14 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

Ibama apreende 362 tartarugas que seriam vendidas em Manaus

Fiscais localizaram ‘currais’ de quelônios, em Roraima.
Operação de fiscalização ocorre na região do Baixo Rio Branco.

Tartarugas apreendidas durante a ação. (Foto: Diego Bueno/Ibama)

Tartarugas apreendidas durante a ação (Foto: Diego Bueno/Ibama)

Uma operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), com apoio da Policia Federal, apreendeu 362 tartarugas da Amazônia que seriam vendidas em Manaus. Quatro “tartarugueiros” foram presos. Segundo o órgão, a fiscalização é realizada na região do Baixo Rio Branco, em Roraima, desde o mês de outubro.

Foram resgatados até o momento um total de 378 quelônios, dos quais 362 foram devolvidos à natureza. Desses, 115 chegavam a pesar mais de 50 kg, alguns com idade estimada em mais de 100 anos.

Até o momento foram descobertos três “currais” de quelônios, que são estruturas de madeira construídas pelos caçadores próximos das margens, feitos com finalidade depositar as tartarugas recém capturadas.

A operação, iniciada no dia 29 de outubro, no município de Caracaraí, deverá se estender até o final de dezembro. O início da fiscalização coincide com o momento que as tartarugas estão “assoalhando”, escolhendo os melhores bancos de areia, também conhecidos como tabuleiros, para desovar.

O caçador de quelônios está sujeito a ser autuado administrativamente pelo Ibama e ser preso em flagrante por crime contra a fauna e formação de quadrilha. As penas somadas chegam a 6 anos de reclusão. A multa é de R$ 5 mil por animal apreendido, com agravante caso o flagrante se dê dentro de uma Unidade de Conservação.

 

 

Fonte: Globo Natureza


1 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Indonésia liberta 85 pangolins que seriam contrabandeados

Controladores de pragas, animais são encontrados na Ásia e África.
Entre os exemplares resgatados havia filhotes.

Ambientalistas da Indonésia devolveram à natureza nesta terça-feira (31) 85 exemplares de pangolins que foram resgatados de contrabandistas no último dia 28 na cidade de Medan. Eles foram libertados em uma floresta no distrito de Karo.

De acordo com o governo local, espécimes adultos e filhotes estavam amontoados em 14 sacos dentro de um ônibus. Havia animais mortos entre eles. Pouco estudada e considerada uma espécie ícone, os pangolins são encontrados na Ásia e África. Eles são controladores naturais de pragas, engolindo formigas e cupins.

Entretanto, autoridades da Indonésia tentam combater o tráfico que está intenso para países como China e Vietnã, que utilizam esses animais como alimentos e medicamentos.

Os chineses acreditam que o animal pode curar uma série de doenças e aumentar a potência sexual. Por conta disto, a população da espécie reduziu drasticamente e hoje são encontradas apenas em poucas regiões da Indonésia, Filipinas, além de partes da Malásia e Índia.

O comércio desta espécie foi proibido em 2002, por meio da Convenção Internacional sobre espécies ameaçadas. Apesar da legislação, o crime continua sendo cometido por caçadores rurais, incluindo os trabalhadores nas plantações da Indonésia.

Além da China, Vietnã e Coreia do Sul também figuram na lista das encomendas ilegais.
Se comparados aos lucros obtidos pela venda dos animais, as penas para o tráfico são baixas. Um pangolim inteiro poderia ser comprado na Indonésia por US$ 275. Já as escamas eram arrematadas por até US$ 750 o quilo na China

De acordo com o governo da Indonésia, as penas para crimes ambientais deverão ser endurecidas. Embora as apreensões e prisões de pequenos contrabandistas tenham aumentado substancialmente, quase nenhum dos principais compradores foram colocados atrás das grades.

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

Fonte: Globo Natureza


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Mais de 400 tartarugas são apreendidas em malas em Bangladesh

Autoridades aduaneiras de Bangladesh apreenderam mais de 400 tartarugas, encontradas em malas que tinham a Tailândia como destino.

Após uma denúncia, funcionários do aeroporto de Daca abriram a bagagem de dois passageiros que estavam voando para Bancoc.

As tartarugas encontradas, algumas de espécies ameaçadas de extinção, tem valor estimado de US$ 35 mil (R$ 65 mil) no mercado negro, já que são populares como bichos de estimação e sua carne pode ser utilizada na medicina oriental.

Duas pessoas de nacionalidade indiana foram presas após o incidente.

