12 de março de 2013 | nenhum comentário »

CEAMA mais de 2.200 visitantes em 2012

O CEAMA, projeto coordenado pelo IPEVS, busca transmitir conhecimento científico aos visitantes, informar sobre a biologia e comportamento animal, esclarecer mitos, orientar sobre a prevenção de acidentes com animais peçonhentos e principalmente incentivar a importância da preservação das espécies, despertando uma consciência ecológica voltada à conservação ambiental. Localizado no município de Cornélio Procópio-PR, possui em seu acervo biológico exemplares de répteis (serpentes, lagartos e quelônios), anfíbios (anuros) e aracnídeos (aranhas e escorpiões) pertencentes à fauna brasileira e exótica, totalizando 156 animais, sendo 31 espécies mantidas em exposição. Esses são mantidos em cativeiro devido à impossibilidade de serem devolvidos para o habitat natural.

O CEAMA atende diariamente o público, disponibilizando dados biológicos das espécies em fichas com informações sobre tamanho, distribuição geográfica e tipo de alimentação. Além disso, todos os visitantes são acompanhados por monitores que esclarecem dúvidas e ministram aulas práticas previamente agendadas, direcionadas às instituições de ensino básico, médio e superior. O centro é o único espaço na região que possibilita o contato da comunidade com estes animais. O trabalho realizado promove uma grande mudança comportamental dos visitantes, pois a informação associada ao contato próximo com os animais quebra pré-conceitos acerca dos mesmos, e desperta uma nova consciência em relação ao meio ambiente, interferindo a favor da preservação da vida das espécies.

Em 5 anos de existência, recebeu mais de 14 mil visitantes, sendo aproximadamente 2.200 somente no ano de 2012.

CEAMA: Visitantes acompanhados por monitores. Foto: IPEVS

Lista de visitas recebidas pelo CEAMA em 2012:

Colégio PGD – Londrina – PR

Instituto Federal do Paraná de Londrina -PR,

Escola Educativa de Ibiporã- PR,

Colégio Estadual Professora Adélia Antunes Lopes de Jataizinho- PR,

Colégio Estadual Professor Antônio Bitonte – Sertaneja – PR

Colégio José Gonçalves Mendonça de Maracaí – SP,

Escola Estadual Afrânio Peixoto de Abatiá – PR,

Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP – Campus Bandeirantes – PR,

Colégio Estadual Joaquim Maria Machado de Assis de Santa Mariana – PR,

Colégio Dom Bosco, Cornélio Procópio – PR,

Centro de Línguas Estrangeiras – CELEM de Cornélio Prcópio – PR,

Projeto Cantinho da Criança de Santa Mariana – PR,

Colégio Estadual Antônio Iglesias de Ibiporã – PR,

Colégio São Domingos de Faxinal do Céu – PR.

Escola Estadual Ruth Martinez Corrêa – Ribeirão do Pinhal – PR

Curso de Férias do Zoológico de Bauru – Bauru – SP

Colégio Estadual Antônio Carlos – Nova Santa Barbara – PR

Colégio Nossa Senhora do Rosário – Cornélio Procópio – PR

Escola Municipal Maria Pura Martinez Fraiz – Nova Fátima – PR

Escola Municipal Arthur Serafim Marquez – Rancho Alegra – PR

Colégio Nossa Senhora Medianeira – Santa Mariana – PR

Escola Pingo de Gente – Uraí – PR

Escola Municipal Dom Bosco – Abatiá – PR

Escola Estadual Anastácio Cerezine – Alvorada do Sul – PR

Colégio Estadual Castro Alves – Cornélio Procópio – PR

Escola Municipal Leila Domingos Chaerke – Nova Fátima – PR

Escola Rural Cruzeiro do Cedro – Nova América da Colina – PR

Colégio Estadual Teotônio Brandão Vilela – Ibiporã – PR

Colégio Estadual Unidade Polo – Ibiporã – PR

Colégio Integrado Sônia Marcondi – Ibiporã – PR

Escola Estadual Ulysses Guimarães – Ibiporã – PR

Escola Alfa – Londrina – PR

Colégio Estadual Jerônimo Faria Martins – Santa Cecília do Pavão – PR

Colégio Anjos Custódio – Marialva – PR

Escola Municipal Dr João Ribeiro Júnior – Uraí – PR

Escola Municipal Eufrosina Ribeiro da Silva – São Sebastião da Amoreira – PR

Projeto Casa da Criança – Santa Cecília do Pavão – PR

Escola Municipal Padre Antônio Lock -  Cornélio Procópio – PR

Colégio Estadual Monteiro Lobato – Projeto de Iniciação a Docente – Cornélio Procópio – PR

