades ambientais em alerta para evitar o contrabando desses animais, protegidos por lei no Vietnã.

A suspeita é de que as cobras fossem ser vendidas a restaurantes, onde são servidas como iguaria.

No ano passado, o jornal publicou uma reportagem afirmando que as cobras reais estavam em alta no mercado ilegal vietnamita, pois muitos compradores acreditam em propriedades curativas extraordinárias contidas na sua carne e em seu veneno.

Segundo o jornal, os animais são normalmente capturados no vizinho Camboja e transportados para o Vietnã de ônibus.

Fonte: BBC Brasil.


10 de fevereiro de 2011 | nenhum comentário »

Imagem de raio-x mostra ossos de perna em fóssil de cobra

Pesquisa quer ajudar a explicar como serpentes ‘perderam’ as patas.
Cobras descendem de lagartos, mas não se sabe se terrestres ou aquáticos.

Cientistas usaram uma nova tecnologia de imagem de raio-x para entender melhor como as cobras “perderam” as pernas ao longo da evolução. O objetivo é ajudar a resolver  o debate sobre a origem das serpentes – se elas evoluíram a partir de um lagarto terrestre ou de um que viveu nos oceanos.

As imagens detalhadas em três dimensões revelam que a arquitetura interna de ossos da perna de uma cobra fossilizada se assemelham aos dos modernos lagartos terrestres. O estudo foi publicado na atual edição da publicação “Journal of Vertebrate Paleontology”.

Para gerar a imagem, foi usado um equipamento similar ao de tomografia computadorizada encontrado em hospitais, mas com nível de detalhe muito maior. Foram feitas milhares de imagens planas do fóssil que, combinadas, permitiram montar o modelo tridimensional.

Perna Cobra (Foto: A. Houssaye/Divulgação)

Fóssil Eudopophis descouensi .
(Foto: A. Houssaye/Divulgação)

Existem somente três exemplares de serpentes fósseis com ossos de perna preservada. A Eupodophis descouensi, o fóssil estudado nesta pesquisa, foi descoberto há dez anos em rochas de 95 milhões de anos, no Líbano.

Tem cerca de 50 cm de comprimento total e apresenta uma perna pequena, de cerca de 2 cm de comprimento, ligada à pelve. Esse fóssil é chave para entender a evolução das cobras, pois representa uma etapa intermediária evolutiva quando as serpentes antigas ainda não tinha perdido completamente as pernas que herdaram dos lagartos.

Perna escondida

Embora o fóssil apresente apenas uma perna em sua superfície, a segunda, graças à tecnologia de raio-x, foi encontrada dentro da pedra. Ela é flexionada no joelho e tem quatro ossos do tornozelo, mas não ossos de pé, ou muito menos dedos.

insidious film

A equipe de pesquisadores é liderada por Alexandra Houssaye, do Museu Nacional de História Natural (MNHN) de Paris, e inclui ainda cientistas do European Synchrotron Radiation Facility (ESRF), em Grenoble, e do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), Alemanha.

Perna Cobra (Foto: Divulgação)

Imagem de ossos da perna da serpente fossilizada,
gerada com o raio-x.(Foto: Divulgação)

Fonte: Globo Natureza