Acredita-se que os animais tenham saído da Índia. Segundo ativistas, Daca tem sido cada vez mais usada como rota para o transporte ilegal de animais selvagens.

No ano passado, autoridades na Tailândia encontraram centenas de tartarugas e crocodilos em uma mala que chegou em um voo vindo de Bangladesh.

Fonte: BBC Brasil


28 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Polícia Ambiental apreende pescado e quelônios em feira no Amazonas

Suspeitos que comercializam as espécies fugiram do local.
Fiscalização faz parte da operação chamada Saturação Manacapuru.

Operação combate a fiscalização irregular de peixes e quelônios (Foto: arquivo/Polícial Ambiental do Amazonas)

Operação combate a fiscalização irregular de peixes e quelônios (Foto: arquivo/Polícial Ambiental do AM)

Policiais do Batalhão Ambiental de Manacapuru, a 79 km de Manaus, apreenderam durante patrulhamento na feira popular do município, Feira da Liberdade, 100 Kg de pescado e seis quelônios ainda vivos. Os suspeitos que comercializam as espécies fugiram do local.

De acordo com os policias do batalhão, a fiscalização faz parte da operação chamada Saturação Manacapuru. Durante ação, agentes perceberam os animais escondidos em uma sacola de estopa de plástico.

Os policias ainda informaram que os quelônios foram devolvidos aos rios e o pescado apreendido foi doado para o Hospital da Mulher Cecília Cabral de Manacapuru.

Fonte: Ana Graziela Maia, G1, AM

27 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Polícia apreende carga com 97 pangolins em cidade da Tailândia

Animais seriam exportados para a China, considerado principal comprador.
Comércio ilegal pode acarretar na extinção desta espécie.

A polícia da Tailândia apreendeu neste domingo (25) um carregamento com 97 pangolins em uma província no sudeste do país. A carga, estimada em US$ 32 mil, seria enviada para a China. Nesta segunda-feira (26), as autoridades do país participaram de coletiva de imprensa em Bangcoc, onde os animais foram apresentados.

Na semana passada, cinco toneladas de carne deste animal foram confiscadas por autoridades da Indonésia em uma pequena cidade do país e o material foi enterrado. Ocorrências envolvendo os pangolins, uma espécie de tatu que existe apenas no Sudeste Asiático, têm se tornado constantes e coloca em risco este animal.

Existe uma grande movimentação ilegal envolvendo principalmente comerciantes da China, que adquirem estes animais acreditando que eles podem curar uma série de doenças e aumentar a potência sexual. Suas escamas também são utilizadas e vendidas à população.

O comércio desta espécie foi proibido em 2002, por meio da Convenção Internacional sobre espécies ameaçadas. Apesar da legislação, o crime continua sendo cometido por caçadores rurais, incluindo os trabalhadores nas plantações da Indonésia.

Autoridade da Tailândia mostra exemplar de pangolim que estava dentro de embalagem, pronto para ser enviado à China. A polícia apreendeu 97 animais neste fim de semana (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

Autoridade da Tailândia mostra exemplar de pangolim que estava dentro de embalagem, pronto para ser enviado à China. A polícia apreendeu 97 animais neste fim de semana (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

A espécie corre risco de ser extinta devido ao comércio ilegal entre países do Sudeste Asiático e a China (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

A espécie corre risco de ser extinta devido ao comércio ilegal entre países do Sudeste Asiático e a China (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


12 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS

Aves, sem penas ainda, estavam em caixas no porta-malas de um veículo.
Suspeito foi multado em R$ 70,5 mil e autuado pelo crime ambiental.

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Divulgação/PM)

Filhotes de papagaio ainda não têm nem penas (Foto: Divulgação/PM)

 

A Polícia Militar do distrito de Casa Verde, município de Nova Andradina, região leste de Mato Grosso do Sul, prendeu na manhã deste sábado (10), em uma estrada vicinal, um homem de 24 anos que transportava ilegalmente 141 filhotes de papagaio. As aves, sem penas ainda, estavam em caixas no porta-malas de um veículo. Um filhote foi encontrado morto.

Segundo a PM, o suspeito de tráfico de animais disse que comprou as aves por R$ 30 cada uma e que pretendia vendê-las em São Paulo. Após o flagrante, o homem foi autuado pela Polícia Militar Ambiental (PMA), que aplicou a multa de R$ 500 por animal, totalizando R$ 70,5 mil, pelo crime ambiental.

Os animais foram recolhidos e transferidos para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), de Campo Grande. O suspeito foi preso e encaminhado a Delegacia de Polícia Civil da cidade, onde foi autuado. Segundo a polícia, ele já foi preso outras vezes pelo mesmo crime ambiental.