Colégio Estadual Cléia Godoy – Londrina – PR

Colégio Sesi de Assaí – Assaí – Pr

Escola Cantinho Encantado – Bandeirantes – PR

Escola Nova Geração – Andirá – PR

Colégio Estadual 14 de dezembro – Alvorada do Sul – PR

Colégio Estadual Vandyr de Almeida – Cornélio Procópio – PR

Escola Franciscana Divina Pastora – Uraí – PR

Escola Municipal Professor Vicente Rodrigues Monteiro – Jataizinho – PR

Escola Municipal Princesa Isabel – Jataizinho – PR

Aula prática. Foto: IPEVS

Informação associada ao contato próximo com os animais quebra pré-conceitos acerca dos mesmos, e desperta uma nova consciência em relação ao meio ambiente. Foto: IPEVS

A equipe do CEAMA agradece a presença dos visitantes.

O agendamento pode ser realizado através dos telefones: 43-35235095/84356175 ou email: ipevs@ipevs.org.br

Fonte: Ascom IPEVS


14 de fevereiro de 2012 | nenhum comentário »

Morre cotia apedrejada em Zoológico

No Zoo de Cascavel, animal foi apedrejado por visitantes.

Click e veja o vídeo: http://g1.globo.com/natureza/

 

 

Fonte: Globo Natureza


1 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Lanches de visitantes atrapalham dieta de quatis em parque de BH

Segundo bióloga, animais têm comido doces e salgadinhos.
Pesquisadores acompanham rotina de quatis por meio de microchips.

A aproximação entre a população de quatis do Parque das Mangabeiras, em Belo Horizonte, e os visitantes tem preocupado biólogos. Os animais têm deixado de comer alimentos naturais da espécie para se alimentar de salgadinhos e doces doados por turistas. “A probabilidade de fazer mal é grande porque os salgadinhos já fazem mal pra gente, imagina para o quati que é animal silvestre”, diz a bióloga Nadja Simbera. Segundo a especialista, a dieta da espécie é composta por frutas e outros animais.

Biólogos da Universidade Federal de Minas Gerais pesquisam os hábitos do animal. “A gente captura e coloca uma marcação e sempre mede a proporção de indivíduos”. Segundo ela, a rotina dos quatis é acompanhada por meio de microchips. “Quando a gente captura o animal, a gente coleta amostras, faz estudos genéticos e a gente tem informações de cada animal num banco de dados e faz um acompanhamento para saber como está o crescimento deles”, completa Nadja Simbera. De acordo com a bióloga, cerca de 120 quatis habitam o parque.

A alimentação inadequada dos quatis também prejudica a natureza, de acordo com a bióloga. “Tem sementes que só vão germinar se passarem no trato digestivo dos quatis. Se eles se alimentam de comida humana vão deixar de comer frutos da mata e, assim, deixam de cumprir um papel ecológico que é dispersar as sementes e ajudar na regeneração da mata”, diz.

Para inibir os danos causados pela doação de alimentos por visitantes, o Parque Zoológico de Belo Horizonte suspendeu a venda de salgadinhos industrializados a partir do dia 19 de maio. De acordo com informações da bióloga, para combater a doação de alimentos para os quatis, o Parque das Mangabeiras informa a proibição por meio de cartazes. Segundo ela, o próximo passo do projeto é conscientizar as pessoas para que elas não alimentem os quatis. “Mesmo sendo frutas, não estão fazendo bem. Aqui é o lugar deles e as pessoas estão vindo visitar a casa deles. Então, as pessoas têm que respeitar, usando o parque da melhor forma e respeitando os hábitos da espécie e o papel ecológico dela”, completa.

O segurança do parque Helênio da Graça conta que os animais chamam a atenção. “O pessoal fica maravilhado. Quem não conhece pergunta: é um tamanduá? Eu digo: não é tamanduá; é um quati”. Mas, ele alerta que os animais são ariscos. “É muito perigoso porque a criança chega perto, mesmo o adulto, vai por a mão e eles mordem. A pessoa acha que eles são bonitinhos, delicados, mas é risco porque eles mordem”, completa.

