5 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Americano retrata em estúdio espécies ameaçadas de extinção

O americano Joel Satore fotografou em estúdio animais ameaçados de extinção, como parte de um projeto para aumentar a conscientização sobre a preservação da vida selvagem.

Satore, 49, retratou a maior parte dos animais contra fundos brancos ou pretos para dar mais destaque à aparência impressionante das espécies.

Para ele, as fotos de estúdio fazem com que todos os animais tenham o mesmo tamanho proporcional e sejam tratados com a mesma importância.

O americano é fotógrafo da National Geographic Society há 20 anos e planeja registrar espécies em extinção no mundo todo. “As pessoas não vão tentar salvar os animais se não souberem que eles existem.”

Satore reuniu algumas das imagens no livro “Rare – America’s Endangered Species” (“Raros – As Espécies Ameaçadas da América).

Fotógrafo retratou uma fêmea de um elefante-africano; veja galeria de fotos

Fotógrafo retratou uma fêmea de um elefante-africano; Foto: Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Fotógrafo americano retratou espécies ameaçadas de extinção em estúdio; na foto, babuíno criado em cativeiro Leia Mais

Babuíno criado em cativeiro. Foto:Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Para autor, projeto eleva a conscientização sobre a vida selvagem; acima, furão-de-patas-negras Leia Mais

Furão-de-patas-negras. Foto:Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Na foto, um jupará, mamífero que também é encontrado na Amazônia Leia Mais

Jupará, mamífero que também é encontrado na Amazônia. Foto: Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

O americano é fotógrafo da National Geographic Society há 20 anos; acima, uma víbora-de-pestana Leia Mais

Víbora-de-pestana Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Click e veja a galeria completa: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/4360-americano-retrata-em-estudio-especies-ameacadas-de-extincao#foto-81424

Fonte: Da BBC Brasil


22 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Lontra que vivia em cativeiro é resgatada por biólogos no Amazonas

Animal passará por reabilitação para desenvolver instinto de sobrevivência.
Até o fim deste ano, espécime deve retornar à vida selvagem.

Uma lontra com um ano e seis meses de idade foi resgatada no início desta semana por pesquisadores da Associação Amigos do peixe-boi  (Ampa) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) na cidade de Iranduba, vizinha a Manaus (AM).

O animal foi encontrado em um vilarejo do município ribeirinho e era alimentado por moradores. De acordo com a bióloga Patrícia Farias, da Ampa, a lontra foi criada em um sítio desde que nasceu.

Entretanto, o animal cresceu e começou a atrapalhar o plantio de hortaliças do dono da propriedade, que decidiu libertar o espécime. “Por ter sido criada como animal de estimação, já havia se adaptado ao modo de vida de cativeiro. Não desenvolveu a habilidade de caçar, só come alimentos mortos, como peixe, e que é fornecido por humanos”, disse Patrícia.

O foco da Ampa agora é a reabilitação do animal, para que ele fique o menor tempo possível sob os cuidados da organização ambiental e volte para a natureza capaz de sobreviver sozinho. “Vamos implantar um rádio-transmissor durante o período de tratamento. A nossa intenção é soltar o animal na floresta até o final do ano”, disse.

Lontra resgatada de vilarejo na floresta amazônica. Animal passará por reabilitação antes de ser solto (Foto: Divulgação/Ampa)

Lontra resgatada de vilarejo na floresta amazônica. Animal passará por reabilitação antes de ser solto (Foto: Divulgação/Ampa)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

setembro 2020
S T Q Q S S D
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

5 de setembro de 2011 | nenhum comentário »

Americano retrata em estúdio espécies ameaçadas de extinção

O americano Joel Satore fotografou em estúdio animais ameaçados de extinção, como parte de um projeto para aumentar a conscientização sobre a preservação da vida selvagem.

Satore, 49, retratou a maior parte dos animais contra fundos brancos ou pretos para dar mais destaque à aparência impressionante das espécies.

Para ele, as fotos de estúdio fazem com que todos os animais tenham o mesmo tamanho proporcional e sejam tratados com a mesma importância.

O americano é fotógrafo da National Geographic Society há 20 anos e planeja registrar espécies em extinção no mundo todo. “As pessoas não vão tentar salvar os animais se não souberem que eles existem.”

Satore reuniu algumas das imagens no livro “Rare – America’s Endangered Species” (“Raros – As Espécies Ameaçadas da América).

Fotógrafo retratou uma fêmea de um elefante-africano; veja galeria de fotos

Fotógrafo retratou uma fêmea de um elefante-africano; Foto: Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Fotógrafo americano retratou espécies ameaçadas de extinção em estúdio; na foto, babuíno criado em cativeiro Leia Mais

Babuíno criado em cativeiro. Foto:Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Para autor, projeto eleva a conscientização sobre a vida selvagem; acima, furão-de-patas-negras Leia Mais

Furão-de-patas-negras. Foto:Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Na foto, um jupará, mamífero que também é encontrado na Amazônia Leia Mais

Jupará, mamífero que também é encontrado na Amazônia. Foto: Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

O americano é fotógrafo da National Geographic Society há 20 anos; acima, uma víbora-de-pestana Leia Mais

Víbora-de-pestana Joel Satore/National Geographic Stock/Caters

Click e veja a galeria completa: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/4360-americano-retrata-em-estudio-especies-ameacadas-de-extincao#foto-81424

Fonte: Da BBC Brasil


22 de agosto de 2011 | nenhum comentário »

Lontra que vivia em cativeiro é resgatada por biólogos no Amazonas

Animal passará por reabilitação para desenvolver instinto de sobrevivência.
Até o fim deste ano, espécime deve retornar à vida selvagem.

Uma lontra com um ano e seis meses de idade foi resgatada no início desta semana por pesquisadores da Associação Amigos do peixe-boi  (Ampa) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) na cidade de Iranduba, vizinha a Manaus (AM).

O animal foi encontrado em um vilarejo do município ribeirinho e era alimentado por moradores. De acordo com a bióloga Patrícia Farias, da Ampa, a lontra foi criada em um sítio desde que nasceu.

Entretanto, o animal cresceu e começou a atrapalhar o plantio de hortaliças do dono da propriedade, que decidiu libertar o espécime. “Por ter sido criada como animal de estimação, já havia se adaptado ao modo de vida de cativeiro. Não desenvolveu a habilidade de caçar, só come alimentos mortos, como peixe, e que é fornecido por humanos”, disse Patrícia.

O foco da Ampa agora é a reabilitação do animal, para que ele fique o menor tempo possível sob os cuidados da organização ambiental e volte para a natureza capaz de sobreviver sozinho. “Vamos implantar um rádio-transmissor durante o período de tratamento. A nossa intenção é soltar o animal na floresta até o final do ano”, disse.

Lontra resgatada de vilarejo na floresta amazônica. Animal passará por reabilitação antes de ser solto (Foto: Divulgação/Ampa)

Lontra resgatada de vilarejo na floresta amazônica. Animal passará por reabilitação antes de ser solto (Foto: Divulgação/Ampa)

Fonte: Globo Natureza, São Paulo