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Marcos Donzeli/Nova Notícias)

Filhotes estavam sendo em caixas no porta-malas de um carro (Foto: Marcos Donzeli/Nova Notícias)

 

Apreensões
De acordo com a PMA, os últimos quatro meses do ano representam um período crítico para o combate ao tráfico de filhotes de papagaio, já que a reprodução das aves ocorre justamente entre setembro e dezembro. Neste período, a unidade revela que reforça o trabalho preventivo nas propriedades rurais.

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Divulgação/PM)

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Divulgação/PM)

Fonte: Globo Natureza/ G1


1 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Traficante internacional de animais é condenado a dez anos no Rio

Tomas Novotny foi preso em operação da Polícia Federal em 2009.
Decisão judicial é de 19 de agosto.

O tcheco Tomas Novotny, preso durante operação Oxossi, da Polícia Federal, em 2009, foi condenado a dez anos de prisão pelos crimes de receptação e contrabando de animais silvestres e formação de quadrilha. A sentença foi divulgada no último dia 19 de agosto.

A denúncia, oferecida pelos procuradores da República Renato Machado e Maurício Manso, pedia a prisão de Novotny por seu envolvimento em um esquema de receptação e exportação de aves silvestres, vendidas no exterior.

Ele intermediava, mediante pagamento, as negociações entre os caçadores e estrangeiros, aproveitando-se de sua fluência no idioma português para facilitar a comunicação entre as partes. “A sentença proferida é importantíssima, pois confere ao tráfico internacional de animais silvestres um tratamento compatível com sua gravidade, protegendo assim a biodiversidade brasileira”, diz o procurador Renato Machado.

A Operação Oxossi, que prendeu Novotny, foi feita em conjunto pelo MPF e a Polícia Federal. À época, o MPF ofereceu três denúncias contra 69 integrantes de quadrilhas de contrabando de animais que atuavam no Brasil e no exterior, pelos crimes de formação de quadrilha, receptação, caça a fauna silvestre, abuso e maus-tratos a animais silvestres.

Fonte: Agência do Estado


16 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Quatro pessoas são presas com 900 canários

As aves estavam em gaiolas e eram transportadas em péssimas condições.
Sogra e genro receberiam R$ 3 mil para levar animais até a capital, diz PRF.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu por volta das 2h desta segunda-feira, na BR-262, quatro pessoas, entre elas, uma mulher e seu genro, por tráfico de animais.

As prisões ocorreram em dois trechos na rodovia. Próximo a Miranda, a 203 quilômetros de Campo Grande, no carro em que estavam a sogra e o genro foram encontrados 900 canários peruanos. Os animais, conforme a polícia, estavam em várias gaiolas e sendo transportados em péssimas condições.

Após o flagrante, o genro e sua sogra, que moram em Corumbá, no oeste do estado, revelaram que receberam as aves na cidade e deveriam transportá-las até Campo Grande, onde receberiam R$ 3 mil pelo ‘serviço’. Eles disseram ainda que tinham sido contratados por dois homens de Minas Gerais, que estavam viajando em um outro carro.

Com essas informações, a PRF prendeu os outros dois suspeitos na BR-262, próximo a cidade de Anastácio, a 132 quilômetros de Campo Grande. Segundo a polícia, eles negaram o crime, mas acabaram entrando em contradição sobre os motivos da viagem para Corumbá.

De acordo com a PRF, os dois mineiros têm várias passagens pela polícia por tráfico de animais silvestres e teriam feito a opção de contratar dois corumbaenses para fazer o transporte para não levantar suspeitas, já que o veículo em que a sogra e o genro levavam os animais tem placa de Mato Grosso do Sul.

Sogra, genro e mais dois homens são presos em MS com 900 canários peruanos (Foto: Divulgação/PRF)

Canários peruanos estavam sendo transportados em várias gaiolas (Foto: Divulgação/PRF)

Sogra, genro e mais dois homens são presos em MS com 900 canários peruanos (Foto: Divulgação/PRF)

Veículos que estavam sendo utilizados pelos suspeitos de tráfico de animais e as gaiolas com os canários (Foto: Divulgação/PRF)

Fonte: Do G1, Ms


12 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

PF irá ouvir compradores de animais identificados durante operação

Aves, répteis, mamíferos e anfíbios eram comercializados em site irregular.
Operação Arapongas prendeu sete pessoas em quatro estados.