Fonte: G1, MG






Categorias

Tópicos recentes

Meta

 

novembro 2018
S T Q Q S S D
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

12 de março de 2013 | nenhum comentário »

CEAMA mais de 2.200 visitantes em 2012

O CEAMA, projeto coordenado pelo IPEVS, busca transmitir conhecimento científico aos visitantes, informar sobre a biologia e comportamento animal, esclarecer mitos, orientar sobre a prevenção de acidentes com animais peçonhentos e principalmente incentivar a importância da preservação das espécies, despertando uma consciência ecológica voltada à conservação ambiental. Localizado no município de Cornélio Procópio-PR, possui em seu acervo biológico exemplares de répteis (serpentes, lagartos e quelônios), anfíbios (anuros) e aracnídeos (aranhas e escorpiões) pertencentes à fauna brasileira e exótica, totalizando 156 animais, sendo 31 espécies mantidas em exposição. Esses são mantidos em cativeiro devido à impossibilidade de serem devolvidos para o habitat natural.

O CEAMA atende diariamente o público, disponibilizando dados biológicos das espécies em fichas com informações sobre tamanho, distribuição geográfica e tipo de alimentação. Além disso, todos os visitantes são acompanhados por monitores que esclarecem dúvidas e ministram aulas práticas previamente agendadas, direcionadas às instituições de ensino básico, médio e superior. O centro é o único espaço na região que possibilita o contato da comunidade com estes animais. O trabalho realizado promove uma grande mudança comportamental dos visitantes, pois a informação associada ao contato próximo com os animais quebra pré-conceitos acerca dos mesmos, e desperta uma nova consciência em relação ao meio ambiente, interferindo a favor da preservação da vida das espécies.

Em 5 anos de existência, recebeu mais de 14 mil visitantes, sendo aproximadamente 2.200 somente no ano de 2012.

CEAMA: Visitantes acompanhados por monitores. Foto: IPEVS

Lista de visitas recebidas pelo CEAMA em 2012:

Colégio PGD – Londrina – PR

Instituto Federal do Paraná de Londrina -PR,

Escola Educativa de Ibiporã- PR,

Colégio Estadual Professora Adélia Antunes Lopes de Jataizinho- PR,

Colégio Estadual Professor Antônio Bitonte – Sertaneja – PR

Colégio José Gonçalves Mendonça de Maracaí – SP,

Escola Estadual Afrânio Peixoto de Abatiá – PR,

Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP – Campus Bandeirantes – PR,

Colégio Estadual Joaquim Maria Machado de Assis de Santa Mariana – PR,

Colégio Dom Bosco, Cornélio Procópio – PR,

Centro de Línguas Estrangeiras – CELEM de Cornélio Prcópio – PR,

Projeto Cantinho da Criança de Santa Mariana – PR,

Colégio Estadual Antônio Iglesias de Ibiporã – PR,

Colégio São Domingos de Faxinal do Céu – PR.

Escola Estadual Ruth Martinez Corrêa – Ribeirão do Pinhal – PR

Curso de Férias do Zoológico de Bauru – Bauru – SP

Colégio Estadual Antônio Carlos – Nova Santa Barbara – PR

Colégio Nossa Senhora do Rosário – Cornélio Procópio – PR

Escola Municipal Maria Pura Martinez Fraiz – Nova Fátima – PR

Escola Municipal Arthur Serafim Marquez – Rancho Alegra – PR

Colégio Nossa Senhora Medianeira – Santa Mariana – PR

Escola Pingo de Gente – Uraí – PR

Escola Municipal Dom Bosco – Abatiá – PR

Escola Estadual Anastácio Cerezine – Alvorada do Sul – PR

Colégio Estadual Castro Alves – Cornélio Procópio – PR

Escola Municipal Leila Domingos Chaerke – Nova Fátima – PR

Escola Rural Cruzeiro do Cedro – Nova América da Colina – PR

Colégio Estadual Teotônio Brandão Vilela – Ibiporã – PR

Colégio Estadual Unidade Polo – Ibiporã – PR

Colégio Integrado Sônia Marcondi – Ibiporã – PR

Escola Estadual Ulysses Guimarães – Ibiporã – PR

Escola Alfa – Londrina – PR

Colégio Estadual Jerônimo Faria Martins – Santa Cecília do Pavão – PR

Colégio Anjos Custódio – Marialva – PR

Escola Municipal Dr João Ribeiro Júnior – Uraí – PR

Escola Municipal Eufrosina Ribeiro da Silva – São Sebastião da Amoreira – PR

Projeto Casa da Criança – Santa Cecília do Pavão – PR

Escola Municipal Padre Antônio Lock -  Cornélio Procópio – PR

Colégio Estadual Monteiro Lobato – Projeto de Iniciação a Docente – Cornélio Procópio – PR