A Polícia Federal irá ouvir 42 compradores de animais silvestres que foram identificados durante a Operação Arapongas, que visa combater o tráfico ilegal de animais. Nesta quarta-feira (10), agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreenderam 1.928 animais que estavam prontos para ser comercializados irregularmente.

A Operação Arapongas prendeu sete pessoas nesta quarta – uma na capital paulista, duas no interior do estado, uma na Paraíba, uma em Minas Gerais e um casal no Paraná. Um dos deitos é um biólogo, coordenador de um Instituto Ambiental de São Paulo. Ele tinha autorização do Ibama para criar e pesquisar répteis, mas vendia os animais.

A operação foi feita em conjunto entre o Ibama e a Polícia Federal. Em coletiva realizada na sede da PF em São Paulo, Maria Luiza Souza, chefe de fiscalização do Ibama no Paraná, informou que a investigação começou em novembro de 2010 a partir de denúncias de que um site comercializava animais sem autorização desde 2007. No entanto, para induzir o cliente ao erro, eles informavam que os bichos estavam legalizados no Ibama. Havia espécies exóticas e algumas em extinção, como a arara azul, que era oferecida no site por R$ 55 mil, representando a compra mais cara.

De acordo com a polícia, o site foi criado pelo casal preso no Paraná, na cidade de Arapongas, que deu nome à operação. “O site não é legalizado no Ibama”, disse Maria Luiza. De acordo com ela, durante a investigação, foram identificados 19 criadouros no país que forneciam os animais para que o casal os vendesse. Desse total, há pelo menos duas ONGs que tinham autorização do instituto para criar espécies para fins de pesquisa e estava aproveitando a licença do Ibama para comercializar os bichos.

“Estavam trocando os microchips, induzindo o tráfico desses animais”, contou Maria Luiza. Os criadouros estão sendo agora investigados. Bruno Barbosa, coordenador-geral de fiscalização do Ibama, informou que essa licença será cancelada. “Se eles (donos do site) não conseguiam o animal com os criadouros, iam buscar na natureza.” Ele disse que é proibido vender felinos, por exemplo. No entanto, o site oferecia uma jaguatirica por R$ 13 mil.

A Polícia Federal e o Ibama vão investigar se alguma negociação internacional foi feita. Os sete presos vão responder por tráfico de animais silvestres, biopirataria, sonegação fiscal, falsidade ideológica e estelionato.

Fonte: Do G1, SP


10 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

PF prende chefes de quadrilha que vendia animais pela internet

Casal comandava venda de animais por um site na internet.
Mandados foram cumpridos na manhã desta quarta (10) em sete estados.

Um casal suspeito de comandar uma quadrilha que vendia animais silvestres sem autorização pela internet  foi preso nesta quarta-feira (10) em operação comandada pela Polícia Federal (PF) e pelo Ibama. Batizada de Operação Arapongas, a ação cumpriu seis mandados de prisão e vinte e cinco de busca e apreensão no  Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Ceará e Paraíba.

O casal foi preso em Arapongas, Norte do Paraná. Até por volta das 10h, ainda não havia informação sobre o cumprimento dos outros mandados de prisão. O delegado Elvis Secco, da PF do Paraná, explicou que o casal é suspeito de comandar, durante ao menos três anos, um site onde os animais eram comercializados.

Compras com parcelamento
Segundo a investigação, os animais vendidos ilegalmente eram, na maioria, silvestres, alguns em extinção, e nenhum deles possuía registro no Ibama, ao contrário do que informava o site.

“O parcelamento era oferecido em até 18 vezes. O casal de jovens preso no Paraná comandava todo o esquema. Eles chefiavam todas as entregas aqui e os outros envolvidos nos outros lugares eram os fornecedores, que davam conta de enviar os animais, que eram retirados da natureza”, contou.

Secco disse ainda que a maioria dos fornecedores tinham alguma ligação com clínicas e entidades protetoras de animais.

Os presos vão responder por falsidade ideológica, formação de quadrilha, crime contra a fauna, estelionato e sonegação de impostos. A investigação durou um ano, segundo a Polícia Federal.

Animais eram comercializados através de site na internet (Foto: Divulgação/PF)

nimais eram comercializados através de site na internet (Foto: Divulgação/PF)

Fonte: Adriana Justi, G1 PR, com informações da RPC TV


« Página anterior





Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

novembro 2018
S T Q Q S S D
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

14 de novembro de 2012 | nenhum comentário »

Ibama apreende 362 tartarugas que seriam vendidas em Manaus

Fiscais localizaram ‘currais’ de quelônios, em Roraima.
Operação de fiscalização ocorre na região do Baixo Rio Branco.

Tartarugas apreendidas durante a ação. (Foto: Diego Bueno/Ibama)

Tartarugas apreendidas durante a ação (Foto: Diego Bueno/Ibama)

Uma operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), com apoio da Policia Federal, apreendeu 362 tartarugas da Amazônia que seriam vendidas em Manaus. Quatro “tartarugueiros” foram presos. Segundo o órgão, a fiscalização é realizada na região do Baixo Rio Branco, em Roraima, desde o mês de outubro.

Foram resgatados até o momento um total de 378 quelônios, dos quais 362 foram devolvidos à natureza. Desses, 115 chegavam a pesar mais de 50 kg, alguns com idade estimada em mais de 100 anos.

Até o momento foram descobertos três “currais” de quelônios, que são estruturas de madeira construídas pelos caçadores próximos das margens, feitos com finalidade depositar as tartarugas recém capturadas.

A operação, iniciada no dia 29 de outubro, no município de Caracaraí, deverá se estender até o final de dezembro. O início da fiscalização coincide com o momento que as tartarugas estão “assoalhando”, escolhendo os melhores bancos de areia, também conhecidos como tabuleiros, para desovar.

O caçador de quelônios está sujeito a ser autuado administrativamente pelo Ibama e ser preso em flagrante por crime contra a fauna e formação de quadrilha. As penas somadas chegam a 6 anos de reclusão. A multa é de R$ 5 mil por animal apreendido, com agravante caso o flagrante se dê dentro de uma Unidade de Conservação.

 

 

Fonte: Globo Natureza


1 de agosto de 2012 | nenhum comentário »

Indonésia liberta 85 pangolins que seriam contrabandeados

Controladores de pragas, animais são encontrados na Ásia e África.
Entre os exemplares resgatados havia filhotes.

Ambientalistas da Indonésia devolveram à natureza nesta terça-feira (31) 85 exemplares de pangolins que foram resgatados de contrabandistas no último dia 28 na cidade de Medan. Eles foram libertados em uma floresta no distrito de Karo.

De acordo com o governo local, espécimes adultos e filhotes estavam amontoados em 14 sacos dentro de um ônibus. Havia animais mortos entre eles. Pouco estudada e considerada uma espécie ícone, os pangolins são encontrados na Ásia e África. Eles são controladores naturais de pragas, engolindo formigas e cupins.

Entretanto, autoridades da Indonésia tentam combater o tráfico que está intenso para países como China e Vietnã, que utilizam esses animais como alimentos e medicamentos.

Os chineses acreditam que o animal pode curar uma série de doenças e aumentar a potência sexual. Por conta disto, a população da espécie reduziu drasticamente e hoje são encontradas apenas em poucas regiões da Indonésia, Filipinas, além de partes da Malásia e Índia.

O comércio desta espécie foi proibido em 2002, por meio da Convenção Internacional sobre espécies ameaçadas. Apesar da legislação, o crime continua sendo cometido por caçadores rurais, incluindo os trabalhadores nas plantações da Indonésia.

Além da China, Vietnã e Coreia do Sul também figuram na lista das encomendas ilegais.
Se comparados aos lucros obtidos pela venda dos animais, as penas para o tráfico são baixas. Um pangolim inteiro poderia ser comprado na Indonésia por US$ 275. Já as escamas eram arrematadas por até US$ 750 o quilo na China

De acordo com o governo da Indonésia, as penas para crimes ambientais deverão ser endurecidas. Embora as apreensões e prisões de pequenos contrabandistas tenham aumentado substancialmente, quase nenhum dos principais compradores foram colocados atrás das grades.

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

Filhote de pangolim resgatado de traficantes na última semana foi libertado em área de floresta na província de Sumatra, na Indonésia. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

No total, foram encontrados 85 exemplares vivos dentro de um ônibus. Esses animais são contrabandeados para países como China e Vietnã. (Foto: AFP)

Fonte: Globo Natureza


19 de abril de 2012 | nenhum comentário »

Mais de 400 tartarugas são apreendidas em malas em Bangladesh

Autoridades aduaneiras de Bangladesh apreenderam mais de 400 tartarugas, encontradas em malas que tinham a Tailândia como destino.

Após uma denúncia, funcionários do aeroporto de Daca abriram a bagagem de dois passageiros que estavam voando para Bancoc.

As tartarugas encontradas, algumas de espécies ameaçadas de extinção, tem valor estimado de US$ 35 mil (R$ 65 mil) no mercado negro, já que são populares como bichos de estimação e sua carne pode ser utilizada na medicina oriental.