Colégio Estadual Cléia Godoy – Londrina – PR

Colégio Sesi de Assaí – Assaí – Pr

Escola Cantinho Encantado – Bandeirantes – PR

Escola Nova Geração – Andirá – PR

Colégio Estadual 14 de dezembro – Alvorada do Sul – PR

Colégio Estadual Vandyr de Almeida – Cornélio Procópio – PR

Escola Franciscana Divina Pastora – Uraí – PR

Escola Municipal Professor Vicente Rodrigues Monteiro – Jataizinho – PR

Escola Municipal Princesa Isabel – Jataizinho – PR

Aula prática. Foto: IPEVS

Informação associada ao contato próximo com os animais quebra pré-conceitos acerca dos mesmos, e desperta uma nova consciência em relação ao meio ambiente. Foto: IPEVS

A equipe do CEAMA agradece a presença dos visitantes.

O agendamento pode ser realizado através dos telefones: 43-35235095/84356175 ou email: ipevs@ipevs.org.br

Fonte: Ascom IPEVS


14 de fevereiro de 2012 | nenhum comentário »

Morre cotia apedrejada em Zoológico

No Zoo de Cascavel, animal foi apedrejado por visitantes.

Click e veja o vídeo: http://g1.globo.com/natureza/

 

 

Fonte: Globo Natureza


1 de junho de 2011 | nenhum comentário »

Lanches de visitantes atrapalham dieta de quatis em parque de BH

Segundo bióloga, animais têm comido doces e salgadinhos.
Pesquisadores acompanham rotina de quatis por meio de microchips.

A aproximação entre a população de quatis do Parque das Mangabeiras, em Belo Horizonte, e os visitantes tem preocupado biólogos. Os animais têm deixado de comer alimentos naturais da espécie para se alimentar de salgadinhos e doces doados por turistas. “A probabilidade de fazer mal é grande porque os salgadinhos já fazem mal pra gente, imagina para o quati que é animal silvestre”, diz a bióloga Nadja Simbera. Segundo a especialista, a dieta da espécie é composta por frutas e outros animais.

Biólogos da Universidade Federal de Minas Gerais pesquisam os hábitos do animal. “A gente captura e coloca uma marcação e sempre mede a proporção de indivíduos”. Segundo ela, a rotina dos quatis é acompanhada por meio de microchips. “Quando a gente captura o animal, a gente coleta amostras, faz estudos genéticos e a gente tem informações de cada animal num banco de dados e faz um acompanhamento para saber como está o crescimento deles”, completa Nadja Simbera. De acordo com a bióloga, cerca de 120 quatis habitam o parque.

A alimentação inadequada dos quatis também prejudica a natureza, de acordo com a bióloga. “Tem sementes que só vão germinar se passarem no trato digestivo dos quatis. Se eles se alimentam de comida humana vão deixar de comer frutos da mata e, assim, deixam de cumprir um papel ecológico que é dispersar as sementes e ajudar na regeneração da mata”, diz.

Para inibir os danos causados pela doação de alimentos por visitantes, o Parque Zoológico de Belo Horizonte suspendeu a venda de salgadinhos industrializados a partir do dia 19 de maio. De acordo com informações da bióloga, para combater a doação de alimentos para os quatis, o Parque das Mangabeiras informa a proibição por meio de cartazes. Segundo ela, o próximo passo do projeto é conscientizar as pessoas para que elas não alimentem os quatis. “Mesmo sendo frutas, não estão fazendo bem. Aqui é o lugar deles e as pessoas estão vindo visitar a casa deles. Então, as pessoas têm que respeitar, usando o parque da melhor forma e respeitando os hábitos da espécie e o papel ecológico dela”, completa.

O segurança do parque Helênio da Graça conta que os animais chamam a atenção. “O pessoal fica maravilhado. Quem não conhece pergunta: é um tamanduá? Eu digo: não é tamanduá; é um quati”. Mas, ele alerta que os animais são ariscos. “É muito perigoso porque a criança chega perto, mesmo o adulto, vai por a mão e eles mordem. A pessoa acha que eles são bonitinhos, delicados, mas é risco porque eles mordem”, completa.

Fonte: G1, MG