Duas pessoas de nacionalidade indiana foram presas após o incidente.

Acredita-se que os animais tenham saído da Índia. Segundo ativistas, Daca tem sido cada vez mais usada como rota para o transporte ilegal de animais selvagens.

No ano passado, autoridades na Tailândia encontraram centenas de tartarugas e crocodilos em uma mala que chegou em um voo vindo de Bangladesh.

Fonte: BBC Brasil


28 de novembro de 2011 | nenhum comentário »

Polícia Ambiental apreende pescado e quelônios em feira no Amazonas

Suspeitos que comercializam as espécies fugiram do local.
Fiscalização faz parte da operação chamada Saturação Manacapuru.

Operação combate a fiscalização irregular de peixes e quelônios (Foto: arquivo/Polícial Ambiental do Amazonas)

Operação combate a fiscalização irregular de peixes e quelônios (Foto: arquivo/Polícial Ambiental do AM)

Policiais do Batalhão Ambiental de Manacapuru, a 79 km de Manaus, apreenderam durante patrulhamento na feira popular do município, Feira da Liberdade, 100 Kg de pescado e seis quelônios ainda vivos. Os suspeitos que comercializam as espécies fugiram do local.

De acordo com os policias do batalhão, a fiscalização faz parte da operação chamada Saturação Manacapuru. Durante ação, agentes perceberam os animais escondidos em uma sacola de estopa de plástico.

Os policias ainda informaram que os quelônios foram devolvidos aos rios e o pescado apreendido foi doado para o Hospital da Mulher Cecília Cabral de Manacapuru.

Fonte: Ana Graziela Maia, G1, AM

27 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Polícia apreende carga com 97 pangolins em cidade da Tailândia

Animais seriam exportados para a China, considerado principal comprador.
Comércio ilegal pode acarretar na extinção desta espécie.

A polícia da Tailândia apreendeu neste domingo (25) um carregamento com 97 pangolins em uma província no sudeste do país. A carga, estimada em US$ 32 mil, seria enviada para a China. Nesta segunda-feira (26), as autoridades do país participaram de coletiva de imprensa em Bangcoc, onde os animais foram apresentados.

Na semana passada, cinco toneladas de carne deste animal foram confiscadas por autoridades da Indonésia em uma pequena cidade do país e o material foi enterrado. Ocorrências envolvendo os pangolins, uma espécie de tatu que existe apenas no Sudeste Asiático, têm se tornado constantes e coloca em risco este animal.

Existe uma grande movimentação ilegal envolvendo principalmente comerciantes da China, que adquirem estes animais acreditando que eles podem curar uma série de doenças e aumentar a potência sexual. Suas escamas também são utilizadas e vendidas à população.

O comércio desta espécie foi proibido em 2002, por meio da Convenção Internacional sobre espécies ameaçadas. Apesar da legislação, o crime continua sendo cometido por caçadores rurais, incluindo os trabalhadores nas plantações da Indonésia.

Autoridade da Tailândia mostra exemplar de pangolim que estava dentro de embalagem, pronto para ser enviado à China. A polícia apreendeu 97 animais neste fim de semana (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

Autoridade da Tailândia mostra exemplar de pangolim que estava dentro de embalagem, pronto para ser enviado à China. A polícia apreendeu 97 animais neste fim de semana (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

A espécie corre risco de ser extinta devido ao comércio ilegal entre países do Sudeste Asiático e a China (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

A espécie corre risco de ser extinta devido ao comércio ilegal entre países do Sudeste Asiático e a China (Foto: Chaiwat Subprasom/Reuters)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo


12 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS

Aves, sem penas ainda, estavam em caixas no porta-malas de um veículo.
Suspeito foi multado em R$ 70,5 mil e autuado pelo crime ambiental.

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Divulgação/PM)

Filhotes de papagaio ainda não têm nem penas (Foto: Divulgação/PM)

 

A Polícia Militar do distrito de Casa Verde, município de Nova Andradina, região leste de Mato Grosso do Sul, prendeu na manhã deste sábado (10), em uma estrada vicinal, um homem de 24 anos que transportava ilegalmente 141 filhotes de papagaio. As aves, sem penas ainda, estavam em caixas no porta-malas de um veículo. Um filhote foi encontrado morto.

Segundo a PM, o suspeito de tráfico de animais disse que comprou as aves por R$ 30 cada uma e que pretendia vendê-las em São Paulo. Após o flagrante, o homem foi autuado pela Polícia Militar Ambiental (PMA), que aplicou a multa de R$ 500 por animal, totalizando R$ 70,5 mil, pelo crime ambiental.

Os animais foram recolhidos e transferidos para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), de Campo Grande. O suspeito foi preso e encaminhado a Delegacia de Polícia Civil da cidade, onde foi autuado. Segundo a polícia, ele já foi preso outras vezes pelo mesmo crime ambiental.

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Marcos Donzeli/Nova Notícias)

Filhotes estavam sendo em caixas no porta-malas de um carro (Foto: Marcos Donzeli/Nova Notícias)

 

Apreensões
De acordo com a PMA, os últimos quatro meses do ano representam um período crítico para o combate ao tráfico de filhotes de papagaio, já que a reprodução das aves ocorre justamente entre setembro e dezembro. Neste período, a unidade revela que reforça o trabalho preventivo nas propriedades rurais.

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Divulgação/PM)

Suspeito de tráfico de animais é preso com 141 filhotes de papagaio em MS (Foto: Divulgação/PM)

Fonte: Globo Natureza/ G1


1 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Traficante internacional de animais é condenado a dez anos no Rio

Tomas Novotny foi preso em operação da Polícia Federal em 2009.
Decisão judicial é de 19 de agosto.

O tcheco Tomas Novotny, preso durante operação Oxossi, da Polícia Federal, em 2009, foi condenado a dez anos de prisão pelos crimes de receptação e contrabando de animais silvestres e formação de quadrilha. A sentença foi divulgada no último dia 19 de agosto.

A denúncia, oferecida pelos procuradores da República Renato Machado e Maurício Manso, pedia a prisão de Novotny por seu envolvimento em um esquema de receptação e exportação de aves silvestres, vendidas no exterior.

Ele intermediava, mediante pagamento, as negociações entre os caçadores e estrangeiros, aproveitando-se de sua fluência no idioma português para facilitar a comunicação entre as partes. “A sentença proferida é importantíssima, pois confere ao tráfico internacional de animais silvestres um tratamento compatível com sua gravidade, protegendo assim a biodiversidade brasileira”, diz o procurador Renato Machado.

A Operação Oxossi, que prendeu Novotny, foi feita em conjunto pelo MPF e a Polícia Federal. À época, o MPF ofereceu três denúncias contra 69 integrantes de quadrilhas de contrabando de animais que atuavam no Brasil e no exterior, pelos crimes de formação de quadrilha, receptação, caça a fauna silvestre, abuso e maus-tratos a animais silvestres.

Fonte: Agência do Estado


16 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Quatro pessoas são presas com 900 canários

As aves estavam em gaiolas e eram transportadas em péssimas condições.
Sogra e genro receberiam R$ 3 mil para levar animais até a capital, diz PRF.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu por volta das 2h desta segunda-feira, na BR-262, quatro pessoas, entre elas, uma mulher e seu genro, por tráfico de animais.

As prisões ocorreram em dois trechos na rodovia. Próximo a Miranda, a 203 quilômetros de Campo Grande, no carro em que estavam a sogra e o genro foram encontrados 900 canários peruanos. Os animais, conforme a polícia, estavam em várias gaiolas e sendo transportados em péssimas condições.

Após o flagrante, o genro e sua sogra, que moram em Corumbá, no oeste do estado, revelaram que receberam as aves na cidade e deveriam transportá-las até Campo Grande, onde receberiam R$ 3 mil pelo ‘serviço’. Eles disseram ainda que tinham sido contratados por dois homens de Minas Gerais, que estavam viajando em um outro carro.

Com essas informações, a PRF prendeu os outros dois suspeitos na BR-262, próximo a cidade de Anastácio, a 132 quilômetros de Campo Grande. Segundo a polícia, eles negaram o crime, mas acabaram entrando em contradição sobre os motivos da viagem para Corumbá.

De acordo com a PRF, os dois mineiros têm várias passagens pela polícia por tráfico de animais silvestres e teriam feito a opção de contratar dois corumbaenses para fazer o transporte para não levantar suspeitas, já que o veículo em que a sogra e o genro levavam os animais tem placa de Mato Grosso do Sul.

Sogra, genro e mais dois homens são presos em MS com 900 canários peruanos (Foto: Divulgação/PRF)

Canários peruanos estavam sendo transportados em várias gaiolas (Foto: Divulgação/PRF)

Sogra, genro e mais dois homens são presos em MS com 900 canários peruanos (Foto: Divulgação/PRF)

Veículos que estavam sendo utilizados pelos suspeitos de tráfico de animais e as gaiolas com os canários (Foto: Divulgação/PRF)

Fonte: Do G1, Ms


12 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

PF irá ouvir compradores de animais identificados durante operação

Aves, répteis, mamíferos e anfíbios eram comercializados em site irregular.
Operação Arapongas prendeu sete pessoas em quatro estados.

A Polícia Federal irá ouvir 42 compradores de animais silvestres que foram identificados durante a Operação Arapongas, que visa combater o tráfico ilegal de animais. Nesta quarta-feira (10), agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreenderam 1.928 animais que estavam prontos para ser comercializados irregularmente.

A Operação Arapongas prendeu sete pessoas nesta quarta – uma na capital paulista, duas no interior do estado, uma na Paraíba, uma em Minas Gerais e um casal no Paraná. Um dos deitos é um biólogo, coordenador de um Instituto Ambiental de São Paulo. Ele tinha autorização do Ibama para criar e pesquisar répteis, mas vendia os animais.

A operação foi feita em conjunto entre o Ibama e a Polícia Federal. Em coletiva realizada na sede da PF em São Paulo, Maria Luiza Souza, chefe de fiscalização do Ibama no Paraná, informou que a investigação começou em novembro de 2010 a partir de denúncias de que um site comercializava animais sem autorização desde 2007. No entanto, para induzir o cliente ao erro, eles informavam que os bichos estavam legalizados no Ibama. Havia espécies exóticas e algumas em extinção, como a arara azul, que era oferecida no site por R$ 55 mil, representando a compra mais cara.

De acordo com a polícia, o site foi criado pelo casal preso no Paraná, na cidade de Arapongas, que deu nome à operação. “O site não é legalizado no Ibama”, disse Maria Luiza. De acordo com ela, durante a investigação, foram identificados 19 criadouros no país que forneciam os animais para que o casal os vendesse. Desse total, há pelo menos duas ONGs que tinham autorização do instituto para criar espécies para fins de pesquisa e estava aproveitando a licença do Ibama para comercializar os bichos.

“Estavam trocando os microchips, induzindo o tráfico desses animais”, contou Maria Luiza. Os criadouros estão sendo agora investigados. Bruno Barbosa, coordenador-geral de fiscalização do Ibama, informou que essa licença será cancelada. “Se eles (donos do site) não conseguiam o animal com os criadouros, iam buscar na natureza.” Ele disse que é proibido vender felinos, por exemplo. No entanto, o site oferecia uma jaguatirica por R$ 13 mil.

A Polícia Federal e o Ibama vão investigar se alguma negociação internacional foi feita. Os sete presos vão responder por tráfico de animais silvestres, biopirataria, sonegação fiscal, falsidade ideológica e estelionato.

Fonte: Do G1, SP


10 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

PF prende chefes de quadrilha que vendia animais pela internet

Casal comandava venda de animais por um site na internet.
Mandados foram cumpridos na manhã desta quarta (10) em sete estados.

Um casal suspeito de comandar uma quadrilha que vendia animais silvestres sem autorização pela internet  foi preso nesta quarta-feira (10) em operação comandada pela Polícia Federal (PF) e pelo Ibama. Batizada de Operação Arapongas, a ação cumpriu seis mandados de prisão e vinte e cinco de busca e apreensão no  Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Ceará e Paraíba.

O casal foi preso em Arapongas, Norte do Paraná. Até por volta das 10h, ainda não havia informação sobre o cumprimento dos outros mandados de prisão. O delegado Elvis Secco, da PF do Paraná, explicou que o casal é suspeito de comandar, durante ao menos três anos, um site onde os animais eram comercializados.

Compras com parcelamento
Segundo a investigação, os animais vendidos ilegalmente eram, na maioria, silvestres, alguns em extinção, e nenhum deles possuía registro no Ibama, ao contrário do que informava o site.

“O parcelamento era oferecido em até 18 vezes. O casal de jovens preso no Paraná comandava todo o esquema. Eles chefiavam todas as entregas aqui e os outros envolvidos nos outros lugares eram os fornecedores, que davam conta de enviar os animais, que eram retirados da natureza”, contou.

Secco disse ainda que a maioria dos fornecedores tinham alguma ligação com clínicas e entidades protetoras de animais.

Os presos vão responder por falsidade ideológica, formação de quadrilha, crime contra a fauna, estelionato e sonegação de impostos. A investigação durou um ano, segundo a Polícia Federal.

Animais eram comercializados através de site na internet (Foto: Divulgação/PF)

nimais eram comercializados através de site na internet (Foto: Divulgação/PF)

Fonte: Adriana Justi, G1 PR, com informações da RPC TV


« Página anterior